Advertisement

Valor de mercado da Seleção é de quase R$ 3 bilhões

Conjuntura / 15 Maio 2018

Rússia espera impulsionar a economia para US$ 1,9 trilhão

O técnico Tite convocou nesta segunda-feira os 23 jogadores que defenderão a camisa da Seleção Brasileira na Copa da Rússia. Apenas três jogam no Brasil. Dezenove jogam na Europa (incluindo Rússia) e um, na China.
O valor dos passes – chamados atualmente de direitos econômicos – dos jogadores fica na casa de R$ 2,8 bilhões a R$ 3 bilhões. Conforme o site Transfermarkt, especializado em cotações do mer-cado de transferências de jogadores, o jogador menos valioso é o lateral-direito Fagner, do Corinthians, avaliado em 3 milhões de euros, cerca de R$ 13 milhões.
Neymar, comprado pelo PSG por 222 mihões de euros, representa um terço do valor total da Seleção. Valor que pode chegar a 260 milhões de euros, quanto se especula que custaria sua transferência para o Real Madrid.
A Copa do Mundo é um negócio bilionário, que atrai patrocinadores do porte de Adidas, Inbev, Telstar e Visa. A Rússia afirma ter gasto 683 bilhões de rublos (R$ 34 bilhões), pouco mais que o Brasil (R$ 31,34 bilhões em valores corrigidos pelo IPCA).
Segundo o relatório sobre o impacto econômico do torneio, o evento pode impulsionar o PIB do país, que pode ficar entre US$ 1,62 trilhão e US$ 1,92 trilhão, considerando o período de dez anos de 2013 até 2023. O resultado é atribuído ao crescimento do turismo, além de gastos em grande escala na construção. Cerca de 220.000 empregos foram criados, segundo o relatório.
No Brasil, as previsões otimistas viraram pesadelo de estádios vazios, infraestrutura inacabada e dívidas ainda não pagas.

Leia mais:

https://monitordigital.com.br/copa-do-mundo-futebol-um-grande-neg-cio