Advertisement

SEG NOTÍCIAS - No Brasil, 41% dos aposentados são por idade avançada

Estudo realizado pela UnitFour, empresa fornecedora de dados para o mercado, para contemplar a quantidade de aposentados no Brasil de acordo com...

Seguros / 10 Abril 2018 - 20:20

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Estudo realizado pela UnitFour, empresa fornecedora de dados para o mercado, para contemplar a quantidade de aposentados no Brasil de acordo com análise de sua base de dados. Para a elaboração do estudo, a companhia adotou uma segmentação por tempo de contribuição, idade e agrupou as demais modalidades, como pensão, invalidez e demais em outros.

De acordo com o número aposentados, a maior concentração é por idade (41%), seguida por invalidez, pensão e outras modalidades (35%) e, por último, os por tempo de contribuição (24%).

Além disso, a empresa também fez um demonstrativo da proporção de homens e mulheres indicando que no tipo de aposentadoria por idade, elas são a maioria, com uma diferença de 6% para eles. Na categoria por tempo de contribuição, a maior concentração é da população masculina, com uma diferença massiva de 17%, o que possibilita a afirmação de que atualmente há o dobro de homens aposentados por tempo de contribuição do que de mulheres. Já no grupo outros, o destaque é a população feminina, com uma diferença de 11%.

A companhia também elencou um panorama sobre o tipo de aposentadoria nas regiões Sul e Sudeste, constatando que, nessa última localidade, a concentração é bem distribuída, porém, com maior número de pessoas que pararam de trabalhar por idade, tendo uma disparidade de 7% entre os demais. Na Sul, por sua vez, os números também são bem divididos, tendo a mesma proporção entre os aposentados por contribuição e por outros motivos (34%).

.

Capitalização cresce 7,1% no primeiro bimestre

De acordo com os números divulgados pela Federação Nacional de Capitalização (FenaCap), o segmento registrou um faturamento acumulado de R$ 3,3 bilhões nos dois primeiros meses do ano. O montante representa um crescimento de 7,1% na receita das empresas de capitalização, em comparação a igual período do ano passado. "É o primeiro avanço da arrecadação nos últimos dois anos", diz Marco Barros, presidente da FenaCap.

Segundo ele, o volume das reservas, constituídas pelos recursos de títulos de capitalização ativos, se manteve no mesmo patamar registrado em 2017, fechando em R$ 29 bilhões. Sinal de que a melhora de alguns indicadores econômicos já começa a ser sentida, os resgates finais e antecipados de títulos recuaram 1,8%, somando R$ 2,8 bilhões. Os prêmios pagos em sorteios a clientes de todo o país alcançaram R$ 170 milhões, o que equivale ao pagamento de R$ 4,2 milhões por dia útil do período.

O segmento aposta no cenário de inflação e juros baixos para uma retomada ainda em 2018. "A capitalização está cada vez mais presente na vida das pessoas, seja como solução para a conquista da disciplina financeira, para garantia locatícia, para o exercício da filantropia ou para alavancagem de outros segmentos econômicos", diz Marco Antonio Barros, presidente da FenaCap.

Todas as regiões contribuíram para a performance do faturamento positivo do segmento de títulos de capitalização no primeiro bimestre de 2018. No ranking geral, a Região Centro-Oeste foi a que mais cresceu, cerca de 10,76%, registrando uma receita de R$ 261 milhões. A região também se destacou na distribuição de prêmios, foram R$ 14,2 milhões, crescimento de 20,31%.

A Fenacap tem trabalhado de maneira colaborativa com a Superintendência de Seguros Privados (Susep) para a implantação do novo marco regulatório do setor, a fim de que as regras sejam adequadas à nova realidade do mercado e garantam o crescimento sustentado de um segmento que já emprega, direta e indiretamente, mais de 70 mil pessoas, contribui para a educação em seguros e para a formação de poupança de longo prazo no país. A Federação se manifestou em audiência pública sobre o marco regulatório, buscando contribuir com sugestões, no intuito de agregar valor a pontos que pudessem gerar dúvidas. "Estamos bastante otimistas com o resultado final", conclui Marco Barros.

.

Roubo de carga: risco pode ser reduzido com processos, procedimentos e ferramentas

A Chubb diz que os riscos de roubo de cargas no Brasil, em muitos casos, podem ser reduzidos para um patamar aceitável por meio da adequação das ferramentas de gestão de riscos, processos e procedimentos. "Com isso, é possível evitar gastos com o uso injustificado de instrumentos de alta tecnologia", afirma Omar Mendoza, diretor de Marine da Chubb Brasil. "Vários clientes, com o suporte de nossa consultoria, obtiveram resultados consistentes apenas com a aplicação dessas ações, que colocaram cada uma de suas ferramentas no lugar correto", salienta.

De acordo com o executivo, alguns dos processos mais eficazes nesse sentido estão voltados para a garantia do sigilo das informações de embarcadores e transportadores a respeito dos horários de embarque, roteiros, tipos de carga, ferramentas de gerenciamento de riscos e outras. Omar conta que existem meios eficazes para manter essas informações entre poucas pessoas previamente selecionadas. "Verificamos vários casos recentes de queda acentuada na sinistralidade com o emprego desse tipo de ação, somente", destaca.

Outro procedimento que tem se mostrado eficaz, segundo a Chubb, é a mudança na rotina das operações logísticas, considerando horários e, quando possível, os roteiros. Isso porque a seguradora tem notado que as quadrilhas estão constantemente variando de região para praticar suas ações, ao mesmo tempo em que investem contra os veículos de forma cada vez mais assertiva. "Nós buscamos analisar as informações sobre as principais áreas de risco no país e modus operandi das quadrilhas. Com base nesses dados, pudemos observar que, em geral, os criminosos estão sempre buscando locais menos controlados pelo poder público e, como consequência, possuem mais tempo para efetivar o roubo, além de saberem exatamente a carga transportada, seu valor e destino", relata Fábio Vale, responsável pela área de Gerenciamento de Riscos da Chubb Brasil.

O serviço de consultoria da Chubb para clientes de seguros de Transportes proporciona uma análise mais assertiva das operações dos segurados que necessitam de uma maior intervenção do gerenciamento de riscos, com base em ferramentas digitais. "Esse suporte é concedido em parceria com empresas gerenciadoras de riscos que, de preferência, atuam de modo especializado de acordo com o porte do cliente, considerando pequenas, médias e grandes organizações", afirma Omar Mendoza.

Além de analisar problemas e sugerir soluções, o serviço de consultoria da seguradora também concede suporte para a implantação das medidas, observando o menor impacto possível na logística do cliente. O trabalho leva em conta as mais diferentes formas de sinistros como roubos, furtos, tombamentos, colisões, saques, extravios, atrasos, danos e outros.

A consultoria da Chubb ainda analisa várias possíveis causas, entre logística, tecnologia das ferramentas de segurança, horários, rotas, pontos de parada, embalagens, pessoas envolvidas na operação e outras. "Melhor do que contar com a indenização em caso de sinistro é simplesmente não sofrer sinistro. Assim, o segurado obtém melhores condições no momento de renovar a apólice, ao mesmo tempo em que assegura uma capacidade diferenciada de entrega para os clientes", finaliza Omar.

.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Linha One Health - A unidade de negócios premium da Amil, One Health, foi tema de treinamento realizado no dia 5 de abril, na sede do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ). O representante da linha, Guilherme Sabatini, explicou como funciona essa unidade da operadora, quais são os seus diferenciais e de que maneira o corretor pode potencializar suas vendas para esse nicho.

"Um produto premium não é o mesmo que um produto top. Há uma confusão entre esses termos. Para ser premium, é preciso entregar serviços exclusivos", afirma o executivo. E isso, ele garante, a One Health tem de sobra.

Os segurados das duas linhas disponíveis, Lincx e Black, contam com central de atendimento exclusiva, além de benefícios que vão além do rol de procedimentos e da rede credenciada. "A primeira linha é para nível gerencial e, a segunda, para diretoria e presidência", informa.

Na hora da venda, Sabatini aconselha que os corretores de seguros não se preocupem apenas com preço, carência e reembolso. "A One Health trabalha cm backoffice especializada no suporte a seus corretores, o que garante mais agilidade e exclusividade na hora de atender aos clientes", exemplifica.

O executivo bate na tecla do diferencial. "Conhecendo os nossos produtos, vocês, corretores, vão saber identificar qual deles se encaixam no perfil de cada cliente", garante. "Um casal que pretende ter filhos costuma gastar aproximadamente R$ 7 mil com vacinas, enquanto gastaria apenas R$ 4 mil com um plano da One Health, que inclui uma série de outros serviços de saúde", compara.

Sabatini destaca também a assistência viagem internacional, que oferece cobertura por até 180 dias: além de não trabalhar com reembolso, que pode ser um problema para o segurado em casos de procedimentos muito caros, inclui serviços de assessoria turística para realização de reservas, compras de ingressos, entre outras facilidades, durante o planejamento da viagem.

Esses são apenas dois dos diferenciais abordados pelo executivo no treinamento. A Amil tem realizado, em parceria com o CVG-RJ, uma série de eventos desse tipo, na busca de se aproximar cada vez mais do canal corretor de seguros.

"O Clube está de portas abertas a iniciativas como essa, que contribuem para o desenvolvimento profissional e econômico do setor", reafirma o presidente da instituição, Carlos Ivo Gonçalves.

.

Risco cibernético será tema obrigatório na agenda do Conselho de Administração em 2018

"Os Conselhos de Administração não estão preparados para direcionar adequadamente as maiores companhias do Brasil sobre os riscos cibernéticos." Esta é uma das conclusões da votação interativa da 62ª Mesa de Debates do ACI Institute. O ACI é um instituto da KPMG que tem o objetivo dedisseminar a importância da Governança Corporativa e do compliance. A 62ª Mesa de Debates contou com a participação de 123 executivos, entre conselheiros de administração, conselheiros fiscais e membros dos comitês de auditoria das principais empresas que atuam no Brasil.

Segundo os dados, o direcionamento foi considerado adequado por apenas 20% dos respondentes; 33% avaliaram o direcionamento como regular, 41% como não adequado e 6% não souberam opinar.

"Com base nos dados, 80% dos executivos não estão seguros quanto à qualidade do direcionamento oferecido pelos Conselhos de Administraçãosobre riscos cibernéticos. O índice é bastante elevado e preocupa, sobretudo diante da exposição crescente das empresas a ataques dessa natureza", afirma o líder do ACI Institute e sócio da KPMG no Brasil, Sidney Ito.

Os executivos consultados também debateram, neste evento do ACI Institute, os principais tópicos que precisam estar na agenda doConselho Administração em 2018. Entre os temas de destaque estão disrupção tecnológica, inovação e resultados a longo prazo, tone at the top e cultura corporativa, ativismo e a relação com os investidores, diversidade e o tempo de mandato dos conselheiros.

.

SEGURO CIDADÃO

Dia Mundial da Saúde - Há 70 anos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu a data de 7 de abril como o "Dia Mundial da Saúde". O principal objetivo é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde para ter uma melhor qualidade de vida. Anualmente, o Dia Mundial da Saúde é destinado a discutir um tema específico que representa uma prioridade na agenda internacional da OMS. Em 2018, o tema escolhido é "Saúde para todos".

A Bradesco Saúde, por meio do "Programa Juntos pela Saúde", está engajada com o tema e faz um alerta para a importância dos exames preventivos e da atividade física. Para a Bradesco Saúde é fundamental reforçar esses cuidados e fazer com que todos possam ter uma melhor qualidade de vida e bem-estar por muitos anos. Para isso, a conscientização é fundamental.

Fazer atividades físicas regularmente contribui para ter uma vida mais ativa. Fazer check-up médico e odontológico ao menos uma vez por ano, manter a carteira de vacinação em dia e ter um sono reparador são ações importantes para ter uma vida mais saudável. Além disso, estar atento à alimentação, hidratação e higiene ajuda a manter o organismo protegido.

A Bradesco Saúde ainda alerta para os perigos do uso excessivo do álcool e do cigarro. Evitando o tabaco e fazendo uso moderado de bebidas alcoólicas, o organismo fica mais saudável e os riscos de doenças provocadas por essas drogas são bastante reduzidos. Nas relações sexuais, é imprescindível o uso de preservativos para se proteger do HIV/aids e outras DSTs. Por fim, cultive o convívio com amigos e relacionamentos. A vida social ativa ao lado de amigos, aliada a um tempo maior com a família, deixam o dia a dia mais leve e contribuem para que o organismo funcione melhor.

.

Fundación Mapfre recebe inscrições para premiação de ideias inovadoras

Estão abertas até 30 de abril as inscrições para os Prêmios Fundación Mapfre à Inovação Social. A iniciativa da entidade tem como objetivo apoiar o desenvolvimento de soluções inovadoras em três categorias: Melhora da Saúde e Tecnologia Digital (e-Health), Inovação Seguradora e Mobilidade e Segurança Viária. Os melhores projetos vão receber um aporte total de 90 mil euros.

Os prêmios serão realizados, com o apoio da IE Business School, em três grandes regiões: Brasil, demais países da América Latina e Europa. Os interessados devem se inscrever no http://fundacionpremiosinovacao.mapfre.com.br. Podem participar estudantes de universidades e escolas de negócios, cientistas, pesquisadores e professores universitários e empreendedores.

"Essa iniciativa está plenamente alinhada aos pilares de atuação da Fundación Mapfre, no sentido de estimular projetos que contemplem uma função social nessas áreas. Esperamos que as propostas vencedoras tenham uma ação efetiva na melhoria do mundo em que vivemos", afirma Wilson Toneto, CEO da Mapfre no Brasil e representante da Fundación Mapfre no país.

Os projetos, além de serem inovadores, devem ter grande potencial de impacto social e visibilidade dos pontos de vista tecnológico, econômico e organizacional. É fundamental que pelo menos um integrante trabalhe em tempo integral no projeto, além de dispor de um protótipo ou piloto com participação de usuários. Caso o projeto já receba investimento, essa não deve ser superior a 150 mil euros por ano (incluindo doações, aportes públicos ou faturamento, se houver).

Após uma semifinal brasileira, em 26 de julho, uma seleção de 27 projetos do Brasil, da América Latina (exceto Brasil) e da Europa receberão mentoria on-line para aprimorar habilidades técnicas e aprender a comunicar de forma mais efetiva suas propostas. Em outubro, nove finalistas, um de cada categoria de cada região, viajam a Madri, Espanha, para participar de coaching presencial com especialistas e passar por uma banca.

A grande final acontecerá em Madri, em 17 de outubro, onde serão conhecidos os três vencedores (um por categoria) durante uma cerimônia de encerramento que marcará o final da edição. Os custos de deslocamento e hospedagem serão cobertos pela Fundación Mapfre. Os vencedores, um de cada área, recebem 30 mil euros cada um.

.

Profissionais da rede pública no Rio terão treinamento sobre hipertensão

Cerca de 600 profissionais das redes municipal e estadual de saúde do Rio de Janeiro receberão um treinamento para diagnosticar, tratar e acompanhar pacientes com hipertensão arterial. O treinamento será oferecido pela Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro (Socerj), durante o 35º congresso da entidade, que será realizado de quarta (11) a sexta-feira (13).

Além de oferecer o treinamento, a Socerj preparou um manual que ficará disponível no site da Sociedade, com informações sobre a doença para profissionais de saúde. "O profissional de saúde, muitas vezes, tem dificuldade de acesso às informações mais novas, aos últimos ensaios clínicos, às últimas formas de diagnóstico e de tratamento", disse o presidente do Departamento de Hipertensão da Socerj, Armando da Rocha Nogueira.

De acordo com a Sociedade, o Rio de Janeiro é o estado brasileiro com maior prevalência da doença, com 31,7 casos para cada 100 mil habitantes. A hipertensão é fator de risco para várias doenças cardiovasculares que, no Brasil, são responsáveis por 30% das mortes.

Um dos principais problemas, segundo Nogueira, é a pouca adesão dos pacientes ao tratamento oferecido. Ele explica que, no país, apenas 20% dos pacientes mantêm a doença sob controle. "Na realidade, há um esforço muito grande para treinar os médicos e tentar divulgar o máximo isso para a população, porque precisamos reverter isso aí. As pessoas precisam saber se têm hipertensão arterial e, caso tenham, ser tratadas corretamente, com acompanhamento e com facilidade para que esse tratamento seja mantido", disse.

O diagno stico da hipertensão arterial é feito quando a pressão arterial e maior ou igual a 140 mmHg (sistólica) por 90 mmHg (diastólicas), aferidas em pelo menos duas consultas médicas distintas.

.

Marcapasso cerebral da China leva esperança para pacientes de Parkinson

Quase 10 mil chineses fizeram cirurgia de estimulação cerebral profunda desde que o primeiro marcapasso cerebral de fabricação nacional foi implantado pela primeira vez em novembro de 2009.

"A cirurgia de estimulação cerebral profunda se tornou um método importante para tratar dos pacientes de mal de Parkinson nos estágios intermediário e final", disse recentemente Li Luming, diretor do laboratório nacional de engenharia para controle neural sob a Universidade Tsinghua.

Os marcapassos cerebrais fabricados pela China também foram adotados em outros países, como Paquistão, Bangladesh e Indonésia, segundo Li.

O mal de Parkinson atinge cerca de 1% dos chineses com mais de 50 anos. Os casos tendem a crescer, já que a China está se transformando em uma sociedade em envelhecimento.

Entre todos os métodos contra o Parkinson, a estimulação cerebral profunda é um dos tratamentos neurológicos mais avançados, pois combina neurologia, neurocirurgia e engenharia elétrica, permitindo que os médicos implantem minúsculos eletrodos nos cérebros dos pacientes para afetar as células anormais.

Os pesquisadores da Universidade Tsinghua desenvolveram o marcapasso cerebral de segunda geração, que é recarregável e tem uma vida útil mais longa.

.

Blefaroplastia é uma das cirurgias plásticas mais realizadas pelos homens

Os anos pesam para todos e é nos olhos que a idade fica mais aparente. Se há alguns anos a busca de procedimentos cirúrgicos para retardar os sinais de envelhecimento eram praticamente exclusividade das mulheres, hoje os homens entendem que vaidade é saudável e cada vez mais têm buscado novas técnicas e profissionais para suavizar os sinais da idade.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o número de homens que buscam cirurgias plásticas aumentou de 72 mil, em 2012, para 276 mil em 2017. Os homens representam cerca de 30% dos pacientes que realizam plásticas no Brasil. Entre aqueles de 30 a 50 anos, as cirurgias mais populares são lipoaspiração, transplante capilar, cirurgia para levantar as pálpebras (blefaroplastia) e cirurgia de face.

"A blefaroplastia, ou cirurgia de pálpebras, é um dos procedimentos mais populares entre o público masculino, pois faz uma grande diferença na aparência e é um procedimento que mantém o aspecto natural da face", comenta a oftalmologista Tatiana Nahas, especialista em plástica ocular e Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de São Paulo.

Hoje os homens estão mais dispostos a cuidar da aparência física, tanto para se manterem atraentes, como também para manter um visual saudável e jovial frente ao mercado de trabalho.

"Os homens passaram a ver a blefaroplastia sem preconceitos, entendendo que levantar as pálpebras ou eliminar as bolsas ao redor dos olhos pode fazer uma enorme diferença na aparência. Além disso, o procedimento visa a um resultado natural, o que é uma das maiores preocupações entre eles", comenta Tatiana.

.

ENDOSSANDO

Novo diretor de Planejamento Financeiro e Investimento - A HDI Seguros anuncia Roberto Santiago Takatsu como diretor de Planejamento Financeiro e Investimentos, cargo recém-criado pela companhia para reforço estratégico de seu board.

Com mais de 20 anos de experiência no mercado de seguros, previdência e investimento financeiro, o executivo chega à HDI com a missão de implementar novo plano de negócios da empresa, agregar tecnologias e funcionalidades aos clientes e corretores da área financeira, além de auxiliar no direcionamento da empresa frente a requisitos globais.

"Estou entusiasmado com a missão de liderar a área de planejamento financeiro e investimentos, uma proposta com muitos desafios e oportunidades para a companhia. Confio nos objetivos da empresa e estou empenhado em desenvolver um excelente trabalho junto a este time que tem grande potencial para crescer cada vez mais", afirma Takatsu.

Roberto é formado pela Universidade de São Paulo em Contabilidade, com Especialização nas áreas financeira e de investimentos também pela USP e pela Hult Internacional Business School. Por conta de vivências nos EUA e na China, o executivo ampliou know-how na área financeira internacional, acompanhando as novidades e tendências do setor.

.

Balanço - Central Nacional Unimed teve, em 2017, os melhores resultados financeiros de sua história. Os ingressos totais (faturamento) cresceram 6,9% - de R$ 4,6 bilhões para R$ 5 bilhões. O resultado operacional passou de R$ 23,3 milhões negativos, em 2016, para R$ 64 milhões no ano passado, e o resultado líquido avançou 32%, de R$ 100,3 milhões para R$ 132,5 milhões.

Em função disso, o patrimônio líquido da CNU aumentou 29,7% no último exercício, para R$ 587,7 milhões, com ativos totais de R$ 1,6 bilhão (+21,3% no período). A sinistralidade - custo da assistência à saúde - caiu 3,7 pontos percentuais, para 89,4%.

"A principal conquista foi voltar a ter uma operação lucrativa, o que impacta positivamente todo o Sistema Unimed", afirma Alexandre Ruschi, presidente da Central Nacional Unimed.

Ruschi assumiu a Presidência da CNU em abril de 2017 e tomou providências imediatas como cortes de despesas, ajuste de processos e renegociação de contratos para que a operadora retomasse seu crescimento. Também priorizou a queda da sinistralidade e o começo da migração do modelo assistencial para atenção integral à saúde, em que o paciente estabelece relacionamento de longo prazo com um médico de referência e uma equipe multidisciplinar.

A Central Nacional Unimed é uma cooperativa cujas sócias são 326 Unimeds de todo o Brasil. Com foco em planos de saúde corporativos com abrangência nacional, a Central Nacional Unimed têm unidades em São Paulo, Brasília, Salvador e São Luís. Segundo a agência reguladora, ANS, é a sexta maior operadora de planos de saúde do Brasil.

.

Investimento em canais digitais - A SulAmérica registrou em 2017 resultados expressivos da estratégia de inovação na frente de atendimento ao cliente da companhia, integrando cada vez mais os canais tradicionais de relacionamento às novas tecnologias. Ao longo do ano passado, mais de três milhões de SMS foram enviados para segurados e 1,5 milhão de atendimentos foram realizados via chat. Os números representam aumentos de 48% e 8% em relação aos do ano anterior, respectivamente.

Em contrapartida, a quantidade de ligações telefônicas apresentou uma redução de 5% no ano, totalizando 6,9 milhões de atendimentos, mesmo com o crescimento da carteira da companhia. Essa procura menor pelos contact centers, que antes centralizavam todas as demandas externas, demonstra a crescente preferência do consumidor por canais digitais para a resolução de questões simples, utilizando os meios telefônicos e presenciais para situações de maior complexidade.

"O mundo hiperconectado trouxe um novo perfil de consumidor, exigente e bem informado, que valoriza marcas que ofereçam a melhor experiência de compra e pós-venda, com um atendimento ágil, personalizado e na plataforma mais conveniente ao cliente", afirma o vice-presidente de Operações e Tecnologia da SulAmérica, Marco Antunes. "Atenta a este cenário, a SulAmérica tem priorizado o aprimoramento contínuo da operação de atendimento, investindo em tecnologia e capacitação profissional para um serviço de excelência."

Na frente de mobilidade, os aplicativos da seguradora para smartphones já ultrapassam 1,5 milhão de downloads. Em 2017, a SulAmérica lançou serviços mobile pioneiros como o reembolso digital para consultas médicas de até R$ 1 mil e o Pediatra em Casa, que permite agendar atendimento pediátrico em domicílio.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor