Sistema cambial para negociações multilaterais

Negócios Internacionais / 15:26 - 16 de mai de 2011

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O governo brasileiro quer retomar o debate sobre a adoção de um outro padrão cambial, que não seja baseado no dólar, nas negociações multilaterais. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Fernando Pimentel, defendeu nesta segunda-feira a discussão sobre o novo sistema durante a reunião com o ministro do Comércio da China, Chen Deming, no Itamaraty. Segundo ele, é necessário rever o sistema atual que prejudica os países em desenvolvimento. "O ministro [chinês] vê com simpatia estabelecermos o início desta discussão, de estabelecer um modelo diferente do padrão internacional. O câmbio é um problema grave para os países emergentes", afirmou Pimentel. Uma das propostas sugeridas por Pimentel é a adoção de uma cesta de moedas. É um recurso utilizado como índice de variação de ativos financeiros para evitar variações bruscas de uma única moeda. É baseado em moedas de diferentes países, em geral os mais ricos, para serem colocados nesta cesta. Há uma média de referência, que corresponde aos direitos de saque no Fundo Monetário Internacional (FMI). Cresce superávit comercial O comércio exterior brasileiro registra bons números. No acumulado do ano, o saldo positivo da balança comercial já chega a US$ 7,489 bilhões, com média diária de US$ 82,3 milhões. No mesmo período de 2010, o superávit foi de US$ 3,634 bilhões, com média de US$ 39,9 milhões. Pela média, houve aumento de 106,1% no comparativo entre os dois períodos. A corrente de comércio somou US$ 157,433 bilhões, com média diária de US$ 1,73 bilhão. O valor é 29,2% maior que a média aferida no mesmo período no ano passado (US$ 1,339 bilhão). Indústria aplaude retaliação Para os presidentes da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a decisão do governo brasileiro de dificultar a importação de automóveis, principalmente vindos da Argentina, foi acertada. Por essa medida, não haverá mais a liberação automática na entrada dos veículos no país. Segundo o presidente da CNI, Robson de Andrade, a decisão do governo "é correta e prudencial. Apoiamos e aplaudimos essa medida. Achamos que está no caminho certo. Não é uma questão voltada para a Argentina, é questão de proteger e de dar isonomia para o mercado brasileiro e para a indústria brasileira com relação ao resto do mundo. Tanto que a medida não afeta apenas as importações da Argentina". Os chineses estão chegando Empresas chinesas têm alto interesse em comprar ou se associar a construtoras brasileiras, anunciou nesta segunda-feira, o diretor-geral da China Investment and Promotion Agency (Cipa), Liu Zuo Zhang, no Encontro Empresarial Brasil-China, na Confederação Nacional da Indústria (CNI). O encontro teve por objetivo discutir as oportunidades de ampliação dos investimentos chineses no país. Coordenador de missão de mais de 40 empresas chinesas de dez setores que participaram do encontro, Zhang enfatizou que, como a maior da América Latina, a economia brasileira apresenta complementaridades com a economia da China que precisam ser aproveitadas. O momento é especialmente apropriado, segundo ele, porque ocorre numa conjuntura de intensa internacionalização das empresas da China Anunciado o 30º Enaex A 30ª edição do Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), o mais tradicional e representativo evento de comércio exterior do país, realizado pela Associação de Comércio Exterior do Brasil - EAB, acontecerá nos dias 18 e 19 de agosto de 2011 (quinta e sexta-feira), no Armazém 2 do Píer Mauá no Rio de Janeiro, Centro. O encontro tem como lema "Competitividade no Comércio Exterior Brasileiro" e objetiva estimular o diálogo entre empresários e autoridades do governo, na busca de soluções para os problemas enfrentados pelos exportadores e importadores brasileiros, e pelos diversos agentes e operadores que atuam no comércio internacional. Informações: Telefone: (+55 21) 2544-0048, e-mail: aebbras@aeb.org.br, site: www.enaex.com.br Sebrae organiza missão O Sebrae/RJestá organizando uma missão à Noruega e à França para empresários interessados em visitar a Nor-Shipping, mais importante evento da indústria naval no norte europeu, e o Centro de Desenvolvimento Marítimo Polo Mer Paca, que fica no sul da França e é considerado o cluster mais importante da Europa, com tradição em inovação tecnológica e desenvolvimento de negócios marítimos. Marcada para o período de 22 de maio a 1º de junho, a missão inclui encontros de negócios com empresas norueguesas e francesas. Os participantes também poderão contar com treinamento preparatório, visitas guiadas com acompanhamento técnico e consultoria e apoio nas negociações. Mais informações ou inscrições, entrar em contato com 0800-570-0800 ou prointer@prointer-pg.co.br Promoção do suco de laranja A CitrusBR, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), lançou campanha para promover o consumo mundial de suco de laranja com o objetivo de aumentar as exportações brasileiras do produto. Estratégia inédita no setor agroindustrial brasileiro, a campanha I Feel Orange tem como foco os usuários de redes sociais e, por isso mesmo, serão utilizadas ferramentas de monitoramento para identificar e atrair o consumidor final. O Brasil é o principal exportador mundial de suco de laranja, responsável por 50% da produção e por 85% do comércio mundial. Somente em 2010, as exportações do suco totalizaram 1,2 milhão de toneladas, gerando receita de US$ 1,77 bilhão. Importando artesanato Nos dias 17 e 18 de maio, oito compradores do grupo El Corte Inglés, rede européia de lojas de departamento com mais de 80 unidades na Espanha e em Portugal, estarão em Brasília com o objetivo de comprar produtos artesanais. A visita faz parte de uma agenda que se iniciou no dia 12 de maio, em Belo Horizonte, e passou, em seguida, por São Paulo. Depois de Brasília, os compradores irão a Manaus, retornando à Europa no dia 22 de maio. Na capital federal, a visita está sendo organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), pelo Sebrae do Distrito Federal e pela Associação Brasileira de Exportação de Artesanato (Abexa). Antonio Pietrobelli editor@exportnews.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor