Advertisement

SEG NOTÍCIAS - 18.06

Nova campanha do Dpvat traz histórias de superação de vítimas de trânsito

Seguros / 13:51 - 18 de Jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

"A superação nos inspira". Este é o mote da nova campanha de mídia do Seguro Dpvat, que será veiculada nacionalmente desde 14 de junho. A proposta é ampliar o conhecimento sobre o direito ao benefício social, que protege os mais de 209 milhões de brasileiros em casos de acidentes de trânsito. Desenvolvida em parceria com a Agência 3, a campanha apresentará histórias reais de beneficiários do Seguro Dpvat que, apesar das dificuldades pós-acidente, seguiram em frente com ajuda do seguro. Uma delas é a de Melina Reis, bailarina que voltou a dançar após amputação de parte da perna esquerda.

A dançarina foi vítima de um acidente de trânsito quando a motocicleta na qual estava foi fechada por um automóvel em um cruzamento. A batida atingiu diretamente sua perna, resultando em uma fratura exposta. Foram anos de tratamento até que, em 2014, o quadro se agravou e Melina decidiu pela amputação. Para continuar a fazer o que mais amava, dançar balé, ela contou com o apoio de um médico de Campinas, que desenvolveu a primeira prótese para balé do mundo.

De volta à rotina da dança, Melina se orgulha dos passos traçados até aqui. "Eu, quando olho para trás e vejo toda a minha caminhada, percebo que minha maior conquista foi não desistir dos meus sonhos, mesmo nos momentos em que recebi muitos retornos negativos. Mas com a ajuda das pessoas certas, tudo se realizou", diz.

A história da Melina será contada em uma websérie de cinco capítulos, destacando a perseverança da bailarina e a importância do Seguro Dpvat nas histórias de superação das vítimas de acidente de trânsito. Os filmes mostrarão a trajetória da bailarina até se apresentar em um grande teatro do Rio de Janeiro, e poderão ser conferidos em www.estamosaquiparavoce.com.br.

.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Insurtech - I - O posicionamento da Wiz, maior gestora de canais de distribuição de seguros e produtos financeiros do país, com mais de 45 anos de expertise, como um marketplace de soluções para o mercado segurador foi destaque no encerramento do Insurtech CQCS, nesta quinta-feira (13). Convidado do evento, o CEO da Wiz, Heverton Peixoto, revelou que a reinvenção dos atendimentos de presença física complementada com a atuação remota por meio da venda multicanalidade é a aposta da Wiz para o futuro do mercado de seguros no Brasil.

"A realidade de bancassurance está mudando. Vender no balcão vai ser diferente e os efeitos desse mercado atingem todo corretor independente do Brasil. Estamos diante da mudança de comportamento do consumidor, do perfil das agências, da oferta de produtos e também da rentabilidade", afirmou Peixoto. Em contraponto com a opinião de outros players, o executivo ressaltou que o corretor será cada vez mais importante na cadeia para conectar seguradoras, startups, insurtechs: "O corretor assumirá o papel de integrador de diversas seguradoras, ele que oferecerá a relevância e o atendimento de qualidade ao cliente".

A recente associação da Wiz com o Banco Inter para potencializar as vendas de seguros, previdência privada e consórcio da instituição financeira foi mencionada por Peixoto como uma resposta prática sobre os novos rumos da oferta de produtos para as seguradoras, canais de vendas e fornecedores. "A Wiz é protagonista do processo de transformação digital do bancassurance no Brasil. Investimos em tecnologia não apenas para a otimização interna de processos e ferramentas, mas também para a geração de novos negócios", explicou.

No mesmo painel, Claudia Papa, vice-presidente de Mass Channels Brasil da Generali, apresentou o modelo de negócio com canais de venda e distribuição de seguros em lojas de varejo, destacando o impacto social do acesso ao público de baixa renda. A segurança das informações e as ferramentas mobile foram abordadas por José Roberto Musa, Chairman da Pontonet.

O convidado internacional do CQCS Insurtech Jonathan Kalman, fundador da EOS Venture Capital, descreveu o momento do setor como uma metamorfose: "A tecnologia traz mudanças que impactam o mercado e elas são inevitáveis. Em 10 anos essa indústria terá se reinventado". Segundo ele, na última década, nos EUAs foram investidos U$ 3 bilhões em empresas de TI cujo propósito é transformar o mercado de seguros. "Centenas de empresas financiadas tentam resolver problemas e criar competitividade para o setor", ressaltou.

O desafio de criar um ecossistema de inovação foi destacado por Gustavo Doria, fundador do CQCS e idealizador do Insurtech. Ele entende como urgente a necessidade de mudar a imagem que o segurado tem de que o seguro é um "mal necessário", transformando-a em uma ideia de liberdade para o cliente. "Sou um inconformado e quero ver o corretor de seguros na vanguarda da distribuição. Estamos na frente dessa cadeia, não podemos andar a reboque. Temos que testar modelos e serviços com os clientes e avançar o mercado", destacou Doria.

.

Insurtech - II - A 88i, plataforma de serviços digitais para a distribuição de seguros, foi a grande vencedora do CQCS Insurtech Challenge, que aconteceu nos dias 12 e 13 de junho, em São Paulo. Rodrigo Ventura, CEO e fundador do aplicativo, defendeu a startup e saiu como o grande vencedor do desafio. No CQCS Insurtech Challenge, as Insurtechs mais antenadas do mercado brasileiro tiveram a oportunidade de apresentar seus negócios para investidores, stakeholders e CEOs da indústria do seguro.

"Esta conquista é muito importante para a 88i, pois conseguimos mostrar que a nossa startup está fazendo a diferença no mercado de seguros no Brasil", destaca Ventura

A 88i foi avaliada por agências reguladoras, seguradoras, Insurtechs, investidores, prestadores de serviços tecnológicos e empreendedores de seguro.

Com a vitória, a 88i garantiu presença na Insurtech Connect, maior evento de seguros e tecnologia do mundo, que acontece em Las Vegas, em setembro. Lá, a startup irá representar todas as insurtechs da América Latina e mostrar porque vem ganhando destaque no meio no mercado de seguro.

"É uma honra e traz muita felicidade para nós irmos a Las Vegas representar todas as startups de seguros da América Latina. Essa conquista se torna ainda mais especial, porque somos uma das poucas startups do ramo que trabalha com a tecnologia de blockchain e vem se esforçando para tornar o mercado de seguros mais simples", conta o CEO da 88i.

A Insurtech Connect acontece entre os dias 23 e 25 de setembro de 2019, em Las Vegas, onde será discutido o futuro da segurança digital e de como as empresas podem ajudar nesse caminho.

.

Debate entre atores da saúde suplementar - No dia 12 de junho, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e o Serviço Social da Indústria (Sesi) realizaram o encontro "Diálogo de Saúde Suplementar - O Desafio da Coordenação do Cuidado nos Planos Coletivos Empresariais", na Fiesp, em São Paulo, com a participação de gestores de operadoras de planos de saúde e de empresas contratantes. O objetivo foi promover a reflexão e a colaboração entre as partes.

O diretor-presidente da ANS, Leandro Fonseca, e o diretor de Normas e Habilitação dos Produtos, Rogério Scarabel, abriram o encontro ao lado de Emmanuel Lacerda, gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do Sesi.

"A ANS entende como fundamental o papel das empresas contratantes de planos de saúde. Hoje nós temos 47 milhões de beneficiários em planos médico-hospitalares e, desses, dois terços estão em planos coletivos empresariais. Juntos, devemos trabalhar em prol da mudança do modelo assistencial vigente, saindo do cuidado em saúde fragmentado para o cuidado integrado. A transição para um sistema mais sustentável, que entregue valor em saúde a um preço suportável, é um desafio para todos nós", afirmou Leandro Fonseca na abertura do evento.

Rogério Scarabel acrescentou: "Tenho certeza de que deste encontro sairão frutos muito importantes para a melhoria da qualidade da atenção em saúde e para o desenvolvimento da saúde suplementar".

Emmanuel Lacerda, do Sesi, endossou a fala dos diretores da ANS: "Esperamos que o setor possa ter uma agenda mais construtiva do ponto de vista das empresas contratantes para que seus funcionários e familiares tenham assegurados a qualidade em saúde".

Temas como a coordenação do cuidado favorecendo a promoção da saúde, a prevenção e o controle de doenças foram discutidos durante o encontro.

.

Treinamentos para serviços em carros elétricos - Seja híbrido ou totalmente movido a eletricidade, o futuro dos automóveis está na energia elétrica. Nos dias de hoje, ainda que em menor quantidade, já é possível encontrar veículos que dispensam o uso da combustão interna para o funcionamento do motor.

Para atender a nova demanda, a Allianz Partners, empresa líder mundial no serviço de assistência 24 horas B2B2C, em parceria com uma das montadoras por ela atendida, realizou, ao longo dos meses de março e abril, treinamentos para os prestadores de São Paulo e Região Metropolitana e de Curitiba. Durante o curso, ministrado pelas unidades do Senai Vila Leopoldina "Mariano Ferraz" e Senai - CIC, foram ofertadas informações sobre tensões e corrente elétrica, atendimento de primeiros socorros e combate a incêndio.

Os participantes que foram aprovados, receberam a certificação NR10, com validade de dois anos, que regulamenta e garante a segurança e a saúde dos trabalhadores em situações de serviços com eletricidade.

Segundo André Amado, gerente de rede de prestadores da empresa, capacitar os prestadores, em uma tecnologia nova, mostra a preocupação da empresa em manter a excelência nos atendimentos futuros. "O veículo a combustão dividirá, cada vez mais, as ruas com os elétricos. Como prestadores do serviço de assistência, precisamos estar preparados para todos os desafios, encontrar diferenciais para atender o cliente da melhor maneira possível e continuar com a nossa credibilidade nesta nova fase do mercado automotivo", enfatiza.

.

Gestores de saúde discutem portaria de doenças raras

Durante dois dias cerca de 60 gestores de saúde, de todas as regiões do Brasil, debateram alguns dos entraves que dificultam a implementação da Portaria 199, de 2014, voltada para a atenção integral às pessoas com doenças raras, e compartilharam as suas dúvidas e experiências. O encontro, promovido pela Prospectiva, consultoria internacional focada no entendimento da lógica e do impacto da atuação de governos sobre os negócios de seus clientes, contou com o suporte científico do pesquisador Roberto Giugliani, professor do Departamento de Genética da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Diretor do Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde e Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências, e apoio da PTC Therapeutics, empresa voltada para o desenvolvimento de terapias para doenças raras, com foco em distúrbios genéticos e oncologia. O even to foi realizado na segunda quinzena de maio, em Porto Alegre.

A Portaria 199 instituiu a Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras e aprovou as Diretrizes para Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), com incentivos financeiros para serviços credenciados de atenção especializada e de referência, inclusive com a oferta de atendimento multidisciplinar. Essa regulação é considerada uma vitória para as várias associações de pacientes que se organizam em prol da melhor qualidade de vida para as pessoas com doenças raras no Brasil. Afinal, ter uma doença rara significa pertencer a um grupo de pessoas com distúrbios que afetam até 1,3 a cada duas mil pessoas, segundo a Organização Mundial de Saúde. Uma representação média de apenas 468 mil por enfermidade dentro da população mundial atual de 7,2 bilhões de pessoas.

Para entender como tem sido o seu avanço e, principalmente, compartilhar as melhores práticas e desafios, a Prospectiva ouviu seis dos oito serviços de referência credenciados para o atendimento a esses pacientes. O objetivo foi levantar, em detalhe, como foi feito o processo de habilitação e credenciamento, as dificuldades e as soluções encontradas, além de captar como está ocorrendo o financiamento dos serviços e buscar recomendações para as instituições que também almejam o credenciamento.

Para Lucas Corrêa, diretor da Prospectiva, que também apresentou as diretrizes dessa regulação, entre os principais achados do estudo "Desafios da Implementação da Portaria 199/2014", está o fato de ser um processo que envolve o diálogo constante entre a instituição solicitante e os gestores públicos, tanto municipais quanto estaduais, principalmente para garantir o acesso aos recursos transferidos pelo Ministério da Saúde. "Em nosso levantamento, percebemos que a habilitação e o credenciamento de novos serviços depende muito do diálogo entre todos os envolvidos e que, dentro das instituições solicitantes, os profissionais de saúde precisam trabalhar lado a lado com o pessoal administrativo para garantir que os serviços prestados sejam devidamente informados no sistema de reembolso do SUS, assegurando o recebimento das verbas previstas", explica. O e xecutivo ainda aponta que as instituições podem pedir o apoio de congressistas, deputados estaduais, vereadores, além da sociedade médica e de pacientes, para evidenciar a importância dos serviços especializados e de referência dentro da rede de atenção à saúde de uma determinada localidade e, assim, pressionar por um retorno mais célere do Ministério da Saúde em relação ao processo de credenciamento. "Precisamos compreender que a rede de atenção às doenças raras, da qual devem fazer parte os serviços especializados e de referência, pela característica ampla e multidisciplinar do cuidado, precisa estar totalmente integrada às outras redes temáticas e à lógica de organização descentralizada e hierarquizada do cuidado dentro SUS. Temos um sistema complexo e com limitação de recursos, o que reforça a necessidade de os gestores de saúde estabelecerem a criação desses serviços dentro da lógica de funcionamento do SUS, sob pena de utilizarm os mal os recursos e não atendermos adequadamente às pessoas que precisam deles".

Nesse sentido, Diel Júnior, do Hospital de Apoio de Brasília, no Distrito Federal, trouxe a sua experiência à frente de um serviço de referência credenciado e a sua visão sobre os principais tópicos que impactam a gestão, principalmente financeira, da instituição, detalhando o que é possível ou não fazer de acordo com a legislação vigente. "Temos, como gestores, que entender profundamente as normas da portaria, as leis orçamentárias e saber como melhor apresentar o projeto orçamentário para o ano seguinte. Esse é um aprendizado constante e indispensável. E ainda é importante o envolvimento de outros atores, Ministério Público e Poder Legislativo, que podem ampliar os recursos necessários ao melhor atendimento das pessoas portadoras de doenças raras", afirma.

Para o médico geneticista Roberto Giugliani, do Hospital das Clínicas de Porto Alegre, é fundamental que os serviços de referência em doenças raras conheçam como o sistema funciona, suas possibilidades e limitações, e como estão sendo realizados os processos nas instituições já credenciadas. "Precisamos fazer com que os recursos investidos pelo Ministério da Saúde nos Serviços de Referência em Doenças Raras (SRDR) se traduzam em benefícios palpáveis para os pacientes, o que nem sempre tem ocorrido em função do modo como os recursos trafegam - por meio das instituições que abrigam os SRDRs - e das limitações dessas instituições para utilizar os recursos para as atividades previstas na portaria 199/2014. Também é importante que os serviços que estão pleiteando a habilitação entendam o que está acontecendo e saibam como resolver as pendê ncias para superar as dificuldades e conseguir esse credenciamento", afirma.

Em sua palestra, Giugliani apresentou um panorama sobre a evolução da especialidade genética médica no Brasil, sobre os avanços em pesquisas clínicas com doenças raras e sobre as dificuldades que os pacientes encontram para obter um diagnóstico e iniciar um tratamento, que geralmente é multidisciplinar, com poucas ou nenhuma terapêutica específica. Nesse sentido, o médico ressaltou o progresso conquistado em relação à redução do tempo necessário para registro de novos medicamentos para doenças raras, bem como a flexibilização pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) em relação à política de acesso ao medicamento de pesquisa após os estudos.

.

ENDOSSANDO

Eleições - Foi apresentada, na sexta-feira passada, dia 14 de junho, a chapa única a ser conduzida por aclamação na Assembleia Geral Ordinária, no dia 15 de julho, para compor a Diretoria Executiva do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ), biênio 2019-2021: Octávio Perissé, presidente; Enio Miraglia, vice-presidente; Gilberto Villela, diretor financeiro; Wellington Costa, diretor social; e Edson Calheiros, diretor de Seguros.

.

Programa de Benefícios em Medicamentos - O Porto Seguro Saúde, Odontológico e a Portomed contam a partir de agora com uma nova vantagem para seus clientes. É o novo Programa de descontos em medicamentos e perfumaria que oferece a partir de 20% de descontos nas redes de drogarias parceiras pelo país.

De acordo com o gerente do produto Porto Seguro Saúde, Henrique Ramos, a iniciativa visa a conceder ainda mais benefícios e bem estar aos segurados. "As vantagens são a partir de 20% de descontos em medicamentos gerais e podem chegar até 70% de acordo com as ofertas mensais das redes parceiras. Medicamentos genéricos tarjados tem descontos a partir de 30%. Além disso, o programa contempla descontos em produtos de perfumaria, itens de higiene pessoal e beleza".

Gerente do Porto Seguro Odontológico, Sandra Ossent destaca a importância da iniciativa. "O programa contribui muito, não somente com relação aos descontos para os segurados, mas também com a ampliação da possibilidade de um atendimento mais assertivo. Com o benefício, os clientes podem garantir seus medicamentos com preços mais acessíveis e contar com uma ampla rede de farmácias parceiras".

.

Parceria - A Unimed Odonto, operadora de planos odontológicos sob gestão da Seguros Unimed, anuncia parceria com a Dental Uni, cooperativa paranaense com mais 30 anos de atuação no país. O anúncio ocorreu na última sexta-feira, durante o 27º Simpósio das Unimeds do Estado do Paraná (Suespar), realizado em Foz do Iguaçu.

A parceria contempla sinergia comercial e operacional, além do compartilhamento de práticas assistenciais e de tecnologia. Juntas, as duas operadoras passam a contar com 26 mil opções de atendimento em todo o país, contemplando mais de 1 milhão de clientes.

"Tenho a convicção de que este anúncio é um marco para todo o Sistema Unimed, consolidando a Unimed Odonto e a Dental Uni entre as principais soluções em assistência odontológica para as cooperativas e para o setor de Saúde", destaca o diretor de Operações da Seguros Unimed, Agenor Ferreira da Silva Filho.

Para o vice-presidente da Dental Uni, Paulo Henrique Cariani, a parceria é uma consequência natural da forma que ambas operadoras já trabalham, levando a odontologia a um número ainda maior de pessoas, com qualidade e segurança.

"Os clientes das duas companhias serão beneficiados com uma das mais abrangentes redes de prestadores odontológicos do mercado, além terem à disposição tecnologia de ponta, atendimento de qualidade e uma das melhores práticas assistências do setor", revela o diretor de Clientes e Produtos da seguradora, Tajumar Custódio Martins, responsável pelo ramo Odontológico da companhia.

A Unimed Odonto encerrou o primeiro quadrimestre de 2019 com uma carteira de mais de 431 mil clientes em todo o Brasil, o que representa crescimento de 25,5% no período de 12 meses. No mesmo período, o mercado de planos odontológicos apresentou crescimento de 7,1% no número de beneficiários, de acordo com dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (Iess).

.

Inteligência artificial - O Grupo Bradesco Seguros foi mais uma vez destaque no Prêmio efinance, considerado um dos mais importantes na área de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) do segmento de finanças. A edição de 2019, organizada pela editora Executivos Financeiros, aconteceu no dia 12 de junho, em São Paulo, e prestigiou as soluções inscritas mais inovadoras, além de implementações e aplicativos que contribuem para elevar a eficiência operacional, aprimorar a gestão e adicionar valor aos negócios.

O setor de TI do Grupo Segurador foi premiado na categoria "Inteligência Artificial - Seguros", com o case da Bradesco Inteligência Artificial (BIA), assistente digital da Organização Bradesco e que possui funcionalidades voltadas aos clientes dos produtos e serviços do Grupo Bradesco Seguros.

Criado em 2001, o prêmio efinance tem como objetivo reconhecer as soluções de ponta implementadas por instituições financeiras em atividade no Brasil. A comissão julgadora é composta por professores de universidades do país com experiência em tecnologia e finanças.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor