Usiminas confirma eleição de Sergio Leite como presidente

Empresas / 17:17 - 25 de mai de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Usiminas informou, há pouco, que Sergio Leite foi eleito pelo seu conselho de administração como o novo diretor-presidente da companhia, no lugar de Rômel Erwin de Souza. Graduado em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e mestre em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal de Minas Gerais, Leite era o diretor vice-presidente comercial da Usiminas. O conselho da companhia ainda elegeu Ronald Seckelmann como diretor vice-presidente de finanças e relações com investidores; Ascanio Merrighi de Figueiredo Silva, como diretor vice-presidente comercial; Tulio Cesar do Couto Chipoletti, como diretor vice-presidente industrial; e Nobuhiko Takamatsu, como diretor vice-presidente de planejamento corporativo. Leite terá como desafio enfrentar os graves problemas financeiros que a siderúrgica está passando, além da disputa que vem ocorrendo entre seus principais acionistas. Para reequilibrar as suas contas, a Usiminas realizou em abril um aumento de capital no valor de R$ 1 bilhão, com a emissão de 200 milhões de ações ordinárias ao preço de R$ 5.   CSN   A Companhia Siderúrgica Nacional informou nesta quarta-feira que conseguiu reverter uma decisão da Justiça que impedia a presença de seus representantes na reunião do Conselho de Administração da rival Usiminas. Os conselheiros indicados pela CSN e aprovados pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Ricardo Antônio Weiss e Gesner José Oliveira Filho, participaram da reunião do Conselho da Usiminas. A reunião, que estava marcada originalmente para 12 de maio e acabou sendo suspensa após uma primeira decisão da Justiça em meio à guerra de ações abertas pelos controladores da Usiminas contra a presença da CSN no colegiado da rival, tem na pauta a eleição de diretores, incluindo presidente-executivo, para a produtora de aços planos. A decisão judicial, emitida pelo desembargador Kassio Marques, do Tribunal Regional Federal da 1ª região em Brasília, teve de ser levada pelos conselheiros indicados pela CSN para que conseguissem ter acesso à reunião, que ocorre na sede da Usiminas em São Paulo. Marques permitiu a participação dos conselheiros indicados pela CSN poucos dias depois que o desembargador Jirair Aram Meguerian havia impedido a presença de representantes do grupo siderúrgico de Benjamin Steinbruch no Conselho da Usiminas. O plenário do Cade aprovou a indicação dos conselheiros da CSN para a Usiminas no final de abril, em uma decisão por 3 votos a 2 que reverteu determinação tomada anos antes pelo órgão de defesa da concorrência e que impedia a CSN de exercer direitos políticos na rival. A Usiminas é controlada pelos grupos Techint e Nippon Steel e a CSN é um dos quatro principais acionistas da produtora de aços planos, com 14,1% das ações ordinárias e 20,7% dos papéis preferenciais.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor