SEG NOTÍCIAS - Brasileiro está mais preocupado com saúde bucal

Estudo analisa dados de planos odontológicos, registra aumento de 23% na sua utilização e indica que setor tem espaço para crescer.

Seguros / 17:54 - 14 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O número de beneficiários vinculados a planos exclusivamente odontológicos cresceu mais de 10 vezes entre 2000 e 2018. De acordo com o "Painel da odontologia suplementar", levantamento realizado pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (Iess), o setor saltou de 2,3 milhões de beneficiários para 23,6 milhões no período analisado.

O estudo analisa os dados consolidados de 2014 a 2018 e dá importantes indícios que justificam o crescimento expressivo registrado no segmento. Um comportamento, aliás, que deve se manter nos próximos anos. "O custo mais acessível deste tipo de plano, certamente, é um diferencial. Contudo, o Painel da odontologia suplementar revela que o brasileiro está, de modo geral, cada vez mais preocupado com sua saúde bucal", revela José Cechin, superintendente-executivo do Iess.

Apenas em 2018, o setor de saúde suplementar contabilizou 176,2 milhões de procedimentos odontológicos. Um aumento de 23% em relação aos 143,2 milhões registrados em 2014. Cechin destaca que mais importante do que o aumento absoluto no total de procedimentos, o que revela o interesse do brasileiro por este serviço, é o incremento no total de ações com foco em prevenção.

A quantidade de procedimentos preventivos aumentou 52,3% entre 2014 e 2018. Houve um salto de 47,2 milhões para 71,8 milhões. No mesmo período, o total de atividades educativas individuais avançou 49,4% e, a aplicação tópica de flúor por hemi-arcada, em 40,7%. Além disso, em 2014, foram realizadas 12,4 milhões de consultas odontológicas iniciais. O total tem aumentado ano a ano até chegar a 15,3 milhões em 2018. O que revela, por si só, o interesse crescente pelos tratamentos odontológicos.

Enquanto o total de beneficiários cresceu 19,3% entre 2014 e 2018, subindo de 19,8 milhões para 23,6 milhões, as despesas assistenciais pagas pelas Operadoras de Planos de Saúde (OPS) exclusivamente odontológicas para custear os serviços utilizados pelos beneficiários em suas carteiras avançou 20,1%. Subiu de R﹩ 2,6 bilhões para R﹩ 3,1 bilhões.

.

Questões de saúde são as maiores preocupações para alemães

Os alemães estão mais preocupados em se tornar um caso de enfermagem por doenças como demência na velhice, de acordo com um estudo publicado pelo Instituto Allensbach (IfD Allensbach) na quarta-feira.

Os riscos à saúde continuam no topo da "lista muito pessoal de preocupações da população alemã". O estudo anual do instituto, encomendado pelo Centro de Estratégia e Liderança Superior (GLH), é compilado desde 2011.

Os efeitos das mudanças climáticas são a segunda maior preocupação dos alemães: 40 % dos entrevistados disseram que estavam "muito preocupados" com as mudanças climáticas, seguidos por doenças com risco de vida, como o câncer, com 35%.

Como resultado da sólida economia da Alemanha, as preocupações econômicas pessoais "diminuíram continuamente" nos últimos sete anos. Em 2013, quase metade de todos os alemães ainda estava muito preocupada com possíveis perdas de renda. Este número já caiu para apenas cerca de um quarto.

Por outro lado, muitos alemães estão negativos quanto ao desenvolvimento da situação de segurança na Alemanha. Segundo o estudo, cerca de dois terços dos alemães estão "muito preocupados com o aumento da violência e do crime, bem como com as tendências extremistas na Alemanha".

.

Cresceu a venda de medicamentos para diabetes e insônia em 2019

Uma rotina puxada e maus hábitos de saúde podem trazer uma série de malefícios à saúde, além do desenvolvimento de distúrbios como insônia e diabetes. Prova disso é o aumento nas vendas de medicamentos para estes problemas de saúde, que, segundo o aplicativo Farmácias App, tiveram uma alta de 20% e 12% comparado a 2018, respectivamente.

De acordo co o levantamento, os medicamentos para diabetes que mais venderam foram os de classe agonista (medicamento injetável para controle do nível de açúcar no sangue em pacientes que não estão controlados com o tratamento existente), com crescimento de mais de 44%. A classe de antidiabéticos inibidores da proteína SGLT2 (tratamento para melhorar o controle glicêmico em conjunto com dieta e exercícios) registrou aumento de quase 38% em relação a 2018.

Já os medicamentos da classe hipnótica e sedativa, indicados para o tratamento da insônia, tiveram um crescimento considerável nas vendas em 2019, alcançando 20% no comparativo com o ano anterior.

Alguns indicadores explicam a alta nas vendas destes medicamentos, afirma Marcos Caseiro, professor do curso de Medicina da Universidade São Judas. "No caso da diabetes, o aumento vai de encontro a uma tendência mundial: o aumento da obesidade. Além disso, o consumo de alimentos hipercalóricos como massas e açúcares tem aumentado exponencialmente, o que potencializa o desenvolvimento da doença", explica o especialista.

"Já analisando a insônia, é uma doença que está atrelada ao ritmo de vida e o nível de estresse da população. Muitas pessoas têm um dia ruim devido à falta de sono adequado e acabam aderindo aos medicamentos para solucionar este problema e, em alguns casos, ficam até dependentes destes remédios", completa Marcos Caseiro.

.

Seguro de crédito Ainda que o seguro de crédito traga os benefícios de proteção contra inadimplência e análise/monitoramento da carteira de risco de crédito, a sua contratação pelo empresariado brasileiro ainda acontece muito lentamente.

Para o diretor comercial da Euler Hermes no Brasil, Luciano Mendonça, "muitas empresas acabam não levando em consideração que o valor pago para a contratação do seguro é muito menor do que o risco ao qual elas estão expostas."

Ele continua: "Com o seguro de crédito, a empresa se torna mais segura para conquistar novos clientes, explorando novos mercados, e assim expandindo ou criando linhas de negócio que para alavancar as vendas."

Mendonça lista abaixo nove principais mitos a respeito do seguro de crédito presentes no mercado e explica como o serviço realmente funciona na prática:

Negociar com grandes empresas oferece riscos menores. "A maioria de nossos clientes estão na mesma situação, mas eles não usam o seguro de crédito apenas para proteção. Muitos contratam a Euler Hermes para abrir linhas de crédito maiores com clientes sólidos, evitar riscos de concentração e expandir suas vendas com segurança, nacional e internacionalmente. Além disso, nem sempre o tamanho da empresa é uma garantia de que não trará prejuízos. Basta analisarmos a quantidade de grandes empresas que pediram recuperação judicial nos últimos anos: muitas entraram em insolvência repentinamente, e causaram perdas de dezenas de milhões."

O seguro de crédito é muito caro. "Muitos de nossos clientes tinham a mesma questão antes de trabalhar conosco. Também compararam o preço do prêmio com seu histórico de perdas. Eles não perceberam que o seguro de crédito poderia ajudá-los a gerar vendas adicionais e compensar o investimento no seguro. Em muitos casos a adição de apenas um ou dois clientes adicionais foi suficiente para retornar o investimento com o seguro e nossos serviços. Ademais, o prêmio do seguro é devolvido na maioria das vezes: o seguro é feito para que seja usado, gerando pagamento de indenização. Quando a seguradora paga indenização pelas perdas ao segurado, ela está na verdade devolvendo parte do prêmio pago. Em outras palavras, o seguro saiu mais barato do que inicialmente se previu."

A nossa margem é muito pequena. "A maioria dos nossos clientes vêm de indústrias de commodities onde suas margens são muito pequenas. Todos viram ROI (retorno sobre o investimento) em suas apólices mesmo sem ocorrência de sinistros. Isso foi comprovado pela expansão das vendas, aumento da receita e dos lucros, e não somente por indenizações sobre perdas. Este é provavelmente o único seguro que oferece isso. Se porventura uma perda ocorrer no processo, não há interrupção no fluxo de caixa da empresa."

Após pesquisa, percebemos que o seguro de crédito não era uma boa opção. "Trabalhamos com várias empresas dos mais diferentes ramos e muitas acreditavam que não precisavam de seguro de crédito, mas agora se deparam com desafios da indústria, como a necessidade de expandir vendas sem aumento do risco ou diminuir as reservas de provisão de perdas para se ter mais capital de giro e investimento. Nesses casos, o seguro de crédito se mostra uma ferramenta de grande valor para ajudá-los a superar estes desafios."

Temos um advogado que lida com essa questão. "Quando entramos nessa questão, muitas empresas acabam se atentando apenas na parte da cobrança, porém, uma seguradora de crédito não é uma agência de cobrança. Na realidade, fazemos o seguro do contas a receber da empresa para garantir o pagamento ao invés de cobrar. Trabalhamos com empresas que consideram nosso programa de seguro muito mais adequado do que pagar advogados para recuperar dívidas."

O seguro só irá cobrir as "contas boas". "Na verdade, é possível fazer uma contratação do seguro de diferentes formas, cobrindo 100% da carteira de clientes da empresa ou então apenas uma parte, uma vez que existem novas linhas de apólices mais flexíveis e que se adequam melhor às necessidades da empresa. Qualquer que seja a composição da sua carteira de clientes, o seguro será útil. Se houver perdas em clientes não aceitos pela seguradora, esta fez a análise e o preveniu sobre o risco que sua empresa está vivendo. Se houver perdas em clientes cobertos pelo seguro, ainda melhor, sua empresa está protegida. Em qualquer situação o seguro é uma ferramenta de boa governança da sua empresa."

O departamento de crédito já cuida disso. "A maioria das empresas com que trabalhamos possuem departamentos de crédito fortes. O que essas empresas descobriram foi que uma gestão de crédito forte pode levar a algumas restrições de venda. Ao trabalhar em conjunto com o departamento de crédito para colocá-lo em uma posição de risco mais forte do que a atual, nossos programas ajudam a ampliar linhas de crédito para harmonizar vendas e crédito e se proteger contra uma inadimplência inesperada. Isso contribui para as vendas e resultados, é uma parceria das áreas de crédito. Ademais, departamentos de crédito próprios não garantem pagamento contra as perdas. No máximo, fazem a melhor recomendação de crédito, mas não podem garantir que aquele cliente via honrar o pagamento das compras de hoje."

A minha empresa utiliza cartas de crédito. "Observamos uma tendência de empresas, que tradicionalmente usavam cartas de crédito, migrando para seguro de crédito porque é muito mais flexível e rentável ao longo da cadeia de fornecimento. Muitos dos nossos segurados usavam cartas de crédito para se proteger contra inadimplência, mas perceberam que, quando optaram pelo seguro de crédito, podiam expandir as vendas com mais segurança e restringir menos as condições aos seus clientes."

E utilizamos uma factoring. "Muitas companhias recorrem a factorings e o seguro pode ser um benefício nesse intermédio. E a maioria das companhias que o fazem percebem que seguro de crédito é uma forma muito mais eficiente de operar e ao mesmo tempo obter formas mais tradicionais e atraentes de financiamento."

.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Cursos de fevereiro Todos os meses, o Centro de Simulação e Pesquisa do Hospital São Camilo oferece uma série de cursos da área da saúde, com o objetivo de trazer informação ao público leigo e promover a capacitação de profissionais do setor.

Em fevereiro, os interessados aprenderão a realizar primeiros socorros em adultos, além de saber como proceder diante de uma parada cardiorrespiratória ou engasgos.

Também faz parte da agenda do mês um curso voltado para todas as pessoas que desejam aprender os principais cuidados necessários ao recém-nascido.

Os eventos serão realizados entre os dias 18 e 26 de fevereiro no Centro de Simulação e Pesquisa São Camilo, localizado à Avenida Pompeia, 1.050 - Vila Pompeia, Zona Oeste da capital.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.hospitalsaocamilosp.org.br.

.

SEGURO CIDADÃO

Dia Mundial do Câncer A União Internacional Contra o Câncer (UICC) definiu que o Dia Mundial do Câncer deve ser lembrado no dia 4 de fevereiro como forma de aumentar a conscientização da população sobre a doença. Os avanços das pesquisas para o diagnóstico e o tratamento dos diversos tumores têm contribuído para a cura de milhares de pacientes em todo o mundo.

Ramon Andrade de Mello, médico oncologista, professor da Disciplina de Oncologia Clínica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal), aponta o uso dos testes genéticos como um grande aliado na prevenção, diagnóstico e tratamento dos tumores cancerígenos. "Essa é uma área que tem avançado muito nos últimos anos e esses testes estão cada dia mais próximos da população. Com o diagnóstico genético, estamos inclusive olhando para particularidades que possam evoluir para um tumor. Assim, podemos tomar medidas preventivas com muita antecedência", explica o especialista.

O professor da Unifesp esclarece ainda que as pesquisas genéticas contribuem para o avanço da produção de medicamentos específicos para cada caso de tumor cancerígeno: "Isso nós chamamos de terapia-alvo. O medicamento foi produzido para atuar impedindo a replicação da molécula de determinado tipo de câncer. Esse é o novo cenário no tratamento da doença, que está ajudando a salvar vidas".

O especialista aponta que o rastreamento oncológico vai se tornar uma opção cada vez mais frequente. A partir de uma primeira avaliação clínica, analisando hábitos e antecedentes cirúrgicos, o profissional poderá realizar um planejamento de rastreamento individualizado, de acordo com o perfil clínico do paciente. "A partir dos 50 anos de idade, pacientes que fumam mais de dois maços de cigarro por dia, aqueles com antecedentes de câncer na família, entre outros, indicamos o procedimento como forma de prevenção", esclarece o oncologista.

A avaliação analisa ainda fatores de risco como os ambientais, ocupacionais (como atividades laborais de risco com exposição frequente a resíduos causadores de tumores cancerígenos), exposição solar, entre outros. "Na suspeita de tumor maligno, o diagnóstico deve ser feito com biópsia, normalmente seguido por radiologia e outros exames que serão prescritos a critério do médico para cada caso", explica Ramon Andrade de Mello.

O tratamento para cada caso pode depender de uma avaliação de uma equipe médica, geralmente formada por um oncologista e especialistas de outras áreas. O tratamento pode ser feito por radioterapia, quimioterapia, imunoterapia ou terapia-alvo. "É importante ressaltar que, quando mais precoce diagnosticado o tumor, maiores serão as condições de resultado positivo do tratamento. Por isso, a visita frequente ao médico é um fator essencial na prevenção", aponta.

.

Café da manhã equilibrado previne diabetes e doenças cardiovasculares

O café da manhã é uma das refeições mais importantes do dia. Responsável por conceder a energia necessária para a realização das atividades diárias, a refeição também mantém a pessoa alerta, disposta e com o metabolismo funcionando bem - durante a noite, para que o corpo consiga descansar, o metabolismo se torna mais lento e a partir do desjejum, volta ao funcionamento normal.

Estudo da Universidade Columbia, nos Estados, constatou que pessoas que pulam o café da manhã, tendem a beliscar mais durante o dia e principalmente à noite, o que pode favorecer o exagero de comida e consequentemente resultar em ganho de peso, inflamação e resistência à insulina favorecendo assim a diabetes e doenças cardiovasculares.

A especialista em Nutrição e Educação Física Sue Lasmar aponta que para que o café da manhã cumpra seu papel, ele precisa ser completo, rico em proteínas, minerais, vitaminas e carboidratos. "Comer bem durante a manhã evita que haja exageros na hora do almoço pois, ajuda a prolongar a sensação de saciedade", explica.

Sue Lasmar aponta ainda que pular essa refeição também atrapalha o processo de emagrecimento. "Ao ficar sem comer, o corpo começa a fazer reservas de gordura e dificulta o ganho de massa muscular", garante.

.

ENDOSSANDO

Clube da Bolinha Dois associados tomaram posse e dois membros licenciados retornaram ao convívio dos colegas da confraria no último jantar da confraria, realizado no início da semana, no Hotel Windsor Leme. Nem a noite chuvosa impediu o grande comparecimento dos associados. O primeiro jantar do ano do Clube da Bolinha foi movimentado. Durante o evento, logo após o sorteio de brinde para os aniversariantes de dezembro, janeiro e fevereiro, dois novos associados tomaram posse. São eles: Salvador Cícero Velloso Pinto e João Carlos Gahyva Rodrigues.

Retornaram ao convívio do Clube os associados licenciados Rogério Carneiro de Mendonça e Fausto José Toneloto. E três novos candidatos a confrades foram apresentados: o diretor financeiro do Grupo Capemisa, Márcio Koenigsdorf, indicado por seu padrinho Márcio Teixeira de Carvalho, diretor da Capemisa; o procurador da Advocacia Geral da União (AGU), em exercício na Superintendência de Seguros Privados (Susep), Irapuã Beltrão e o executivo de estratégia de cliente da Brasilcap Capitalização, José Antônio Maia Piñeiro. Ambos tendo como padrinho o reitor do Clube, Neival Rodrigues Freitas.

"Mais uma noite agradável e de confraternização entre os confrades, garantindo o clima de harmonia e alegria que reina nas reuniões do Clube da Bolinha", comemorou o reitor Neival Rodrigues Freitas.

.

Hospital de olhos - Em grandes e médias cidades, as pessoas já estão bastante habituadas com serviços de delivery. Ninguém mais precisa se deslocar para se alimentar, fazer supermercado, comprar medicamentos ou pegar resultados de exames. Conveniência é palavra de ordem e está chegando, aos poucos, aos serviços de saúde. Unidades móveis estruturadas em barcos e aviões são utilizadas Brasil adentro há bastante tempo para atender populações ribeirinhas e indígenas. Mas nos centros urbanos, onde o deslocamento representa um grande gargalo para o desenvolvimento, muita gente deixa de cuidar da saúde para não perder um dia de trabalho. Pensando nisso, o Hospital de Olhos Eye Care - centro de excelência no atendimento oftalmológico - investiu em duas unidades móveis logo de início. "O Eye Care Truck é uma unidade móvel idealizada para atender tanto nossos projetos sociais quanto clientes corporativos", afirma Renato Neves, diretor-presidente do hospital.

Neves explica que cada unidade foi projetada como uma clínica de ponta, contendo todos os equipamentos necessários para procedimentos de baixa, média e alta complexidade. "Além de completa estrutura diagnóstica e ambulatorial, temos uma equipe médica especialmente treinada para esse tipo de atendimento, desde a simples prescrição de óculos e adaptação de lentes de contato, até tratamento de glaucoma, catarata, doenças da córnea e da retina. Os trailers contam ainda com centro cirúrgico para realização de cirurgias a laser. Isso nos permite oferecer um completo atendimento e flexibilizar horários - o que é muito conveniente para empresas, escolas, creches, residenciais de idosos, clubes, associações, prefeituras etc. Todo paciente tem um prontuário eletrônico e seus dados são centralizados no hospital, podendo ser facilmente acessados em qualquer circunstância".

Ao investir nas unidades móveis, o médico calcula um aumento de 20% no volume de atendimentos do hospital, que já era grande. No Eye Care Hospital de Olhos costumam passar cerca de 200 pacientes/dia. "Várias empresas, especialmente indústrias localizadas na grande São Paulo, contam com nosso atendimento durante a semana de prevenção a acidentes de trabalho (SIPAT). Calculamos que em 2020 a demanda pelo serviço móvel seja 30% maior, já que tempo livre é uma regalia que quase ninguém tem".

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor