Advertisement

Trump rejeita NYT sobre plano de enviar 120 mil soldados ao Irã

Jornal publicou na segunda que o secretário interino de Defesa apresentou plano militar que prevê envio de até 120 mil soldados para o Orien

Internacional / 11:15 - 15 de Mai de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O presidente dos EUA, Donald Trump, rejeitou na terça-feira uma reportagem do "New York Times" sobre as principais autoridades de segurança dos EUA revisando um plano para enviar até 120 mil soldados para o Oriente Médio para combater o Irã.

"Eu acho que são notícias falsas, OK? Agora, eu faria isso? Sem dúvida. Mas não planejamos isso", disse Trump aos repórteres da Casa Branca.

"Esperamos não ter que planejar isso. E se fizéssemos isso, enviaríamos muito mais tropas do que isso", acrescentou.

O "New York Times" informou na segunda-feira que o secretário interino de Defesa, Patrick Shanahan, apresentou um plano militar atualizado aos altos funcionários de segurança da administração Trump, que prevê o envio de até 120 mil soldados para o Oriente Médio caso o Irã ataque forças americanas ou acelere o trabalho em armas nucleares.

O plano atualizado, que não exige uma invasão de terras do Irã, foi ordenado por linha dura liderados pelo Conselheiro de Segurança Nacional John Bolton, informou o jornal, citando fontes anônimas.

Nas últimas semanas, Washington intensificou a pressão contra Teerã com uma série de sanções, designações e ameaças militares, após a campanha de um ano de Washington contra o Irã, após a saída dos EUA do importante acordo nuclear com o Irã em maio do ano passado.

Em resposta, o presidente iraniano Hassan Rouhani anunciou na quarta-feira a retirada de Teerã de cumprir as restrições do acordo nuclear do Irã sobre as reservas de urânio enriquecido do país e fornecimento de água pesada.

 

Fed - Trump, está pedindo novamente que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central americano) reduza as taxas de juros. Desta vez, ele disse que a medida iria ajudar o país a vencer a guerra comercial com a China.

Ontem, Trump publicou no Twitter que a China vai "provavelmente reduzir as taxas de juros" para compensar o fardo das tarifas adicionais dos EUA, anunciadas na segunda-feira. Ele acrescentou que se o Fed tomar uma medida parecida, eles com certeza vencerão. Trump pediu diversas vezes que o BC reduza as taxas de juros para estimular o crescimento e dar a seu governo uma posição de vantagem nas negociações com Pequim. A continuidade do atrito comercial entre os dois países tem aumentado as preocupações com as perspectivas da economia americana.

 

Com informações da Agência Xinhua; e da Agência Brasil, com informaçõesda NHK

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor