SEG NOTÍCIAS - Seguradoras devem implantar já estrutura de gestão de riscos, diz especialista

Seguros / 17:08 - 20 de mai de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

"Não existe mágica. A norma é complexa, requer muito estudo e precisamos nos preparar desde já", disse Assizio de Oliveira, presidente da Comissão de Controles Internos da CNseg. Ele participou do workshop "Estrutura de Gestão de Riscos - Praticando a Circular Susep 521/2015", promovido pela Editora Roncarati no dia 27 de abril, no auditório da KPMG, empresa apoiadora do evento. Embora as empresas de seguros tenham prazo até dezembro de 2017 para implantar completamente a Estrutura de Gestão de Riscos (EGR), o tempo é curto para decifrar a abrangência, conteúdo e responsabilidades indicadas na Circular Susep 521/2015. Até porque, a norma traz outras exigências antes do prazo final. Em 30 de junho deste ano termina o prazo para entregar à Susep o pedido de dispensa total ou parcial da EGR e em 31 de dezembro para nomear o gestor de riscos. Rafael Kozma, gestor da área de Riscos do Grupo Porto Seguro, reconhece as dificuldades de implantação da EGR. "Trata-se de um projeto multidisciplinar, que envolve finanças, contabilidade, atuarial, controles internos, TI, produtos e outros", disse. Para ele, que iniciou o trabalho de gestão de riscos desde 2012 no Grupo Porto Seguro, composto por 27 empresas, o maior desafio é tornar esse processo tangível dentro da organização, de forma clara e detalhada. "Não subestimem o esforço, a complexidade é muito grande. Falar de apetite ao risco com a alta administração não é simples e reajustar as rotinas das áreas também não é fácil. Por isso, é melhor iniciar o processo o quanto antes para que haja, inclusive, uma adaptação cultural", disse. Para Phelipe Linhares, sócio da KPMG na área de Financial Risk Management, "difícil mesmo é assegurar que outras áreas participem". Daí porque sugere o compromisso de alguém da alta administração, com poder de decisão. Segundo Assizio, a EGR deve ser proporcional à exposição a riscos da companhia e compatível com a natureza, escala e complexidade de suas operações. Também deve estar alinhada com o sistema de controles internos, independentemente de como estejam organizadas suas funções (gestão de riscos, auditoria interna e função atuarial). Podem requerer a dispensa da EGR as companhias que operem exclusivamente o Dpvat ou apenas produtos em run-off. Em relação a riscos, a norma da Susep traz alguns conceitos, como o das categorias, que abrangem, obrigatoriamente, as de subscrição, de mercado, de crédito e operacionais. São opcionais outras categorias, como as de risco estratégico, risco de reputação, de liquidez, risco país etc. O mais desafiador, entretanto, é o conceito de Apetite a riscos, que requer da empresa a descrição dos riscos que decide assumir para alcançar seus objetivos estratégicos. Para Kozma, trata-se da "alma" da Circular 521, porque depende de um plano de negócios e de como a função de risco atua no sentido de atingir os objetivos. Júlio Cesar Ferigo, sócio da KPMG na área de Financial Risk Management, frisou que a capacidade de tomada de risco é diferente do apetite a risco. Segundo ele, o primeiro significa o quanto a empresa pode correr de risco, sem comprometer a sua continuidade ou o enquadramento de capital regulatório. "Teoricamente, a diferença é o excedente de capital ou buffer de capital, que servirá para os momentos de estresse", disse. Assizio citou alguns exemplos de apetite a riscos. "Se o objetivo for aumentar a rentabilidade, por exemplo, então a empresa poderá decidir conquistar mais corretores, abrir mais sucursais, desenvolver mais produtos e assim por diante", disse. O passo seguinte, segundo ele, é identificar os riscos de cada operação, avaliá-los quanto à probabilidade e impacto, escolher os que se deseja correr e definir as respostas mais convenientes aos escolhidos. . Estudo sobre regulação de preços de produtos médico-hospitalares - O presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde (Abimed), Fabrício Campolina, entregou para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, estudo que demonstra que a regulação de preços pode ser prejudicial à cadeia de produtos para saúde. Encomendado pela Abimed à consultoria Tendências, o estudo revela que nos países em que o controle de preços foi praticado, como Japão e França, ele inibiu a pesquisa e a inovação e provocou aumento nos preços médios dos produtos médico-hospitalares - exatamente o contrário do que ocorreu em países que adotam o livre mercado, como EUA e Alemanha. Em linha com as metas do Ministério, cujo foco, segundo Barros, é aumentar a eficiência e a gestão do setor, testar novas tecnologias e "fazer mais com menos", Campolina manifestou ao Ministro a intenção da indústria de contribuir com ideias, estudos e propostas, para melhorar a sustentabilidade do sistema de saúde. A Abimed entende que por meio do uso racional da tecnologia é possível reduzir custos e obter melhores resultados para pacientes e gestores da Saúde. . DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL
A qualidade na prática hospitalar - "Novas dimensões da Qualidade" foi o tema do seminário realizado ontem (19.5) pela Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), na 23ª Hospitalar, em São Paulo. A complexidade da Saúde no Brasil demanda uma visão ampla da qualidade, sob diversos ângulos. Como lembrou o diretor-executivo da Anahp, Carlos Figueiredo, na abertura do evento, os hospitais associados são reconhecidos pela excelência, "mas como medir a qualidade, avaliá-la e aprimorá-la?" Figueiredo destacou que o Institute of Medicine dos EUA definiu, há mais de uma década, a qualidade em dimensões pelas quais o cuidado na Saúde deve ser: seguro, efetivo, centrado no paciente, oportuno, eficiente e equitativo. Na época, foi objeto de estudo no País e, agora, o assunto é retomado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) a partir da ampliação do Programa de Monitoramento da Qualidade dos Prestadores de Serviços (Qualiss). As experiências inovadoras dos hospitais associados da Anahp, apresentadas no Seminário, mostram a liderança dessas instituições no mercado hospitalar brasileiro no que diz respeito a atendimentos que preconizam a qualidade. Ivana Siqueira, superintendente de Atendimento e Operações do Hospital Sírio-Libanês (SP), por exemplo, falou sobre o modelo operacional voltado para a eficiência e segurança, que está sendo desenvolvido no hospital, a partir da construção de um novo prédio, de grandes dimensões, que demandaria um aumento no número do efetivo, o que era inviável. Após estudos para a definição de uma solução, a escolha foi pelo concierge, um serviço hoteleiro, que assumiu as funções de acolhimento, atendimento e controle e tem se mostrado bastante eficiente, otimizando todo o atendimento. A vivência do Hospital Samaritano (SP), em "cultura justa" foi explicada por sua gerente de qualidade, Priscila Rosseto, que destacou ser a cultura da segurança algo extremamente importante para a instituição. Os funcionários precisam entender a responsabilidade que têm no cuidado e em como usar adequadamente a estrutura do hospital para isso, o que vai além de técnica e das melhores práticas, mas depende do cumprimento de evidências e protocolos - o que levou a formação de um grupo de discussão de "cultura justa". Outra experiência sobre a qualidade, apresentada durante o seminário da Anahp, foi a do Hospital A.C Camargo Cancer Center (SP), especializado em oncologia, que criou o Encontro com o Cuidador, um serviço de atendimento aos pacientes que não estão mais internados, mas que podem retornar e necessitam de assistência fora do hospital. Por isso, seus cuidadores devem adquirir conhecimentos para auxiliá-los com os dispositivos em uso, como sondas e outros. Isabel Miranda Bonfim, gerente de Enfermagem do Hospital, mostrou os benefícios do projeto e como são realizados os encontros. Os desfechos adotados pelo Hospital Vita Batel, de Curitiba, após a alta de um processo de cirurgia bariátrica, foi detalhado por Marta Fragoso, gerente do Núcleo de Gestão de Segurança do Paciente Grupo Vita. O hospital de Curitiba é acreditado em Cirurgia Bariátrica pela Surgical Review Corporation e desenvolve um trabalho minucioso com uma abordagem multiprofissional e de interação junto ao paciente, respaldado por uma estrutura física e humana, para garantir a qualidade de vida. As tendências do mercado de saúde e a importância de valorizar as linhas de cuidados dos pacientes dentro das organizações, para as instituições obterem resultados sustentáveis, foram abordadas por Afonso José de Matos, diretor-presidente da Planisa. Luiz Felipe Gonçalves, superintendente médico-assistencial do Hospital Mãe de Deus (RS), falou sobre a metodologia do "Planetree" que o hospital está implantando e a participação do paciente na reestruturação do serviço. Ele lembrou que o cuidado centrado no paciente vai além da questão da qualidade. Por isso, é o foco de todas as instituições, que devem constantemente rever os modelos de atendimento e tecnologias desenvolvidas para um cuidado coordenado, que ainda encontra dificuldades de efetivação, principalmente em sistemas de saúde pouco estruturados, como existem no Brasil. Como o Hospital Israelita Albert Einstein se adaptou às ações e experiências do paciente dentro da visão global foi explicada por Marcelo Alves Alvarenga, gerente médico do Escritório de Experiência da instituição. "Na minha opinião, satisfação faz parte da experiência do paciente, que é algo bem maior, embasada em várias questões que o paciente tem durante o cuidado que recebe dos profissionais e da instituição". Por isso, a experiência deve ser medida sob a ótica do paciente e sob . SEGURO CIDADÃO
Night Run Twist - O IRB Brasil Re, empresa líder em resseguros no Brasil, patrocina a segunda etapa do circuito Night Run Twist, que vai levar esporte e diversão ao Rio de Janeiro na noite deste sábado (21.5). A largada será na Praça Mauá, próximo ao Museu do Amanhã, no centro da cidade. O evento acontece em 11 cidades do Brasil e reúne mais de 150 mil corredores. Um estande da empresa estará no local com backdrop para o grande público poder tirar fotos. Quem postar as imagens com a hashtag #IRBnoEsporte ganhará um brinde exclusivo. A resseguradora também sorteou 25 pares de inscrições para seus colaboradores, que terão direito a uma área reservada no evento, com frutas, isotônicos e água, além de macas para massagem nas pernas. O presidente do IRB, José Carlos Cardoso, destaca a contribuição da empresa para a promoção de atividades ligadas à saúde e à qualidade de vida: "Fazemos questão de incentivar a prática esportiva com foco em bem-estar. Inclusive, temos um programa interno nessa linha, a Operação Equilíbrio, que tem como uma de suas ações o clube de corrida e caminhada para nossos colaboradores". . ONG Vocação, em São Paulo - Cerca de 50 jovens que participam de programas socioeducativos da Vocação (www.vocacao.org.br) assistiram à palestra sobre Educação Financeira realizada na tarde de ontem em uma filial da organização, no Jardim Icaraí (Zona Sul de São Paulo). Na ocasião, a especialista Elisete Cristina Verissimo, superintendente de Mapfre Capitalização, conversou com os participantes beneficiados pelo Programa de Preparação para o Trabalho, que têm entre 15 e 17 anos de idade, sobre os produtos financeiros mais indicados para cada fase e objetivo da vida. "Foi uma conversa muito interessante, pois, mais que apresentar modalidades de investimentos, tivemos a oportunidade de trocar experiências sobre planejamento e orçamento familiar. São temas de extrema importância para esses jovens que em breve estarão no mercado de trabalho e que precisam aprender como administrar suas finanças", comenta Elisete. Durante o encontro, os jovens tiveram a oportunidade de conhecer diferentes modalidades de seguros e ainda entender as principais diferenças e benefícios de produtos como consórcios, capitalizações, previdências e investimentos. A ação faz parte da Semana Nacional da Educação Financeira, que acontece de 16 a 22 de maio, em todo o Brasil. A Mapfre apoia a iniciativa do Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef) para promover a Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef), que reúne iniciativas gratuitas sobre temas como planejamento e orçamento familiar, investimentos, previdência e seguros, entre outros. Elisete Cristina Verissimo, superintendente de Mapfre Capitalização, conversou com cerca de 50 jovens, que participam de programas socioeducativos da Vocação, sobre educação financeira Em um cenário cada vez mais afetado pela instabilidade financeira, o planejamento e a utilização do seguro surgem como uma alternativa de proteção aos riscos econômicos, estabelecendo um senso de mitigação de perdas e de confiança financeira. Da mesma forma, entender o que são os produtos de acumulação, como consórcio, previdência e capitalização, e saber quando e como investir faz muita diferença na rotina das pessoas. "Na Mapfre acreditamos que tão importante quanto oferecer produtos e serviços é investir na promoção da cultura de proteção, disseminando informações para que as pessoas entendam a importância do seguro para reduzir o risco de vulnerabilidade, principalmente entre as camadas mais afetadas e suscetíveis a esse tipo de risco. Por isso, conversas como esta que tivemos hoje com os jovens da Vocação são tão valiosas para nós", afirma. Em linha com esse posicionamento, a Mapfre procura levar a um número cada vez maior de pessoas, a relevância do seguro como uma ferramenta capaz