Advertisement

Vendas em shoppings superaram expectativas no Dia das Mães

Segundo Associação Brasileira de Shoppings, alta foi de 9,4%; valor do tíquete médio também cresceu 1,5%, em comparação com 2018.

Conjuntura / 16:22 - 16 de Mai de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Na contramão de alguns indicadores, o Índice Cielo de Varejo Ampliado - Abrasce aponta um crescimento de 9,4% nas vendas dos shoppings centers no período do Dia das Mães, entre 3 e 12 de maio. Este desempenho supera, portanto, a expectativa de 6% de incremento nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado.

Os segmentos mais procurados para presentear as mães foram vestuário, artigos esportivos, óticas e joalherias, chocolates, cosméticos e bebidas. O valor do tíquete médio no período analisado atingiu R$ 177, apresentando um crescimento de 1,5% no comparativo anual.

Segundo Glauco Humai, presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), apesar da retomada gradual da economia, as vendas seguiram o histórico de crescimento dos últimos anos. "Mesmo com a economia ainda em retomada gradual, fatores como os juros baixos, a inflação controlada e os reajustes salarias impactaram positivamente o desempenho do varejo. Para o Dia das Mães, principal período de vendas do semestre, os shoppings investiram em novos modelos de negócios e facilidades para atração dos consumidores, como a inclusão de outros canais de compras e diferentes meios de pagamento. Estas ações refletiram positivamente nas vendas do setor, resultando nesta alta superior a 9%, seguindo a série histórica de crescimento dos últimos quatro anos. Este desempenho superou até mesmo o faturamento do último Natal, data de maior volume de vendas para o setor de shopping centers", declara.

O resultado foi calculado pela variação de volume capturado nove dias antes do Dia das Mães (de 3 a 12 de maio de 2019 contra 4 a 13 de maio de 2018) e com mesmo mix de dias da semana, considerando o desempenho dos shoppings, em todo o território nacional.

O Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) acompanha mensalmente a evolução do varejo brasileiro de acordo com a sua receita de vendas e tem como proposta oferecer mensalmente uma fotografia do comércio varejista do país a partir de informações reais. O indicador não reflete somente a atividade do comércio pelo movimento com cartões mas, sim, a real dinâmica de consumo no ponto de venda.

 

Data corresponde a cerca de 14% do fluxo total de visitantes no varejo

Levantamento realizado pela FX Retail Analytics apontou que, no total, o dia 11 de maio, sábado anterior à comemoração, correspondeu a 13,43% do fluxo total de visitantes neste mês nas principais lojas do país. É um número superior ao registrado em 2018 - na ocasião, a véspera foi responsável por 12,99% da quantidade de consumidores em todo o mês.

Já o dia 12 de maio, domingo de Dia das Mães, também teve um peso importante no fluxo de pessoas neste mês, principalmente por conta da movimentação em shopping centers de todo o país. O dia corresponde a 4,68% do total, um número praticamente similar ao registrado no ano passado: 4,71%.

Na comparação específica entre os dias, entretanto, a quantidade de consumidores que frequentou lojas no varejo neste ano foi menor que em 2018. O domingo do Dia das Mães teve uma queda de 18,71% em relação ao ano passado. O sábado, véspera da data, caiu 8%, enquanto que o fim de semana como um todo caiu 10,96% no comparativo.

O "mês das mães", entre 29 de abril e 12 de maio de 2019, teve um ligeiro recuo de 2,51% na comparação com o mesmo período do ano passado. Curiosamente, a primeira semana (29 de abril a 5 de maio) teve uma alta de 3,58%, enquanto que a segunda semana (6 a 12 de maio) registrou queda de 7,68%.

O baixo fluxo de visitantes, contudo, não impediu um desempenho positivo nas vendas do Dia das Mães em 2019. Todos os dados tiveram alta na comparação com 2018, de acordo com levantamento da fintech Finanças 360º, plataforma de gestão financeira com conciliação automática de vendas por cartão para o pequeno e médio varejista.

O faturamento total do Dia das Mães (12 de maio) foi 17,34% superior em relação ao ano passado. A véspera (11 de maio) teve um aumento de 5,9% e o fim de semana registrou crescimento de 8,46%. Nas duas semanas anteriores à data, o faturamento também cresceu 3,59% no comparativo com 2018.

A quantidade de vendas, por sua vez, aumentou 15,36% no domingo, 12 de maio. No sábado, dia 11, o crescimento no número de transações foi de 4,54%, com aumento de 7,06% no fim de semana. Por fim, no período entre 29 de abril e 12 de maio, o número de vendas cresceu 1,06%.

 

Comércio eletrônico - De acordo com levantamento realizado pelo Compre & Confie, o varejo virtual faturou R$ 2,6 bilhões com as compras este ano, aumento de 8,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

O crescimento está relacionado ao aumento do número de pedidos realizados: de 27 de abril a 11 de maio foram 6,3 milhões. O número é 14,5% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior. O tíquete médio das compras por consumidor, entretanto, passou de R$ 433,00 no ano passado para R$ 409 (redução de 5,4%).

Em relação aos itens mais comprados, a liderança é de moda e acessórios, seguida pelo setor de telefonia e beleza e perfumaria, itens comumente associados aos presentes para as mães.

Na divisão por regiões, o destaque fica com o Sudeste. O volume de pedidos foi 18,4% superior ao registrado no ano passado, fato que gerou faturamento 12,2% maior. O tíquete médio da região também segue a média nacional, com retração de 5,3%.

Entretanto outro levantamento, da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), apontou que o comércio eletrônico faturou R$ 3,3 bilhões no Dia das Mães.

De acordo com a entidade, esse montante é 16% superior ao movimentado na mesma data do ano passado. A previsão considerou as vendas realizadas no período de 15 de abril até 11 de maio. Segundo o estudo, o número de pedidos realizados pela internet foi de 9,81 milhões, com o tíquete médio de R$ 345.

As categorias mais procuradas para a data foram as de moda, cosméticos, eletrodomésticos, flores, além de artigos de casa e decoração. Ainda segundo a associação, esse aumento se deve ao reaquecimento da economia, queda no câmbio e a retomada da confiança do consumidor.

De acordo com Mauricio Salvador, presidente da ABComm, seguindo as demais datas sazonais, que vem apresentando resultados positivos no ano, o Dia das Mães seguiu no mesmo caminho. "Sendo uma data de tradicional relevância, as lojas puderam preparar ações, ofertas e condições melhores para os consumidores", afirma.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor