Advertisement

Varejo tem o melhor janeiro em cinco anos

Resultado anima CNC, que revê para cima previsão de crescimento em 2018 O comércio varejista registrou em janeiro alta de 6,5%...

Conjuntura / 14 Março 2018

Resultado anima CNC, que revê para cima previsão de crescimento em 2018

O comércio varejista registrou em janeiro alta de 6,5% no conceito ampliado, em relação ao mesmo período de 2017, segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgados nesta terça-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este é o melhor resultado para o mês de janeiro desde 2013, quando houve alta de 7,0% no faturamento real do setor.
Com crescimento de 18,2%, o segmento de comércio automotivo registrou o melhor resultado na comparação interanual para meses de janeiro dos últimos dez anos. Os ramos de artigos de uso pessoal e doméstico (+10,5%) e materiais de construção (+7,3%) também tiveram destaques positivos.
Diante dos resultados, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revisou sua projeção para o volume de vendas no varejo ampliado de +5,0% para +5,2% ao fim de 2018. “A ancoragem das expectativas em relação à inflação abaixo do centro da meta neste ano deverá viabilizar a intensificação da queda das taxas de juros na ponta nos próximos meses e, conse-quentemente, permitir a continuação do processo de recuperação do volume de vendas do setor”, afirma o chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes.
 Também pela primeira vez em cinco anos, todos os estados brasileiros registraram aumento no faturamento real do varejo, fato que confirma a robustez da recuperação do setor. As maiores taxas positivas ocorreram nos estados de Santa Catarina (20,6%), Rondônia (19,0%) e Amazonas (14,6%).
Já na comparação de janeiro com dezembro de 2017, a pesquisa mostra que o volume de vendas do comércio varejista cresceu 0,9% no primeiro mês do ano. A alta veio depois de uma queda de 0,5% de novembro para dezembro.
Também foram registradas altas na média móvel trimestral (0,3%), na comparação com janeiro de 2017 (3,2%) e no acumulado de 12 meses (2,5%).
O varejo ampliado, que também analisa os segmentos de veículos/peças e materiais de construção, no entanto, caiu 0,1%. Os veículos, motos, peças e partes cresceram 3,8%, mas os materiais de construção recuaram 0,2%.