Vanessa: golpe contra Dilma "fica cada vez mais claro"

Política / 20 abril 2017

Em pronunciamento no Plenário nesta quinta-feira, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) lembrou que há um ano, em 17 de abril de 2016, a Câmara dos Deputados dava início ao <i>impeachment</i> da então presidente Dilma Rousseff ao autorizar a abertura do processo pelo Senado. Para a senadora, o "desvio de finalidade" do então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, de dar curso a uma ação política de "promover o golpe" contra Dilma, fica cada vez mais claro.

Vanessa lembrou que, em entrevista à Band no dia 15 de abril, o presidente Michel Temer disse que Cunha mudou de ideia sobre arquivar os pedidos de <i>impeachment</i> depois de saber que não teria os três votos do PT no Conselho de Ética da Câmara para impedir a abertura de processo contra ele. Para piorar a situação, segundo a senadora, Cunha, que está preso em Curitiba, disse em carta que submeteu a Temer, 48 horas antes, o parecer que deu início ao processo.

- A decisão política já estava tomada, mas o tempo é o senhor da razão. É o tempo da verdade. E o tempo tem mostrado, com muita lucidez, com muita transparência, para o Brasil e para o mundo inteiro, que o que aconteceu no dia 17, tendo início nesse dia, nada mais foi do que um golpe parlamentar efetivo - acrescentou.

 

Agência Senado