de garantir um futuro sustentável e tranquilo. "Ao fortalecer a cultura de proteção e do planejamento familiar, estamos colocando a sustentabilidade em prática, ampliando o diálogo com a comunidade. Este é mais um exemplo de como a integração dos aspectos socioeconômicos, ambientais e de governança estão mudando os modelos de negócio, trazendo um novo olhar e fortalecendo uma visão de longo prazo. Temos um importante trabalho a conduzir, para que cada vez mais pessoas tenham condições de planejar suas vidas e de suas famílias", explica a especialista. A Vocação, novo nome da instituição Ação Comunitária, foi criada por executivos do segundo setor na década de 1960 e sempre atuou em parceria com lideranças comunitárias na busca de soluções para os problemas sociais. Desde sua criação, a Vocação atua com vasta experiência no desenvolvimento pleno de crianças e jovens, a fim de construir uma sociedade rica em oportunidades. Também adquiriu expertise em transferir conhecimentos para que empresas atuem nas comunidades ao seu redor. "Nosso trabalho é promover ações que contribuam para que os jovens reconheçam que suas escolhas, o seu conhecimento sobre o orçamento familiar, e o próprio consumo são fatores importantes que influenciam a estruturação do seu projeto de vida. Por isso, acreditamos que a conversa tenha sido muito enriquecedora", afirma Tiago Fernandes, orientador pedagógico responsável pela unidade Icaraí. A instituição recebe apoio da Fundación Mapfre desde 2009, por meio do programa Formando Comunidade, que fomenta a educação, a nutrição, a saúde e o acesso ao mercado de trabalho de crianças e jovens em situação de exclusão social através do financiamento de determinados itens orçamentários inclusos em um convênio. O Formando Comunidade é um programa vivo que une o compromisso da Fundación Mapfre de estimular a educação como meio de acesso a melhores condições de vida. . Museu Itinerante Se Prepara Brasil - As cidades de Vitória (ES) e Goiânia (GO) foram apenas os pontos de partida, no dia 30 de abril. De lá para cá, o Museu Itinerante Se Prepara Brasil - O Caminho do Esporte até o Rio, promovido pelo Grupo Bradesco Seguros, percorreu cerca de 5 mil kg e recebeu a visita de mais de 17 mil pessoas, que puderam se emocionar no contato com a história dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Vitória (ES), Porto Seguro (BA), Itabuna (BA), Salvador (BA), Feira de Santana (BA), Aracaju (SE), Goiânia (GO), Brasília (DF), Palmas (TO), São Luís (MA) e Belém (PA) foram os destinos já visitados pelo projeto, que no momento segue sua trajetória nas regiões Norte e Nordeste. A cidade com o maior número de visitantes até o momento foi Aracaju, que contou com mais de 2.100 pessoas nos dois dias de exposição (16 e 17 de maio). O Museu ficou localizado na região central da capital sergipana, na Praça General Valadão. O Museu Se Prepara Brasil começou no dia 30 de abril e irá até 18 de setembro. Após completar um percurso de cerca de 30 mil km por 45 cidades em todo o território nacional, os veículos se encontrarão em agosto, no Rio de Janeiro, onde ficarão expostos durante os Jogos Rio 2016 nos Bulevares Olímpicos Parque Madureira e Porto Maravilha. Dividido em cinco seções - "História", "Esportes", "História Brasileira", "Curiosidades" e "Rio 2016" - o Museu Itinerante Se Prepara Brasil apresenta peças que retratam todas as edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Dentre os objetos, destacam-se as réplicas das medalhas de prata e bronze dos Jogos Olímpicos de Atenas, em 1896, e da carta do Barão de Coubertin, criador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, na qual, em 1913, aparece pela primeira vez a imagem dos aros olímpicos; Tochas Olímpicas, pictogramas e medalhas de diversas edições; além de imagens de atletas brasileiros e internacionais, entre elas a equipe de tiro do Brasil nos Jogos da Antuérpia, em 1920, primeira vez que o país disputou o evento esportivo. Há também vídeos temáticos e totens interativos. Os atletas-embaixadores Bradesco Seguros Giba e Leila, medalhistas olímpicos, estarão presentes em algumas cidades para interagir com o público, assim como as mascotes dos Jogos Rio 2016, Vinicius e Tom, e do Time Brasil, Ginga. O Museu Itinerante Se Prepara Brasil tem patrocínio do Grupo Bradesco Seguros e do Ministério da Cultura. A iniciativa tem a concepção da agência Gael e curadoria da Base7 Projetos Culturais. . ENDOSSANDO
Diretor da Bradesco Saúde é eleito um dos "100 Mais Influentes da Saúde" Flávio Bitter, diretor da Bradesco Saúde e da Mediservice, foi eleito um dos "100 Mais Influentes da Saúde". O prêmio será entregue nesta sexta-feira, 20 de maio, durante a Feira+Fórum Hospitalar 2016, em São Paulo. "100 Mais Influentes da Saúde" é promovido pelo Grupo Mídia, que edita a revista Healthcare Management, especializada em gestão de saúde, pesquisa e inovação na rede de hospitais e clínicas. Em sua quarta edição, o prêmio abrange diversas categorias da comunidade de saúde, incluindo profissionais de hospitais, laboratórios, indústrias e operadoras de planos de saúde que mais se destacaram no último ano. No total são 20 categorias, com cinco nomes eleitos em cada uma delas. "A sustentabilidade da saúde suplementar exige de seus líderes uma responsabilidade indelegável na discussão e proposição de novos modelos que organizem melhor o sistema", afirma Flávio Bitter, que receberá o prêmio na categoria Saúde Suplementar. "2015 foi um ano complexo para a saúde suplementar, mas adespeito da crise econômica, me orgulho de fazer parte de uma equipe que manteve a Bradesco Saúde na rota de crescimento, ampliando o número de clientes na carteira de pequenas e médias empresas, que alcançou um milhão de segurados, consolidando sua liderança. Com mais de 16 anos de experiência no mercado, Bitter atua também como vice-presidente da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), que congrega 18 dos principais grupos de operadoras de planos de saúde no Brasil, além de integrar o conselho da ASAP - Aliança para Saúde Populacional. Engenheiro, tem mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio e Advanced Management Program (AMP) pela Columbia Business School. . Chubb realiza coquetel em Porto Alegre No último dia 18, realizou-se o primeiro evento da nova Chubb no Rio Grande do Sul. Um expressivo público composto por corretores de seguros e parceiros de negócios compareceu à celebração, no Hotel Sheraton, em Porto Alegre. Os convidados foram recebidos pelos principais executivos da Companhia, entre eles Luiz Antonio da Fonseca, Vice-presidente de Distribuição da Chubb no Brasil. "O mercado gaúcho é extremamente importante para a Chubb e, por isso, viemos comemorar o início desta nova fase, repleta de grandes oportunidades para a companhia e seus parceiros do Rio Grande do Sul", comentou Luiz Antonio. Na ocasião, o executivo destacou que a seguradora está alicerçada em três premissas fundamentais: subscrição, atendimento e execução superiores. "Juntos, estes três valores se traduzem em habilidade técnica superior em seguros", afirmou o Vice-presidente. . G6 é a nova assessoria de imprensa da Progetto Corretora de Seguros A g6 Comunicação é a nova agência de comunicação da Progetto Corretora de Seguros. A partir de hoje, a g6 passar a responder pela assessoria de imprensa da corretora e também pelo gerenciamento e produção de conteúdos para as suas redes sociais. A Progetto completa 30 anos de atuação em 2016, sob o comando do seu fundador Adevaldo Calegari. A corretora atua em todos os segmentos de mercado e conta hoje com uma carteira ativa com quase 5 mil clientes. Especialista em gerenciamento de riscos, Calegari também é vice-presidente da Câmara dos Corretores de Seguros de São Paulo, diretor de Microsseguros da Associação Paulista dos Técnicos de Seguros, membro da diretoria do Instituto Brasileiro de Autorregulação do Mercado de Corretagem de Seguros, de Resseguros, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta (Ibracor) e mentor do Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo. O executivo está à disposição da imprensa para entrevistas sobre a Progetto e também sobre o mercado brasileiro de seguros. . Aplicativo chinês de consulta médica recebe financiamento recorde Um site que fornece aos usuários com consulta instantânea de médicos recebeu US$ 500 milhões em uma rodada de financiamento, a maior soma única na área médica online da China, anunciou na quinta-feira a companhia do site. O Ping An Good Doctors, da Ping An Insurance, está avaliado em US$ 3 bilhões após o financiamento. Os investidores incluem fundos de ações domésticos e estrangeiros, empresas estatais e instituições financeiras. O investimento foi pago totalmente, acrescentou. O aplicativo Ping An Good Doctors, lançado em abirl de 2015, tem mais de77 milhões de usuários registrados. A companhia contratou mil médicos a tempo integral e 50 mil a parcial. Wang Tao, CEO do Ping An Good Doctors, indicou que a companhia oferece uma utilização eficiente dos recursos médicos.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor