SEG NOTÍCIAS - 11.07

Procedimentos feitos por planos de saúde cresceram 4,1% em 2018

Seguros / 16:26 - 11 de jul de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O número de procedimentos realizados por meio de planos de saúde totalizou 1,57 bilhão em 2018, ou seja, 4,1% a mais do que no ano anterior (1,51 bilhão). Os dados são do Mapa Assistencial da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), divulgado nesta quinta-feira (11).

Os exames complementares responderam pela maioria dos procedimentos realizados por meio da saúde suplementar em 2018 e totalizaram 861,4 milhões, um aumento de 5,4% em relação a 2017. Em seguida, aparecem as consultas, responsáveis por 274,3 milhões de procedimentos (alta de 1,5%).

Entre os demais procedimentos, destacam-se outros atendimentos ambulatoriais, como consultas a psicólogos e fisioterapeutas, com 164,2 milhões (alta de 4,6%); terapias, com 93,4 milhões (aumento de 21%); e internações, com 8,1 milhões de ocorrências no ano (crescimento de 1,7%).

O número de procedimentos odontológicos (176,1 milhões) foi o único que registrou redução (-5,34%) em relação ao ano anterior.

"Com o aumento da incidência de doenças crônicas não transmissíveis, o envelhecimento da população e mudanças nos hábitos de vida, há uma necessidade de melhor acompanhar a condição de saúde dos beneficiários. Para que ações reestruturantes sejam implementadas é imprescindível o conhecimento epidemiológico e demográfico da população que utiliza plano de saúde", ressalta o diretor de Normas e Habilitação dos Produtos, Rogério Scarabel.

Em relação ao número de consultas e internações por beneficiário, houve quedas em relação a 2017. Foram 5,8 consultas por beneficiário em 2018 contra 5,9 em 2017. Já internações foram 179 por cada mil beneficiários contra 180 por mil em 2017.

Os outros atendimentos ambulatoriais tiveram alta: foram 3,5 por beneficiário em 2018 ante 3,4 em 2017. As terapias por beneficiário também cresceram: 2 em 2018 contra 1,7 no ano anterior.

Entre as consultas, a Clínica Médica liderou as consultas em 2018, com 27,1 milhões de atendimentos, seguida por Ginecologia e Obstetrícia (19,7 milhões) e Pediatria (16,7 milhões).

Entre os exames, o mais realizado foi radiografia (31,8 milhões), seguida por hemoglobina glicada (13,5 milhões), ressonância magnética (7,9 milhões) e tomografia computadorizada (7,4 milhões).

O Mapa Assistencial destaca o aumento dos gastos com procedimentos para diagnóstico e cuidado de doenças crônicas. O número de exames de hemoglobina glicada (usado para detecção de diabetes), por exemplo, cresceu 13% por ano de 2014 a 2018.

Também de 2014 a 2018, os exames Holter 24 Horas, usado no diagnóstico e acompanhamento de doenças circulatórias, cresceu 6% anualmente.

.

Emprego formal impulsiona contratação de planos de saúde

Mais de 263 mil novos vínculos empresariais foram firmados com planos de saúde médico-hospitalares entre maio deste ano e o mesmo mês de 2018. Alta de 0,8% segundo a última edição da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (Iess).

José Cechin, superintendente-executivo do Iess, afirma que o resultado está diretamente ligado ao aquecimento do mercado de trabalho, já que esse tipo de plano é oferecido pelo contratante aos colaboradores, seja para atrair e reter talentos, seja por força de acordos coletivos entre os sindicatos patronais e os dos trabalhadores. "Apesar de o Caged ter registrado saldo de apenas 32 mil vagas de trabalho formal em maio deste ano ante maio passado, este é o segundo mês consecutivo com aumento dos postos com carteira assinada. O que repercute positivamente no mercado de planos de saúde", comenta.

No geral, 100,3 mil novos beneficiários passaram a contar com um plano médico-hospitalar nos 12 meses encerrados em maio de 2019. O resultado é inferior ao aumento dos planos empresariais porque houve uma redução de 1,2% no total de vínculos individuais/familiares, aqueles contratados diretamente pelo beneficiário. No período analisado, foram rompidos 107,8 mil vínculos deste tipo.

Além disso, os planos coletivos por adesão, aqueles contratados e mantidos pelos trabalhadores por meio de vínculo com sindicatos, também tiveram um ligeiro recuo, de 0,2%. O que equivale a 13,1 mil beneficiários deixando de contar com o plano em maio deste ano ante maio passado.

Goiás, São Paulo e o Distrito Federal foram as unidades da Federação com o maior número de novos vínculos. Foram 43,4 mil novos vínculos em Goiás (3,9%); 31,9 mil em São Paulo (0,2%); e, 26,7 mil no Distrito Federal (3,1%).

Já o Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul foram os Estados em que mais beneficiários deixaram de contar com os planos. Recuos de 41,5 mil (-0,8%) e 37,7 mil (-1,4%), respectivamente.

.

Consultas à distância - Preocupada com a saúde dos pacientes e com a segurança jurídica dos médicos brasileiros, a Associação Médica Brasileira (AMB) fez uma denúncia à ANS, nesta quinta-feira, dia 11 de julho, sobre a utilização temerária, sem o devido amparo legal, de aplicativos de comunicação para a realização de consultas a distância. Isso abre perigosas possibilidades de burlas à Lei do Ato Médico, que tem por principal objetivo zelar e garantir um atendimento eficiente e digno ao cidadão brasileiro.

A entidade acredita que a incorporação de novas tecnologias à medicina é um caminho sem volta e que pode ser muito positivo, desde que disciplinado por diretrizes responsáveis com foco no fortalecimento da relação médico/paciente e para auxiliar a vencer os desafios atuais da medicina.

A AMB é totalmente contrária e considera arriscada e irresponsável a utilização de ineficientes mecanismos artificiais para substituir a relação médico/paciente, principalmente nas fases iniciais de diagnóstico. Isso não é telemedicina. Isso não representa melhorias reais na qualidade da medicina. E, pior, coloca os pacientes em situação de vulnerabilidade, pois sacrifica o exame clínico presencial, parte fundamental de uma consulta médica. A entidade defende a presença de médicos nas duas pontas em processos de interconsulta.

Apresentar consultas a distância por aplicativos como se isso fosse telemedicina ou como uma forma de maior comodidade ao paciente é enganar os usuários dos planos de saúde, induzindo-os a acreditar que se trata de um benefício, quando, na verdade, trata-se de um movimento de redução de custos das operadoras com atendimento presencial, escamoteando todos os riscos envolvidos.

Vale lembrar que a AMB e as entidades a ela filiadas vêm debatendo a incorporação de novas tecnologias no exercício da medicina, tanto no sistema público de saúde quanto na saúde suplementar. Dada a complexidade das questões técnicas, éticas, médicas e econômicas que o tema envolve, ainda não foi possível construir uma proposta consistente que norteie a implementação prática da telemedicina no País.

Considerando que o principal papel da ANS é garantir a qualidade da assistência dos usuários dos planos de saúde, esperamos que a agência tome providências imediatas contra essas irregularidades e coíba tais práticas, à luz da vigente Resolução CFM 1.643/2002.

A AMB não abre mão da preservação da adequada relação médico/paciente, ponto fulcral da boa medicina.

.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

                                                                                                                                                                   

Palestra O Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS) e a Infocap promovem a palestra "Seguros: humanização na era da tecnologia", a cargo do especialista em TI Charles Poltronieri.

Será nesta quinta-feira (11 de julho), a partir das 17 horas, no auditório da sede do Sincor-RS (Praça Oswaldo Cruz nº 15, conjunto 1.714 - Porto Alegre).

A palestra abordará os seguintes pontos: uma abordagem no cenário do corretor de seguros diante do mundo tecnológico; como foi, como é e como será a vida do corretor de seguros convivendo com a tecnologia; ecossistema do seguro - quem são as velhas e novas "figuras" do mercado; e o cliente? Onde fica? Como se sente? venda automatizada X venda humanizada; a economia da experiência - encantar o cliente; e ferramentas tecnológicas para viver melhor e dedicar-se a venda.

Charles Poltronieri atua no mercado de seguros desde 1985, é o fundador e CEO da Infocap Tecnologia da Informação, desde 1990 trabalha com tecnologia para corretores de seguros. Também é professor na Escola Nacional de Seguros nas cadeiras de Gestão Empresarial para Corretores de Seguros e Noções de Informática.

.

"Café com o mercado" - O Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ) sediou mais um "Café com o mercado". Realizada na sede do Clube, a programação visa a promover a integração e troca de ideias e sugestões entre os dirigentes das seguradoras e os corretores associados da entidade.

O convidado do mês de julho foi Pablo Rodrigues Guimarães, superintendente comercial da Bradesco Seguros. O executivo está há 20 anos na companhia, onde começou como auxiliar de escritório até exercer várias funções gerenciais em Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Ele comentou que há quatro anos a seguradora intensificou o foco no canal de distribuição.

"Todos se tornaram multiprodutos, capazes de entender e falar sobre qualquer produto".

Entre as metas da companhia ele citou o aprimoramento dos processos. "Quanto mais fácil o processo, melhor será para o corretor. Queremos tirar o papel das operações de seguros", disse.

Para isso, a Bradesco Seguros já está reformulando o seu Portal de negócios, considerado "de difícil acesso pelos corretores. Mas vamos modernizá-lo mesmo com o avião voando".

Do ponto de vista operacional, Pablo explicou que o atendimento no Rio de Janeiro melhorou muito após um trabalho de mapeamento das filiais e a consequente realocação dos corretores da filial. "O objetivo foi atender bem o corretor e por a estrutura para funcionar adequadamente. Os investimentos feitos em tecnologia aprimoraram os processos e o atendimento segue na mesma linha", afirmou o executivo, que finalizou com mensagem para os corretores associados: "Nossa rede está à disposição de todos vocês e todas as operações ocorrem dentro de regras específicas e claras para realização dos negócios".

O presidente do CCS-RJ, Fabio Izoton, destacou que "estes encontros periódicos promovidos pelo Clube são muito importantes para alinhar propósitos e condutas entre as seguradoras e os corretores de seguros. O diálogo franco e direto entre as partes valoriza o relacionamento e esclarece questões que afetam as operações de seguro".

.

SEGURO CIDADÃO

                                                                                                                                                                   

Conversa com idosos Para celebrar o Dia Internacional do Cooperativismo, marcado em 2019 para 6 de julho, a Unimed do Brasil promoverá com seus colaboradores uma ação solidária nesta sexta-feira (12). Na ocasião, os participantes promoverão uma roda de conversa e outras atividades especiais com idosos moradores do Abrigo Bezerra de Menezes, em São Paulo (SP). A ação é parte da Liga Solidária Unimed, na qual, anualmente, a Unimed do Brasil incentiva seus profissionais a recolher o máximo possível de donativos e a participar de ações de voluntariado para ajudar ao próximo.

A Liga Solidária Unimed - Criada em 2015, a iniciativa chega em 2019 à sua quinta edição apresentando números crescentes de participação e de produtos doados a instituições de caridade. A Liga Solidária promove uma competição entre as áreas que compõem a cooperativa. Durante o ano, são desenvolvidas diversas ações em datas especiais para motivar as doações, que variam de acordo com a ocasião. Ao fim do período, são computados os dados anuais e os departamentos que mais se destacam são premiados simbolicamente.

Para o diretor de Desenvolvimento de Mercado da Unimed do Brasil, Darival Bringel de Olinda, apesar do clima sadio de disputa entre os colaboradores, o prêmio maior é fazer o bem às pessoas que precisam de ajuda. "A competição é uma brincadeira saudável, criada nesse formato para que tenhamos cada vez mais materiais para doação. O mais importante é que a gincana promove o princípio cooperativista do interesse pela comunidade, unindo os colaboradores em torno do bem comum", ressalta o dirigente.

"Trata-se de um trabalho em total sintonia com o Jeito de Cuidar Unimed, filosofia que insere os indivíduos no centro das atenções em qualquer contato com a marca, para que elas possam ter experiências sempre positivas com a Unimed. Isso está em nosso propósito: a vocação para cuidar de pessoas", complementa o diretor.

Em 2018, a liga beneficiou quatro entidades sediadas em São Paulo, todas definidas após rigorosa seleção: Abrigo Bezerra de Menezes, Casa da Criança Betinho, Casa de Apoio Luz Divina e Centro Assistencial Cruz de Malta.

Segundo Darival, em 2019 a meta é superar estes números, já que o ano contará com as novidades de uma campanha de doação de livros infantis, além das já realizadas no ano anterior.

.

ENDOSSANDO

                                                                                                                                                                   

Autônomos Um acidente de carro, o diagnóstico de uma doença grave, uma internação na UTI. Ninguém sabe quando vai ter um imprevisto, mas, se alguma dessas situações acontecer, o seguro de vida pode ser um aliado, desmitificando a ideia de que o produto só tem utilidade nos casos de morte.

Tendo em vista o aumento do número de empreendedores, microempresários e profissionais autônomos nos últimos anos, a contratação do seguro se faz ainda mais importante a quem não tem carteira assinada, especialmente se o profissional autônomo for o provedor de sua família. Isso porque trabalhar por conta própria exige do profissional autônomo um planejamento financeiro que compense a ausência dos benefícios oferecidos pela iniciativa privada ou cargo público, como uma renda fixa, aposentadoria e cobertura do INSS em caso de afastamento do trabalho por acidente ou invalidez.

Com uma renda mensal flutuante, um dos maiores desafios do profissional autônomo é cobrir todas as suas necessidades de seguro.

"Além das coberturas tradicionais para casos de acidente que podem incorrer em uma invalidez ou mesmo morte, existem coberturas que podem cobrir as despesas médico hospitalares (Cobertura DMHO) e até pagar um valor fixo por dia de internação hospitalar (Cobertura DIH), garantindo para o segurado uma renda extra que pode ser utilizada inclusive para auxiliar nas despesas para o tratamento de sua saúde que, para o caso de autônomos, é uma ótima alternativa durante a fase de restabelecimento. O ideal é que o profissional que não tem a contribuição compulsória contrate um seguro de vida para garantir renda em caso de doença ou acidente que o afaste do trabalho. Os seguros de vida tradicionais, acidentes pessoais, incapacidade temporária ou prestamista (que cobre dívidas em caso de morte, invalidez e até perda de renda do segurado) oferecem uma espécie de colchão que protege o segurado e a sua família em situações imprevistas", explica Karina Massimoto, superintendente-executiva de Seguros de Pessoas da Brasilseg.

Tanto a cobertura DMHO quanto a DIH têm facilidade no pagamento da indenização. No caso da cobertura de DIH, o segurado receberá o valor da diária contratada somente comprovando a internação por acidente, sem necessidade da comprovação da renda familiar. Na cobertura DMHO, basta o segurado comprovar o acidente e encaminhar as notas fiscais para reembolso.

"São seguros com valores acessíveis por mês, que normalmente ainda contam com assistências que dão suporte no dia a dia com serviços para sua moradia, seu carro ou outros", afirma a executiva.

Atualmente, a Brasilseg oferece seguros que oferecem coberturas para doenças graves e acidentes pessoais. O de doenças graves, um dos mais contratados, possibilita, em casos de câncer, infarto ou AVC, que o segurado receba a indenização de uma única vez. Já o de acidentes possui uma cobertura exclusiva de acessibilidade física, cujo valor de indenização pode ser utilizado para a realização de tratamentos, com médicos especializados, por exemplo, ou para a realização de modificações na casa, no carro ou no dia-a-dia que permitam ou facilitem a mobilidade e tragam maior qualidade de vida permitindo que segurado se adapte a nova condição.

O produto BB Proteção, por exemplo, custa R$ 6,49/mês e, além da cobertura de morte acidental e invalidez por acidente, inclui serviços emergenciais de assistência como chaveiro, encanador e eletricista, auxílio-funeral e, para o automóvel, em casos de pane seca, troca do pneu e o serviço de motorista amigo, por meio do qual o segurado tem seu carro entregue em sua residência e utiliza táxi, se não tiver em condições de dirigir.

Já os produtos BB Seguro Vida Completo, BB Seguro Vida Mulher Mais e BB Seguro Vida Estilo contam, além das coberturas de acidentes, com outras mais completas, como por exemplo a de Doenças Graves, que assegura o pagamento de indenização em caso de diagnóstico de câncer primário, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC), cirurgia coronariana, insuficiência renal crônica e transplante de órgãos vitais. O principal diferencial desta cobertura é que não se trata de reembolso de despesas ou adiantamento do capital de morte, mas sim um valor contratado entre R$ 10 mil e R$ 100 mil pago em vida ao segurado quando confirmado o diagnóstico da doença.

"Tratam-se de doenças de alto custo que, embora cobertas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), nem sempre estão cobertas pelos planos de saúde privado e quase sempre exigem do segurado ou de familiares o desembolso de altos valores com remédios. Nesse sentido, o valor da indenização pode cobrir ou colaborar com o pagamento parcial das despesas decorrentes do tratamento ou até mesmo a contratação de cuidadores", explica Karina.

.

Seguro de crédito Ainda pouco conhecido no Brasil, o seguro de crédito é uma ferramenta de proteção aos recebíveis de uma empresa, ou seja, uma proteção ao contas a receber. Quando contratado, a seguradora se torna responsável por monitorar a saúde financeira dos clientes da empresa contratante para que ela possa fazer negócios com confiança. Além disso, caso um destes clientes atrase pagamentos ou entre em falência, o segurado será indenizado de acordo com os termos de contratação da sua apólice.

A opção, graças aos benefícios trazidos aos segurados, pode parecer uma alternativa apenas às empresas de grande porte para grandes contratos. No entanto, a Euler Hermes, líder mundial em seguro de crédito e especialista em seguro garantia, já disponibiliza através de parceiros uma solução flexível que permite a contratação do seguro de forma pontual e não necessariamente para toda a carteira, modalidade mais interessante também para empresas de pequeno e médio porte.

O Single Invoice Cover é um API desenvolvido pela Euler Hermes para disponibilizar o seguro de crédito não apenas para toda a carteira de clientes de uma empresa mas, sim, faturamento a faturamento, individualmente, para os clientes que o segurado escolher.

"O Single Invoice Cover, cobertura de fatura única, é um produto que protege as empresas em transações B2B contra o risco de inadimplência, e permite que o risco seja avaliado caso a caso, possibilitando ao segurado a escolha da proteção de maneira individual", explica Luciano Mendonça, Diretor Comercial da Euler Hermes. "Além disso, essa novidade garante que os fornecedores e as plataformas permaneçam em total controle de sua exposição de crédito.

Essa nova modalidade da Euler Hermes já é realidade na Europa e EUA e está sendo implantado globalmente de acordo com as particularidades de cada mercado.

.

Prestamista A American Life anunciou estar disponibilizando o Credit Life, seguro de contratação coletiva destinado à cobertura de prestamistas.

O produto tem como principal objetivo garantir proteção ao segurado, proporcionar segurança às empresas - sejam bancos ou varejistas - e tranquilidade às famílias. Isso, porque com o Credit Life é possível realizar a quitação total ou parcial de dívidas originadas de financiamento em caso de morte ou invalidez total permanente do segurado.

De acordo com Francisco de Assis Fernandes, diretor comercial da American Life, o Credit Life é interessante por conta das possíveis customizações do produto a fim de atender as necessidades de empresas de diferentes ramos. O executivo explica que a versão mais conhecida do mercado é o seguro para mutuários de financiamento imobiliário. A família do prestamista terá o imóvel totalmente quitado no caso de morte ou invalidez do segurado. Há, ainda, versões interessantes para credores, como bancos. O seguro Credit Life é uma solução imediata para recuperação dos recursos aplicados sem a necessidade de longos embates judiciais junto ao espólio. Já no caso do varejo de bens duráveis, os financiamentos contam até com cobertura para quitação de algumas parcelas se o segurado perder o emprego no decorrer do prazo. Ou seja, este ramo de seguro tornou-se relevante nas carteiras de seguros de pessoas em todo o mercado.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor