SEG NOTÍCIAS - 17.06

Setor segurador registra alta de 4,9% no acumulado até abril

Seguros / 16:31 - 17 de jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O ritmo de expansão da arrecadação de prêmios continua discreto nos quatro primeiros meses do ano, mesmo com o forte crescimento apresentado por alguns ramos no período, como Marítimos e Aeronáuticos (52,5%), Crédito e Garantias (38,4%), Patrimoniais (16,1%) e Planos de Risco em Cobertura de Pessoas (14,8%). Nos quatro meses do ano, o crescimento foi de 4,9%, totalizando R$ 81 bilhões (sem Saúde e sem Dpvat) quando comparado com igual período do ano passado. Os dados constam da nova edição da publicação Conjuntura CNseg.

De janeiro a abril de 2019, houve outras modalidades com trajetória na casa de dois dígitos ou perto disso em termos de crescimento, mas sua participação de mercado (market share) não é suficiente para puxar o resultado do setor de forma significativa. Transporte (10,3%), títulos de Capitalização (9,8%) e Seguro Rural (6,5%) estão entre os exemplos de comportamento positivo. No acumulado do ano, os seguros de Automóveis e os Planos de Acumulação em Cobertura de Pessoas, entretanto, tiveram discreta queda de arrecadação até abril de 2019: -0,4% e -0,6%, respectivamente, colocando para baixo um crescimento mais vistoso, por conta de seu peso no resultado final.

A rigor, todo o mercado sente os reflexos do baixo crescimento da economia, taxa de desemprego elevada, freio nos investimentos, entre outros fatores que frustram o potencial de negócios do setor. Prova disso é que, na série de dados de 12 meses móveis, o crescimento que vinha sendo observado desde o início de 2019 foi quase anulado com a inclusão do resultado de abril, atingindo só 0,1% de alta.

.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

                                                                                                                                                                   

Encontro ANS Centro-Oeste e Norte acontece em junho

Está confirmada mais uma edição do Encontro ANS, evento direcionado aos agentes do setor para discutir temas relacionados à regulação do mercado de planos de saúde. A atividade será realizada entre os dias 24 e 26 de junho, em Campo Grande (MS), e reunirá operadoras e prestadores de serviços de saúde das regiões Centro-Oeste e Norte do país. As inscrições podem ser feitas até o dia 20.

A programação do evento inclui palestras e debates dos diretores e técnicos da ANS sobre temas pertinentes às cinco áreas: Gestão, Fiscalização, Desenvolvimento Setorial, Normas e Habilitação de Produtos e Normas e Habilitação de Operadoras. O objetivo é compartilhar informações técnicas a fim de contribuir com um cenário cada vez mais qualificado para o setor de saúde suplementar.

Além das palestras, técnicos da Agência farão atendimentos individualizados para tirar dúvidas sobre temas como Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), Rol de Procedimentos, regularização de débitos, ressarcimento ao SUS e acompanhamento econômico-financeiro das operadoras, entre outros.

O Encontro ANS é realizado periodicamente pela reguladora. A última edição ocorreu entre 4 e 6 de dezembro de 2018 em Natal e reuniu atores do setor na Eegião Nordeste.

.

Palestra sobre previdência complementar - O consultor e professor Silvio Renato Rangel Silveira ministrou palestra "Previdência Complementar: aspectos gerais e sua importância no contexto da PEC 6/2019", no dia 31 de maio, durante café da manhã promovido pela Associação dos Procuradores do Estado do Paraná (Apep). O evento aconteceu num momento em que se discute a reforma previdenciária, que deverá ter forte impacto no regime de aposentadorias e pensões dos servidores públicos. Neste contexto, a Previdência Complementar surge como o principal instrumento de proteção dos segurados e minimização de riscos.

Rangel Silveira destacou que a sustentabilidade é uma característica intrínseca da previdência, pois deve assegurar que os compromissos assumidos sejam honrados, não só para as gerações atuais, mas também para as futuras e em condições de igualdade. De acordo com o professor, o problema é que o sistema de previdência no Brasil deixou de ser sustentável e demanda medidas urgentes e estruturais para assegurar seu equilíbrio. Garantiu que "nosso sistema de previdência não é sustentável, e precisamos rever conceitos e modelos". Citou como alternativa a previdência complementar capitalizada. "Além da vantagem direta de tornar a previdência sustentável, esse sistema de previdência complementar forma capital de longo prazo que contribui para a estabilidade e para o crescimento do país, gerando empregos, melhorando a infraestrutura, enfim, resolvendo muitos dos gargalos que impedem o desenvolvimento e enriquecimento de uma nação".

De acordo com o professor, a reforma previdenciária é necessária no Brasil, e não só a mudança paramétrica do regime existente, mas também a obrigatoriedade de instituição de previdência complementar para servidores públicos, e a aprovação do regime de capitalização para as novas gerações. "Quanto ao melhor sistema de previdência em um país, penso que ele deve ser misto para garantir um mínimo a qualquer cidadão e permitir, caso ocorra a superação desse limite, que sejam constituídas pelo próprio cidadão e por seu empregador, mediante contribuições para uma conta individual capitalizada, ao longo do tempo, reservas suficientes para pagar os benefícios de aposentadoria no futuro", ressaltou.

Rangel Silveira advertiu que previdência complementar exige boa governança, capacidade de obtenção de rentabilidade e custos adequados, transparência e flexibilidade de escolha para os participantes, incentivando a comparabilidade e a concorrência. Afirmou que o sistema brasileiro de previdência complementar dispõe de produtos diferenciados, oferecidos pelo Sistema Fechado (fundos de pensão, sem fins lucrativos) e pelo Sistema Aberto (bancos, seguradoras, com fins lucrativos). Informou que o patrimônio acumulado desses dois sistemas atinge hoje a cifra de R$ 1,6 trilhão, "demonstrando sua força e importância para o desenvolvimento do país", frisou. Lembrou que no sistema fechado, são pagos mais de R$ 40 bilhões por ano para 900 mil aposentados e pensionistas, figurando como um dos mais importantes pagadores de benefícios do país, depois do INSS. Quanto ao Sistema Aberto, informou que seu uso atual ainda se dá mais como instrumento financeiro e tributário do que previdenciário propriamente dito.

O professor entende que, para estados e municípios que vierem a instituir seus regimes de previdência complementar, a melhor modalidade seria a administrada por entidades fechadas, multipatrocinadas e sem fins lucrativos, com patrimônio segregado e governança profissionalizada. "Esse modelo pode contribuir para a evolução da governança, diminuindo vulnerabilidade a mudança do comando político em um estado ou município, ao mesmo tempo em que melhora benefícios e reduz custos, direcionando todo o resultado financeiro da rentabilidade e do ganho de escala em benefício dos servidores participantes, porque essas entidades não têm fim lucrativo".

.

Insurtech & Inovação - I O mais relevante evento de inovação e tecnologia do setor de seguros da América Latina, promovido pelo Centro de Qualificação do Corretor de Seguros (CQCS) e realizado pela Q'erus Expansão e Conhecimento reuniu 1.400 participantes e 54 apoiadores no Centro de Evento Pro Magno nos dias 12 e 13 de junho.

Com painéis que debateram temas como riscos cibernéticos, a atuação das startups, regulação, tecnologia, metodologia e muitas outros, que permeiam o mercado de seguros, o evento reuniu nomes internacionais como Jonh Drzik, presidente da Marsh Global Risks and Digital, Jonathan Kalman, sócio e fundador da EOS Venture Partners e Leena Johns, vice-presidente global de Healthcare da MetLife.

Gustavo Doria, idealizador do evento, lançou uma grande novidade ao público: a criação da CQCS SegLab. "Vamos executar a ideia de um hub físico de inovação, mais precisamente um prédio. Queremos reunir em um só lugar seguradoras, resseguradoras, insuretechs e escritórios de advocacia,todos trabalhando em um mesmo edifício, como espaços de trabalho compartilhado", conta Gustavo. O objetivo é ser a primeira no mundo em multimarcas que reúna esse segmento de mercado.

Entre os executivos internacionais, John Drzik, presidente da Marsh Global Risk and Digital, trouxe um debate pautado em gerenciamento de riscos e mudanças no capital de organizações.

Um dos grandes momentos registrados foi a participação de Leena Johns, vice-presidente global de Healthcare da MetLife e também palestrou e pontou sobre a necessidade de uma análise de dados coerente e a unificação dessas informações para um mapeamento que diagnostique com veracidade a real situação das empresas. "Com uma boa análise dos dados conseguimos, por exemplo, mapear todas as doenças clínicas do quadro de funcionários de um escritório e propor soluções ou caminhos a serem seguidos", finalizou.

Completando o quadro de palestrantes internacionais estava Jonathan Kalman, sócio e fundador da EOS Venture Partners. Para o executivo "A tecnologia está criando uma transformação inédita que vai impactar todo o mercado de seguros. Se olharmos para daqui a 10 anos a indústria terá que ter se reinventado. É importante que as empresas tenham consciência de que essas mudanças são necessárias. A inovação e a tecnologia não vão desaparecer. Isso é importante frisar" afirma Kalman.

As tendências do setor ressaltadas pelo especialista são a Inteligência Artificial e APIs que possuem a capacidade que conectar serviços e os seguros On Demand, ou seja, apenas demandas rápidas. "Esses produtos são parte da história daqui para frente e é assim que precisamos pensar na distribuição de apólices", finaliza Kalman.

Sobre o panorama geral do setor Gustavo Dória reforçou que "hoje o mundo atua em modo de coworking, onde todos os setores se complementam para a criação de novos serviços que atendam às demandas atuais dos consumidores. Nós somos guardiões dos sonhos e conquistas da sociedade. O seguro é um aliado das pessoas e não um mal necessário queremos reforçar isso. Qual o futuro dessa proteção é a grande questão a ser discutida nesse evento", completou Dória.

.

Insurtech & Inovação - II Em uma conversa descontraída com o público do CQCS Insurtech & Inovação, o vice-presidente de Auto e Massificados da SulAmérica, Eduardo Dal Ri, falou sobre a importância da telemetria para o mercado segurador e como o uso de dados pode ser decisivo para entender o perfil do cliente. Como principal exemplo, o executivo trouxe todos os detalhes do aplicativo Auto.Vc, além de ter abordado outras tendências no setor, como o pay as you drive.

 

"Trata-se do começo de um grande aprendizado, que avança dia após dia. O segredo é o quão veloz estamos no mercado para encantar e fidelizar o cliente. Apostamos fortemente nesse tipo de abordagem para o desenvolvimento de novas experiências para o segurado, com o apoio da tecnologia e do corretor de seguros", comentou Dal Ri.

O Auto.Vc, destaque da palestra, tem um sistema de telemetria embarcado que ajuda a conhecer os hábitos dos motoristas ao volante, sejam clientes da companhia ou não, e incentivar a direção prudente. Os condutores com atitudes mais seguras, de acordo com critérios pré-estabelecidos e um sistema de pontuação, poderão receber descontos de até R$ 400 para a contratação ou renovação de seguro, 800 milhas aéreas da Smiles e brindes para o carro.

.

Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros - A Fenacor preparou um vídeo no qual os artistas que estarão presentes no 21º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros - nos dias 10, 11 e 12 de outubro, na Costa do Sauipe (BA) - convidam os congressistas para os seus shows.

O vídeo é aberto pela grande estrela Claudia Leitte, que reúne fãs de todas as idades em todo o território nacional, e que fará o show de abertura do Congresso, no dia 10.

Em seguida, o jornalista, humorista, apresentador, cantor e youtuber Rafael Cortez convida para o seu "stand up comedy", no dia 11.

O terceiro convite é da jovem cantora Ju Moraes, que promete um "showzaço" também no dia 11.

Outra atração do congresso será a Banda Araketu, cujo trio elétrico foi contratado pela Fenacor para uma mini-micareta em que todos poderão comemorar o "Dia do Corretor" (12 de outubro), em grande estilo. Neste caso, o convite no vídeo é feito pelo vocalista da banda, Dan Miranda.

.

SEGURO CIDADÃO

                                                                                                                                                                   

Seguro para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida A Sompo Seguros leva à Reatech - Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade, o único seguro desenvolvido no Brasil que tem como objetivo atender a pessoas com deficiência (PcD) ou mobilidade reduzida, a exemplo de idosos, que necessitam de equipamentos de tecnologia assistiva. A companhia, única seguradora entre os expositores do evento, vai receber os visitantes em seu estande (localizado na Rua 200, nº 217 A) para apresentar o Seguro Equipamentos de Mobilidade, que indeniza o custo com reparos ou reposição de equipamentos tais como cadeiras de rodas, triciclos com propulsão pelas mãos e próteses em caso de ocorrências de causa externa, a exemplo de quedas, impactos, colisões, atropelamentos, assaltos à mão armada etc.

"A Sompo tem como Missão 'Gerar bem-estar e proteção à sociedade provendo serviços da mais alta qualidade'. Com base nessa premissa, nossa área de Inovação desenvolveu o produto, que já foi reconhecido com premiações em nosso segmento de atuação", lembra Marcio Martinati, superintendente da Sompo Seguros responsável pela área de Equipamentos de Mobilidade.

Além de ser o primeiro seguro com esse tipo de cobertura no Brasil, o seguro Equipamentos de Mobilidade também é o primeiro produto da Sompo em todo o mundo com essas características. Com o lançamento do produto, a Sompo também estabeleceu uma parceria com a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), que conferiu à seguradora o selo de empresa parceira.

Além das coberturas, o produto conta com um Plano de Assistência 24 horas com serviços voltados a atender às necessidades específicas de PcDs ou com mobilidade reduzida. Entre os serviços estão: Taxi Emergencial, Despesas Médicas por Acidente, Rede de Cuidadores, Recolocação Profissional, Concierge especializado no atendimento de PcD, Courrier, entre outros. O Plano de Assistência 24 horas conta ainda com serviços como Chaveiro, Conserto de Linha Branca, Reparos Elétricos, Reparos Hidráulicos, Consultoria de Marceneiro, Consultoria de Serralheiro, Troca de Chuveiro, Check-up do Lar e até Apoio Emocional

O Sompo Equipamentos de Mobilidade foi criado a partir do trabalho desenvolvido pela área de Inovação da Sompo. Os agentes de inovação da companhia mapearam que não havia no mercado um seguro que atendesse as reais necessidades de Pessoas com Deficiência (PcD) ou mobilidade reduzida. Com isso, a companhia lançou o Sompo Equipamentos de Mobilidade, que teve seu reconhecimento por meio do Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros, conferido pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), na categoria "Produtos e Serviços".

.

ENDOSSANDO

                                                                                                                                                                   

Almoço A disponibilidade para criar produtos a quatro mãos foi a principal mensagem deixada pela MBM Seguro de Pessoas no almoço promovido pelo CCS-RJ, nesta quinta-feira, 13 de junho, no Centro do Rio. O diretor comercial, Luiz Eduardo Dilli; o superintendente comercial, Alexsander Kaufmann; e a gerente de filial da companhia, Tatiana Antoniazzi, aceitaram o convite da nova diretoria do Clube para apresentar aos associados as suas soluções em diversos segmentos do mercado.

"Temos como objetivo, nesta gestão, dar a oportunidade de seguradoras que ainda não conhecemos tão bem se apresentarem, buscando amplificar nossas chances de fazer negócio", reforçou o presidente do CCS-RJ, Fabio Izoton. Já o diretor Luiz Mario Rutowitsch agradeceu a confiança depositada pela MBM no grupo, além de destacar a flexibilidade da seguradora.

Essa foi, justamente, a tecla em que os executivos da companhia bateram durante o encontro. Dilli afirmou: "Estamos à disposição para trabalhar de acordo com as necessidades dos clientes: ainda somos pequenos, portanto, maleáveis para nos adaptar às demandas que aparecem". Ele contou que a MBM é especialista no ramo de Vida, principalmente em massificados, e tem 12 filiais espalhadas pelo país. "Crescemos bastante nos últimos anos, graças ao foco dado à área comercial", comemorou.

Em outra frente de atuação, a MBM tem histórico de pioneirismo na regulação do seguro Dpvat, tendo desenvolvido um sistema próprio e respondendo por 11% desse mercado. Além disso, é número 1 em seguro Acidente Pessoal de Passageiros (APP) fora o ramo Auto.

"A companhia quer se moldar junto com vocês, construir produtos a quatro mãos. A roda gira mais fácil na MBM, e prezamos muito pela pessoalidade: queremos estar presentes e pensar fora da caixa", complementou Alexsander Kaufmann.

