Advertisement

#Temer livre

Temer e Lima estão proibidos de terem contato com outros investigados, mudarem de endereço, deixarem o país e ocuparem direção partidária.

Política / 16:40 - 14 de Mai de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A maioria dos ministros da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiram nesta tarde determinar a soltura do ex-presidente Michel Temer e de seu amigo João Baptista Lima, conhecido como coronel Lima.

Segundo o jornal "O Globo", eles, entretanto,terão que cumprir algumas medidas cautelares: estão proibidos de manterem contato com outros investigados, de mudarem de endereço, de deixarem o país, e de ocuparem cargos de direção partidária. Além disso, deverão entregar o passaporte: "O julgamento foi liminar, ou seja, não é definitivo. O juiz federal Marcelo Bretas, que decretou a prisão, poderá aplicar outras medidas cautelares que entender serem cabíveis."

O colegiado atendeu a um pedido de habeas corpus feito pelas defesas dos réus.

Segundo o ministro Antonio Saldanha Palheiro, relator, "além de razoavelmente antigos os fatos, o prestígio político para a empreitada criminosa não mais persiste. Michel Temer deixou a Presidência da República no início deste ano e não exerce mais cargo de relevo", disse o ministro.

O ex-presidente e seu amigo são investigados na Operação Descontaminação, da Polícia Federal, um dos desdobramentos da Lava Jato no Rio de Janeiro, que investiga desvios da ordem de R$ 1,8 bilhão nas obras da Usina Nuclear Angra 3.

 

Com informações da Agência Brasil e do jornal O Globo

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor