Xiaomi abre sua primeira loja no Brasil

Fãs formaram uma fila de 500 metros que levava à entrada da loja no shopping Ibirapuera, em São Paulo.

Informática / 11:47 - 3 de jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A fabricante chinesa de eletrônicos Xiaomi abriu sua primeira loja no Brasil no último sábado, atraindo milhares de fãs, alguns dos quais acamparam do lado de fora na quinta-feira por uma chance de estar entre os primeiros a adquirir um dos novos smartphones da marca.

No dia da inauguração, os fãs formaram uma fila de 500 metros que levava à entrada da loja Mi da Xiaomi, localizada no shopping center Ibirapuera, no bairro de Moema, em São Paulo.

"Estamos apostando nos fãs da Mi e expandindo nosso mercado para um público que ainda não está familiarizado com a marca", disse Luciano Barbosa, diretor de Produtos para o grupo brasileiro da Xiaomi, o grupo DL, à Xinhua.

"As empresas chinesas são cada vez mais reconhecidas por sua qualidade e acessibilidade", afirmou Barbosa.

Antes da abertura da loja, os smartphones Xiaomi já estavam disponíveis nos supermercados e lojas de eletrodomésticos brasileiros, mas a loja física está pronta para elevar o reconhecimento da marca da empresa a um patamar superior.

Para celebrar a inauguração, a Xiaomi ofereceu um desconto de 30% em seus smartphones top de linha, mas a loja também contou com dezenas de outros eletrônicos de alta tecnologia fabricados pela empresa, desde câmeras de vigilância até aspiradores de pó, guarda-chuvas inteligentes, relógios multifuncionais e iluminação LED.

O diretor da DL, Paulo Xu, destacou a importância de abrir em São Paulo, a maior cidade do Brasil e lar de cerca de 45,6 milhões de habitantes.

"A primeira loja física é muito importante para atingir o mercado brasileiro, oferecendo não apenas smartphones, mas todo um ecossistema de produtos", disse Xu.

 

Huawei - Em cinco anos, a Huawei investirá 35 milhões de euros em seu Paris OpenLab, inaugurado em abril de 2018. Durante a conferência anual de tecnologia VivaTech, realizada no mês de maio, em Paris, o vice-presidente da Huawei, Ken Hu, disse que o investimento é fruto da confiança de que a França está no caminho para se tornar um centro de inovação global.

Em um discurso intitulado "Nossa ambição compartilhada", Hu comentou sobre como as tecnologias digitais convergentes estão trazendo mudanças revolucionárias e destacou a colaboração entre setores como a única maneira de aproveitar as oportunidades que surgem. É por esse motivo que a Huawei trabalhará em conjunto com clientes e parceiros a fim de construir um ecossistema digital mais forte no país.

"Este é o melhor momento para a inovação", disse Hu. "Aqui na França, você tem pesquisa básica líder mundial, muitas pessoas talentosas e um ambiente favorável à inovação. A França está em uma ótima posição para ser um centro global de inovação. A Huawei está aqui há 17 anos e temos muito orgulho de fazer parte dessa história", completou.

Tecnologias como 5G, nuvem e Inteligência Artificial são os principais impulsionadores da inovação, acelerando a transformação digital em todos os setores. Até 2025, estima-se que haverá 100 bilhões de conexões em todo o mundo, todas as empresas usarão a nuvem e 77% das aplicações em nuvem serão alimentadas por IA.

 

Com informações da Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor