Vaticano corre risco de entrar em falência

Livro revela que déficit do Estado atingiu “níveis preocupantes” e “arrisca conduzi-lo ao default”.

Internacional / 23:13 - 21 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Vaticano corre sério risco de entrar em “default”, ou seja, de não conseguir mais arcar com suas obrigações financeiras. Quem afirma é o jornalista italiano Gianluigi Nuzzi, que lançou nesta segunda-feira o livro “Giudizio Universale” (“Juízo Universal”, em tradução livre), que apresenta os resultados de uma força-tarefa instituída pelo Pontífice para examinar as contas da Igreja.
Segundo Nuzzi, o déficit do Vaticano atingiu “níveis preocupantes” e “arrisca conduzi-lo ao default”. O livro destaca a contínua queda nas doações que chegam à Santa Sé, em função de escândalos que abalaram a confiança dos fiéis nas últimas décadas.
De acordo com o jornalista, em 2018, quando o Papa Francisco iniciou uma reforma financeira na Igreja, os registros da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica (APSA), o “banco central” do Vaticano, revelaram uma contabilidade paralela com contas secretas de cardeais e laranjas que encobririam políticos e empreendedores próximos à Igreja. Francisco teria pedido o fechamento de todas as contas suspeitas, mas teria ouvido dos inspetores que a dupla contabilidade no Vaticano era “praticamente ineliminável”. Essas contas somariam quase 2 milhões de euros, algumas com até 200 mil euros depositados.
O livro também denuncia a existência de um fundo à disposição do Papa protegido por “segredo de Estado” e sobre o qual nem mesmo Francisco conheceria os detalhes. Esses recursos estariam sob gestão de um banco interno “pouco conhecido no mapa de poder no Vaticano” e que também cuidaria de tesouros e da contabilidade secreta do país.
Nuzzi já é autor de “Via Crucis”, volume que relata a guerra do papa Francisco contra os dirigentes que comandaram as finanças da Santa Sé antes de sua chegada ao poder.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor