Vendas no varejo em janeiro nos EUA

Números vieram em linha com o esperado na leitura de headline e acima do esperado na leitura ex-Auto & Gas.

Opinião do Analista / 12:23 - 14 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

My take - As vendas no varejo nos EUA vieram em linha com o esperado na leitura de headline e acima do esperado na leitura ex-Auto & Gas. O control group, que entra no computo do PIB, veio abaixo do esperado.

O control group hoje reforça a nossa tese de desaceleração gradual do consumo se comparado com o ritmo observado ao longo do ano passado. Ainda assim, ante um mercado de trabalho extremamente aquecido, a desaceleração deve ser amena.

 

Comentários - As vendas no varejo nos EUA vieram em linha com o esperado na leitura de headline e acima do esperado na leitura ex-Auto & Gas. O control group, que entra no computo do PIB, veio abaixo do esperado.

Retail Sales (MoM): 0.3% (esperado: 0.3%; anterior: 0.3% revisto para 0.2%)

Retail Sales Ex-Auto & Gas (MoM): 0.4% (esperado: 0.3%; anterior: 0.5%)

RS Control Group (MoM): 0.0% (esperado: 0.3%; anterior: 0.5% revisto para 0.2%)

O destaque por dentro do índice foi uma retração na parte de vestuário de -3.14% MoM, mais do que repondo o forte avanço do mês passado (+2.73%). A forte retração também pode estar impactada pelo tempo mais quente do que o normal (tal qual o Payroll).

A leitura less food, auto dealers, building materials & gas expandiu somente 0.02%, após registrar 0.24% no mês anterior. A média móvel de três meses saiu do território negativo, mas o comportamento da MM6M evidentemente preocupa. A se manter este ritmo, poderemos ver novamente um enfraquecimento na contribuição de consumo no PIB.

Nonstore Retailers voltou ao campo positivo no MoM (+0.29%), após passar quatro meses em território negativo. A leitura YoY saiu de um avanço de 18.25% para 8.39%. As médias móveis do indicador mostram possibilidade de reversão no curto prazo deste item, que expandiu acima de 10% YoY ao longo de todo o ano passado.

O control group hoje reforça a nossa tese de desaceleração gradual do consumo se comparado com o ritmo observado ao longo do ano passado. Ainda assim, ante um mercado de trabalho extremamente aquecido, a desaceleração deve ser amena.

O Fed não muda a perspectiva com o dado de hoje. No entanto, nossa projeção de desaceleração de consumo, acoplado com investimentos pressionados e incerteza decorrente das eleições e do coronavirus levará a um aumento na probabilidade de corte ao longo do segundo e terceiro trimestres deste ano.

.

Felipe Sichel

Estrategista do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor