Shoppings devem contratar mais de 100 mil para vagas temporárias

De acordo com pesquisa realizada pela CNDL, contratações devem somar 103 mil vagas até o fim do ano.

Conjuntura / 16:20 - 21 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Com a chegada das festas de final de ano, o movimento aumenta nas contratações de trabalhadores temporários para o varejo e setor de serviços. Segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) a expectativa de vendas para o Natal deste ano é grande, pois a data promete aquecer as contratações temporárias em shoppings e ser mais lucrativa do que o mesmo período de 2018.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes de Lojistas (CNDL), as contratações devem somar 103 mil vagas até o fim do ano. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), relatou que a taxa de desemprego no país caiu para 11,8% no trimestre encerrado em julho, mas ainda atinge cerca de 12,6 milhões de pessoas.

A busca por trabalhos intermitentes aumenta ano a ano e em uma comparação com o mesmo período do ano passado, serão quase 44 mil postos a mais de trabalho. Com isso, podemos identificar um avanço na economia do segmento de comércio e serviço.

"Caso seja confirmada a previsão, teremos para o período natalino de 2019 o maior volume de contratação desde 2014. Esse crescimento é justificado pela injeção de R$ 30 bilhões proveniente dos saques do FGTS, onde parte desse montante será utilizado para quitar dívidas e uma outra parte está destinado às compras, além da diminuição do número de famílias endividadas em relação ao ano anterior", explica Luís Augusto Ildefonso, diretor institucional da Alshop.

De acordo com os associados da Alshop, os segmentos que terão um aumento nas contratações serão: supermercados, restaurantes, vestuário feminino e masculino, calçados, perfumaria e cosméticos, sendo que aproximadamente 25% desses trabalhadores temporários poderão ser efetivados. E para os novos contratos o salário médio de contratação para esses períodos gira em torno de R$ 1.600, que comparado com o ano passado, não houve mudança.

 

Minas Gerais - Supermercadistas mineiros acreditam que as vendas do setor no Natal deste ano devem ser melhores em relação ao mesmo período do ano passado. A melhora na economia, com a recuperação do emprego, ainda que de forma lenta, somadas à estabilidade dos preços fazem os empresários esperarem um crescimento de pelo menos 3,5%.

Levantamento feito pela Associação Mineira de Supermercados (Amis) com 150 empresários de todo o estado, na primeira semana de outubro revela essa expectativa positiva. Segundo a sondagem da entidade, 40,6% das redes pesquisadas vão contratar temporários para reforçar o atendimento no Natal. Serão cerca de 2% em relação ao quadro fixo, o que representa em torno de 1,6 mil pessoas. No entanto, diversas empresas fornecedoras contratam esses colaboradores para reforçar o atendimento e a apresentação/degustação de produtos. Com isso, o total de profissionais temporários atuando diretamente nos supermercados deve chegar a 3,5 mil.

A outra parcela das empresas que informaram que não vão contratar trabalho temporário ajustaram o período de férias dos colaboradores ao longo do ano para contar com toda a equipe em dezembro.

Os profissionais temporários contratados são, principalmente, para as funções de atendimento, embaladores, operadores de caixa, repositores e para áreas de açougue e padaria. Pela indústria, são, em maioria, promotores de venda e repositores. Cerca de 15% desses temporários são integrados de forma definitiva ao quadro da empresa ao longo do ano.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor