Vendas no Dia dos Pais cresceram no Nordeste e caíram no Sudeste

Ainda assim, região foi responsável por maior parte das vendas, mas perdeu representatividade ante mesmo período de 2018.

Conjuntura / 13:30 - 21 de ago de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Relatório sobre o desempenho do varejo virtual realizado pela Social Miner e referente às vendas no Dia dos Pais mostrou que as categorias que mais venderam no mês que antecedeu a data foram hotéis e viagens; eletrodomésticos e eletroportáteis; e beleza e saúde, com representatividade de 23,9%, 21,5% e 20,1% respectivamente.

O Sudeste foi responsável pela maior parte das vendas realizadas durante o Dia dos Pais neste ano, com 62,5%. Porém, a região perdeu representatividade em relação ao mesmo período de 2018, quando chegou a concentrar 71,8% das conversões.

Em compensação, o Nordeste cresceu 15.4 pontos percentuais nas vendas do evento deste ano, passando de 3,1% de representatividade em 2018 para 18,5% em 2019.

Apesar de o desktop seguir concentrando a maior parte (56,8%) das conversões em vendas, o mobile ganhou um pouco mais de espaço e registrou representatividade de 43,2%.

O tíquete médio das compras para o Dia dos Pais ficou em R$ 319, representando um crescimento de 39,5% em relação ao tíquete de 2018, que ficou em R$ 228,70.

Quando avaliado os tíquetes de acordo com a categoria, percebe-se que eletrodomésticos e eletroportáteis e hotéis e viagens lideram a lista com os valores mais altos. Também entre os segmentos mais vendidos no período, vale pontuar que seus resultados podem ter contribuído para o crescimento do tíquete médio geral.

Já entre as categorias com menor tíquete, destacam-se livraria, varejo de nicho e, tecnicamente empatadas, bebidas e beleza e saúde.

Segundo o relatório, de todos os consumidores que compraram no período do Dia dos Pais de 2019, apenas 5,2% tinham comprado na mesma loja neste período do ano anterior. Identificaram que a taxa de recompra caiu um ponto percentual em relação a 2018, quando foi apurada em 6,2%.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor