Soja brasileira chega a novo porto na China

Navio com 50,7 mil toneladas do grão brasileiro chegou ao porto de Panjin, no nordeste do país.

Internacional / 13:04 - 11 de jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Navio com 50,7 mil toneladas de soja do Brasil chegou ao porto de Panjin, na Província de Liaoning, no nordeste da China, dando início à programação desse porto para as importações de grãos não só provenientes de portos brasileiros mas também de outras partes do mundo.

Panjin, o quinto porto importador de grãos em Liaoning, é um dos nove terminais aprovados pela administração alfandegária da China para supervisionar as importações de grãos.

Para demonstrar a viabilidade do porto, um cargueiro panamenho atracou anteriormente no Terminal de Grãos de Panjin, permitindo que a soja fosse transferida a uma velocidade de 700 toneladas por hora para um transportador totalmente fechado.

O grão foi enviado diretamente para os moinhos de propriedade da Liaoning Huifu Rongxing Protein Technology.

Panjin é o principal centro de distribuição de grãos e derivados de petróleo da China, com uma série de instalações de processamento de alimentos pertencentes a empresas internacionalmente competitivas, como Beidahuang Group, Yihai Kerry, Beijing Grain Group e COFCO.

 

Conab - O 9º Levantamento da Safra de Grãos 2018/2019, divulgado hoje pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), indica que a produção no Brasil para este período pode chegar a 238,9 milhões de toneladas. Este número representa um crescimento de 4,9% ou 11,2 milhões de t, se comparado à safra de 2017/18. A área plantada deve ficar em 62,9 milhões de hectares e apresentou um crescimento de 1,9%, em relação à safra anterior. Os maiores aumentos de área identificados são de soja, 672,8 mil hectares, milho segunda safra, 795,3 mil hectares e algodão, 425 mil hectares.

A produção do milho primeira safra está estimada em 26,3 milhões de t. O destaque é para a Região Sul do país, que representa mais de 45% desse total. Houve uma redução de 2% na área cultivada para esta cultura, especialmente em Minas Gerais, Maranhão e no Piauí. Já o milho segunda safra teve um aumento de 31,1% na produção, impulsionado principalmente pelos incrementos esperados em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná. A área cultivada também alcançou um acréscimo de 6,9%, em comparação 2017/18.

A soja deve alcançar uma produção de 114,8 milhões de t, 3,7% a menos do que a safra 2017/18. Deste total, 78% estão nas Regiões Centro-Oeste e Sul. Houve um crescimento de 1,9% na área de plantio.

 

Com informações da Agência Brasil, citando a Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor