Advertisement

Witzel ‘cai na real’ e admite que dinheiro pode acabar em julho

Governador pede liberação do jogo no país para gerar receita para o estado.

Rio de Janeiro / 08 Janeiro 2019 - 23:12

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Apesar de todas as promessas de campanha, o governador do Rio, Wilson Witzel, alertou nesta terça-feira que o estado poderá chegar em julho sem dinheiro suficiente para honrar os compromissos e defendeu a legalização do jogo no país, como uma forma de gerar recursos. Ele participou da posse do novo procurador-geral do estado, Marcelo Lopes.
“Estamos, realmente, com muitas dificuldades. Nós, se mantivermos o ritmo, sem fazer nenhuma medida de contingência, sem negociação, vamos chegar em julho sem dinheiro. Estamos com um deficit de mais de R$ 8 bilhões, restos a pagar de mais de R$ 11 bilhões, e precisamos agir. Precisamos cobrar do sonegador, precisamos cobrar a dívida ativa. Precisamos nos empenhar”, disse Witzel.
O governador também pediu empenho para que seja legalizado o jogo no país, o que poderá beneficiar diretamente o estado, que é o principal portão de entrada de estrangeiros no Brasil e o maior destino turístico interno.
Ele fez um apelo aos procuradores do estado para que, juntamente com a Secretaria de Fazenda, encontrem-se soluções para não chegar no fim do ano com um deficit bilionário. Uma das ações, segundo o novo procurador, será firmar acordos de leniência com grandes devedores que se interessarem em regularizar a situação com o estado.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor