Trens do Rio podem parar se contrato com BID não for renovado

Rio de Janeiro / 15 Novembro 2017

O secretário estadual de Transportes, Rodrigo Vieira, afirmou que o sistema de trens do Rio, administrado pela concessionária Supervia, pode ter os serviços interrompidos caso não haja a renovação do financiamento com o Banco Mundial. Em 2010, o Executivo estadual realizou um contrato com o banco para obter empréstimo de US$ 600 milhões. A renovação do financiamento precisa de autorização do Governo Federal, que é o avalista do empréstimo. As informações foram divulgadas nesta terça-feira durante audiência pública da Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) criada para discutir as demandas da linha ferroviária Saracuruna-Gramacho.
Segundo o secretário, o Governo do Estado ainda não utilizou US$ 160 milhões do empréstimo com o Banco Mundial. No entanto, o prazo do contrato com o banco acabou em junho deste ano. Para voltar a utilizar o dinheiro do financiamento, o Executivo precisa realizar uma renovação de contrato com o Banco Mundial. “Já está tudo certo. Tanto o banco, quanto o governador já mostraram interesse na renovação do empréstimo. O problema é que precisamos da garantia do Governo Federal, que é o avalista e ainda não se pronunciou. Estamos pressionando e negociando com a Presidên-cia da República”, explicou Rodrigo Vieira.