Advertisement

Suíça autoriza investigação que envolve José Serra

Inquérito apura R$ 10,8 milhões depositados pela Odebrecht no exterior.

Conjuntura / 22:58 - 10 de Jan de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A investigação de um montante de R$ 10,8 milhões em contas bancárias na Suíça foi autorizado pela justiça do país europeu. A movimentação envolve possíveis repasses a campanhas do PSDB e do senador José Serra feitos pela empreiteira Odebrecht.
Recurso às autoridades suíças tentava impedir a cooperação entre as procuradorias dos dois países. Segundo informações do jornal Estado de S.Paulo, a decisão final tomada pela justiça da Suíça na manhã desta quinta-feira rejeitou o pedido. Dessa forma, os dados das contas podem ser enviados ao Brasil.
A ação tentava impedir uso de dados bancários anteriores a 2010. Mas, para os juízes suíços, a decisão de 2018 do Supremo Tribunal Federal de declarar como extinta a punibilidade dos supostos crimes atribuídos ao senador não impede que haja uma investigação.
Os créditos em questão teriam sido depositados em 2006, 2007 e 2009, totalizando R$ 10,8 milhões, segundo o jornal paulista. A instituição usada teria sido o Corner Bank, da cidade de Lugano.
Outra investigação ligada ao senador José Serra caminha para a prescrição. Em 7 de março, Paulo Roberto Vieira Souza, o Paulo Preto, tido como operador tucano, completa 70 anos. Com isso, parte das acusações feitas por delatores contra o ex-diretor de Engenharia da Dersa, estatal paulista de rodovias, vai caducar.
O inquérito, que está no Supremo Tribunal Federal, trata da suspeita de cobrança de propinas no governo de Serra entre 2007 e 2011. Paulo Preto teria movimentado 35 milhões de francos suíços no exterior.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor