Starbucks quer ser bem-vinda

Empresa-Cidadã / 31 janeiro 2017

A Starbucks foi criada em 1971, para oferecer café em grãos inteiros, recém-torrados. Em 1982, Howard Schultz (presidente, CEO e presidente do Conselho da Starbucks) ingressou na empresa. Hoje, a rede de lojas é composta por mais de 21 mil estabelecimentos, dispostos por 66 países, sendo a mais importante empresa mundial de torrefação e venda de café especial.

Em 1983, Howard, inspirado nas cafeterias italianas, levou a tradição das coffehouses italianas para os EUA, um lugar para conversar, com um senso de comunidade, isto é, um lugar intermediário entre trabalho e casa. Howard saiu da Starbucks para abrir sua própria cadeia de cafés, Il Giornale, e retornou em 1987, para comprar o controle da Starbucks.

Missão

A missão descrita da Starbucks é “inspirar e nutrir o espírito humano, uma pessoa, uma xícara de café e uma comunidade de cada vez”.

Código de conduta

Com base no Código de Conduta, Ética de Negócios e Conformidade, a rede promove treinamento em ética e respeito às leis; investiga potenciais conflitos de interesse e oferece canais para que os partners manifestem suas preocupações. A empresa declara que “não tolera a retaliação ou vitimização de qualquer parceiro que expresse preocupações ou dúvidas quanto a uma violação em potencial dos Padrões de conduta comercial ou de qualquer política da Starbucks que ele tenha motivos para acreditar que ocorreu”.

A Starbucks encoraja seus partners e clientes a se envolverem com suas comunidades, através de programas de voluntariado. Para ampliar o compromisso com as comunidades, a empresa criou a Starbucks Foundation.

Reciclagem

Desde 2015, todas as lojas dispõem de reciclagem, onde é controlada a coleta de lixo, e 25% das bebidas são servidas em copos reutilizáveis. A empresa obtém mais comentários dos clientes sobre reciclagem do que sobre qualquer outro aspecto ambiental, especialmente em relação ao uso de copos.

A redução do impacto ambiental decorrente do uso de copos depende do sucesso de dois esforços: do desenvolvimento de soluções de copos recicláveis e do grande aumento do uso de copos reutilizáveis por parte de clientes. Clientes também trabalham para reduzir seu próprio impacto ambiental. Eles podem solicitar que suas bebidas sejam servidas em uma mug de cerâmica. Como incentivo, a Starbucks oferece um desconto de 10 centavos (nos EUA e no Canadá).

Ao longo dos anos, a Starbucks lançou várias iniciativas para diminuir o impacto ambiental da utilização de copos descartáveis. Em 1997, desenvolveu a tampa reciclável como forma de proteger os clientes de bebidas quentes e evitar o desperdício do uso de “dois copos”. Em 2006, lançou o primeiro copo de papel para bebidas quentes, com 10% de fibra reciclada pós-consumo. Em 2008, produziu um novo copo de plástico com menor impacto ambiental do que os copos de plástico originais. Em 2009, foi apresentado um Cup Summit, em Seattle, unindo todas as facetas da cadeia de valor de copos de papel e plástico, para chegar a um acordo sobre os critérios para uma solução completa de copo reciclável.

Energia

A energia nas lojas corresponde a cerca de 80% de toda a pegada de carbono da rede. A conservação de energia e o aumento da eficiência são duas medidas importantes para minimizar o impacto da Starbucks no meio ambiente. A partir do final de 2010, foi atingida a meta de reduzir o uso de energia em novas lojas em 25% e obter 50% de energia de fontes renováveis em todas as lojas.

A empresa compra energia renovável, que representa 20% da eletricidade total usada nas lojas operadas nos EUA e Canadá. Também investe em nova iluminação, aumentando a eficiência dos sistemas HVAC (aquecimento, ventilação e resfriamento) e outros equipamentos.

Água

O uso da água, desde 2015, foi reduzido em 25%. Para tanto, foram implementadas novas alternativas ao sistema de limpeza dos utensílios e torneiras com baixo fluxo ou aeradores (nas lojas nos EUA), as lavadoras de louça mecânicas usam menos de um galão (4 litros) de água por ciclo, com o uso de braços de borrifação de alta pressão.

Em outros mercados, são utilizadas torneiras de água com pressão para limpar os jarros de liquidificador, em vez de água corrente. Além disso, os partners são treinados para manter limpas as bobinas de refrigeração em máquinas de gelo, a fim de reduzir a quantidade de calor latente das máquinas e minimizar o derretimento de gelo.

Seremos os líderes

Em meio ao rebuliço internacional provocado pela adoção da descriminação religiosa como política de governos, é interessante conhecer o posicionamento de algumas corporações a respeito.

A rede Starbucks, recentemente, manifestou a intenção de contratar mais de 5 mil partners nos próximos anos, com prioridade para refugiados políticos, coerente com o seu Código de Conduta, que diz: “Queremos ser bem-vindos nos lugares onde fazemos negócios. Podemos ser uma força para ação positiva, aproximando nossos partners, clientes e comunidade para contribuir todos os dias. Agora vemos que a nossa responsabilidade, e nosso potencial positivo, é ainda maior. O mundo espera que a Starbucks estabeleça o novo padrão, de novo. E seremos os líderes”.

Paulo Márcio de Mello

Professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

paulomm@paulomm.pro.br