Por fim, Tatiana Antoniazzi convidou os associados a visitarem a filial do Rio, para, em conjunto, alavancarem oportunidades de negócios. "Nosso objetivo maior é conhecê-los, mostrar para vocês a companhia, apresentar nosso produto e colocar a nosso espaço à disposição", disse.

.

Parceria A grande maioria das batidas, raspões e amassados ficam abaixo da franquia do seguro tradicional. De olho nesse filão, a Carglass fez um movimento global: a empresa diversificou sua linha de atuação e adquiriu a empresa DiskReparo, líder nacional no segmento de serviços de funilaria e pintura express.

A Carglass inovou novamente no mercado nacional com a DiskReparo e criou uma inédita cobertura adicional para seguro de automóvel. Com foco total no relacionamento com corretores de seguros, o serviço ganhou atenção e atraiu parceiros estratégicos. O Porto Seguro Auto, com o objetivo de oferecer ainda mais benefícios aos segurados, apresenta uma nova cláusula adicional com os seguintes serviços: Super Martelinho de Ouro e de Reparos Rápidos da Carglass. O primeiro prevê desamassamento de pequenos danos na lataria do veículo de até 30 cm de diâmetro - que não sejam profundos e não necessitem de repintura da peça danificada -, enquanto o segundo executa a funilaria e repintura de amassados e arranhados na lataria externa ou para-choque para danos de até 50 cm de diâmetro. A contratação desta cláusula pode ser realizada no momento da aquisição do seguro auto junto ao corretor de seguros. "A Carglass, que no passado criou a cobertura de vidros, agora abre esse novo mercado. Há um potencial importante neste segmento", afirma Milton Bissoli, diretor e um dos fundadores da empresa no Brasil.

Segundo Fábio Arruda, COO da Carglass, "depois do agendamento, o serviço móvel vai à casa do segurado e faz consertos de até 50 centímetros nos veículos que sofreram pequenos danos. Além do reparo rápido, a empresa lançou também uma cobertura para martelinho de ouro sob a marca Super Martelinho. Na prática, para chegar nessa solução, que evita que o carro fique até dois dias estacionado em uma oficina tradicional, o laboratório técnico da empresa na Inglaterra desenvolveu, junto com fabricantes multinacionais, tintas e verniz que permitem que os serviços sejam executados em poucas horas, seja em uma das lojas da Carglass ou no local solicitado pelo cliente.

.

Selo "Melhor do Teste" para Seguro Residencial - A Bradesco Auto/Re recebeu o selo de "Melhor do Teste" com o seguro residencial pela Proteste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor. O seguro Residencial Sob Medida foi considerado o mais completo entre as principais seguradoras do mercado avaliadas.

Na ocasião, foram avaliadas 124 apólices de 10 seguradoras, levando em consideração seis cenários e três perfis distintos de consumidores. Entre os itens analisados, a Bradesco Auto/Re se destacou não apenas na cobertura básica, que garante indenização dos prejuízos causados por incêndio, raio e explosão (IRE), como também em coberturas adicionais, que cobrem prejuízos causados por roubo ou furto, alagamento, vendaval e danos elétricos. Além de não cobrar franquia, nem limite mínimo de indenização, para cobertura básica, a Bradesco Auto/Re foi melhor avaliada na cobertura de desmoronamento e responsabilidade civil, quando há indenização de itens listados previamente.

Os cenários pesquisados pela Proteste consideraram a cobertura tanto do prédio (estrutura da casa ou edifício), quanto dos bens no interior do imóvel nas principais capitais do país, como Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife. O levantamento também incluiu contratos para casas de veraneio em Guarujá (São Paulo) e Boa Viagem (Pernambuco).

"O reconhecimento como este estimula a cultura do seguro residencial, ainda pouco conhecido entre os brasileiros. O teste é uma importante ferramenta para auxiliar o consumidor na hora de decidir qual seguro irá contratar. Ao comparar a qualidade do serviço, suas coberturas e quais os itens estão incluídos na apólice, o consumidor conhece melhor os produtos e quais respondem às suas necessidades", afirma Saint'Clair Lima, diretor técnico da Bradesco Auto/Re.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor