Advertisement

Venda da Eletrobras ameaça soberania nacional e integração

Ex-presidente mostra desigualdades no consumo de energia Algumas atividades importantes a cargo da Eletrobras não podem ser privatizadas,...

Conjuntura / 11 Abril 2018

Ex-presidente mostra desigualdades no consumo de energia

Algumas atividades importantes a cargo da Eletrobras não podem ser privatizadas, afirmou José Luiz Alquéres, ex-presidente da estatal. Citou como exemplos o programa Luz para Todos, a eletrifi-cação rural, os projetos em área de fronteira e a energia nuclear. As desigualdades brasileiras também estão presentes no consumo de energia. Alquéres lembrou que o consumo no Nordeste é de 16% do total, enquanto a população da região representa 32% de todos os brasileiros.
José Chacon, conselheiro do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), é mais direto: para ele, a privatização da Eletrobras é “uma ameaça à soberania nacional”. Luiz Antonio Cosen-za, presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio (Crea-RJ), completa, alertando que, se a estatal passar para a iniciativa particular, o serviço vai piorar e ficar mais caro. Ele acrescentou que os engenheiros e outros profissionais da área serão superexplorados. “Vai sobrar o subemprego”, frisou.
O repúdio à privatização da Eletrobras ocorreu em Audiência Pública realizada pelo Crea-RJ nesta segunda-feira. O patrimônio da companhia estatal é avaliado em mais de R$ 350 bilhões, e o Governo Temer quer vender por R$ 20 bilhões.
Ronaldo Bicalho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), salientou que a ação da estatal é muito importante para aproveitar as vantagens do sistema energético. Uma das vantagens, segundo o especialista, está nos grandes reservatórios. Eles permitem que o Brasil disponha de tecnologia de estocagem. Esta tecnologia é fundamental para compensar intermitência da energia de outras fontes, como a solar e a eólica.
A fundamental complementaridade que deve haver entre a geração, a transmissão, e a distribuição de energia elétrica e o uso da água pode ficar muito comprometida caso a Eletrobras seja privatiza-da. O aviso foi dado pelo diretor do Clube de Engenharia, Arthur Obino Neto. O cuidado com a água é também essencial ante a realidade de que muitas bacias hidrográficas são altamente navegáveis.