Sinqia registra crescimento de 18,1% no trimestre

Desempenho orgânico e aquisições contribuem para receita líquida de R$ 38,5 milhões.

Mercado Financeiro / 22:42 - 15 de mai de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Sinqia, provedora de tecnologia para o sistema financeiro, anuncia nesta quarta-feira seus resultados relativos ao 1º trimestre de 2019, revela que receita líquida alcançou a R$ 38,5 milhões. Além do crescimento trimestral de 18,1%, é o maior valor para um primeiro trimestre, Desse aumento, R$ 3,0 milhões foram adicionados de forma orgânica e R$ 2,9 milhões de forma inorgânica, fruto das três últimas aquisições – ConsultBrasil (out/18), Atena (jan/19) e ADSPrev (fev/19). A receita recorrente foi recorde de R$ 32,3 milhões, aumento de 19,5%, representando 83,8% do total, maior percentual da história.

O lucro bruto também alcançou o maior valor em um primeiro trimestre, R$ 12,2 milhões, apesar do aumento nos investimentos em PD&I, ajustes no modelo comercial, e custos extraordinários com integração. De acordo com Bernardo Gomes, diretor presidente, “é importante ressaltar que a lucratividade das empresas adquiridas segue um padrão de ‘curva J’ após as aquisições, inicialmente caindo com os itens extraordinários, e depois crescendo progressivamente conforme tais itens se reduzem e as sinergias vêm à tona”.

As despesas gerais e administrativas atingiram R$ 12,1 milhões, aumento de R$ 4,4 milhões, explicado principalmente por aumento nas despesas extraordinárias com integração, com a consolidação das despesas das 3 últimas aquisições, nas despesas com M&A, e nas despesas extraordinárias com a nova marca.

O Ebitda ajustado alcançou R$ 3,6 milhões, redução de R$ 0,9 milhão sobre o primeiro trimestre de 2018, explicada pelos itens já abordados, que prejudicam a comparabilidade. Assim, a margem Ebitda ajustada se reduziu para 9,3% ante 13,8% no 1º trimestre de 2018.

. “Nunca fizemos tantas aquisições em um período tão curto, foram 3 em apenas 5 meses. Conforme essas aquisições sejam absorvidas, os itens extraordinários vão diminuir, enquanto as sinergias administrativas, comerciais e operacionais irão aumentar”, afirma Gomes. O executivo ressalta que os resultados estão em linha com o planejamento estratégico. “As iniciativas tomadas nos últimos trimestres são muito importantes, estamos certos de que os benefícios, em termos de receitas e margens maiores, serão substanciais. Essa evolução poderá ser vista trimestre a trimestre ao longo deste ano e também nos anos seguintes”, conclui.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor