Tarifas sobre celulares e computadores prejudicam consumidores dos EUA

Relatório diz que preços gerais dos celulares nos EUA aumentariam 14%, o que reduzirá compras totais do país em 28%.

Informática / 11:11 - 19 de jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

As tarifas adicionais dos EUA sobre as importações de produtos eletrônicos de consumo da China podem tem um "impacto negativo substancial" nos consumidores americanos, mesmo depois de ter em conta fontes alternativas de fornecimento. A avaliação é da empresa de consultoria norte-americana Trade Partnership Worldwide, LLC.

A companhia sediada em Washington publicou seu relatório na segunda-feira, enquanto a Casa Branca ameaça impor tarifas adicionais de 25% sobre US$ 300 bilhões em produtos da China, incluindo celulares, laptops e tablets.

No trabalho preparado para a Associação de Tecnologia de Consumidores dos EUA, a consultoria estima que, se as novas tarifas forem impostas, o custo dos celulares importados da China aumentará 22% nos EUA.

Além disso, os preços gerais dos celulares nos EUA aumentariam 14%, ou quase US$ 70 em relação ao preço médio de varejo de um celular hoje, o que reduzirá as compras totais do país em 28%.

Ainda de acordo com o estudo, os consumidores americanos pagariam mais de US$ 8,1 bilhões pelos celulares, o que causará uma perda líquida de US$ 4,5 bilhões para a economia dos EUA, mesmo depois de levar em conta as novas receitas tarifárias.

E mais, laptops e tablets também registrarão preços e custos mais altos. O valor dessas importações da China aumentará 21%, enquanto os preços gerais nos EUA aumentarão 19%, ou cerca de US$ 120 em relação ao preço médio de varejo de um laptop e cerca de US$ 50 para um tablet.

Os consumidores americanos pagariam mais de US$ 8,2 bilhões por laptops e tablets, o que trará uma perda líquida de US$ 3,6 bilhões para a economia dos EUA, mesmo depois de levar em conta as novas receitas tarifárias.

O relatório também alerta que será difícil transferir o fornecimento para outros países e custará uma quantia significativa de capital, com o ônus suportado principalmente pelos consumidores americanos.

A China respondeu por cerca de 75% do total de celulares e mais de 90% do total de laptops e tablets importados para os EUA, segundo a Trade Partnership Worldwide.

 

Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor