Advertisement

SEG NOTÍCIAS

Grandes tragédias despertam para a importância do seguro de pessoas

Seguros / 06 Fevereiro 2019 - 18:30

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

 

O tradicional e centenário MONITOR MERCANTIL, jornal de economia com cobertura crítica e independente, de política, reinventa sua frente digital.

De relevante circulação impressa no Rio, SP e DF, seus destaques podem ser conferidos desde 2 de janeiro em https://twitter.com/sigaomonitor

 

O rompimento da Barragem 1 da Mina Feijão, em Brumadinho (MG), que aconteceu no dia 25 de janeiro, já está na lista dos maiores desastres do Brasil. Após quase 15 dias do ocorrido, muitas perguntas ainda estão sem resposta, mas é fato que a tragédia despertou para a importância do seguro em diferentes aspectos.

Na avaliação do diretor de Marketing do Instituto Superior de Seguros e Benefícios Brasil (ISB Brasil), Luiz Alexandre Varani, mais uma vez fomos surpreendidos com uma tragédia que poderia ter sido evitada. A única horrível certeza é de que mais de 300 pessoas perderam a vida de forma violenta e inesperada, muitas sem nem saber o que estava acontecendo a poucos metros de onde estavam. Em alguns segundos, tudo foi tomado pela avalanche de lama, diz, defendendo que, independente de qualquer questão pessoal, profissional, financeira ou cultural, é preciso sempre buscar, em primeiro lugar, a proteção das pessoas.

Quando falamos em proteger pessoas, podemos relacionar diversas formas de promover essa segurança, porém poucos se recordam da necessidade dos seguros pessoais. Todos nós que fazemos parte do mercado de seguros e que temos conhecimento dessa necessidade da sociedade, precisamos trabalhar de maneira incansável para levar informação de todas as formas possíveis e ao maior número pessoas, demonstrando a importância em estar protegido com um seguro pessoal, seja ele de forma coletiva ou individual, seja ele um simples seguro de acidentes pessoais ou um seguro de vida com diversas coberturas adicionais, reflete.

 

Inundação é o dano mais comum ao carro no Verão - O começo de ano é um período marcado pela ocorrência de desastres naturais, muito em função da frequência maior de chuvas intensas. E esse cenário costuma ser propício para danos aos automóveis expostos a inundações, queda de granizo, queda de árvore, deslizamentos. Portanto, é essencial que o motorista conheça os riscos de incidentes que podem ser causados pela natureza e busque formas de se precaver para evitar problemas com o carro durante esta época do ano.

Evitar dirigir em ruas alagadas, não estacionar debaixo de árvores, evitar áreas sob risco de deslizamento são algumas das dicas já propagadas como precaução. Mas, e se o motorista tiver o carro danificado por algum incidente natural, o seguro cobre? Como agir nesta situação?

De acordo com o Diretor de Personal Lines da Zurich, Walter Pereira, é comum nesta época do ano haver um aumento no número de sinistros, bem como atendimentos emergenciais, principalmente os relacionados a inundações, o incidente mais comum no Verão relacionado a seguro automóvel. A primeira ação a ser tomada por quem se encontra em uma situação de desastre natural com o veículo é comunicar imediatamente a seguradora e solicitar um guincho para levar o veículo a um local seguro.

Os contratos de seguros atuais possuem um grande espectro de coberturas e serviços relacionados a desastres naturais, que oferecem bastante conforto aos clientes. Porém, é importante que o consumidor esteja atento e sempre busque a consultoria de um especialista sobre quais as coberturas devem ser contratadas, afirma Pereira.

Caso o custo de reparação seja igual ou superior a 75% do valor médio do veículo, a perda total deverá ser decretada e, de acordo com o contrato de seguro firmado com o cliente, a indenização integral será efetuada. Para os danos parciais, em que existe a possibilidade de reparação, os prejuízos estão sujeitos a aplicação da franquia descrita na apólice, que varia de acordo com o marca/tipo do veículo segurado.

 

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Nova gestão da FenaSaúde assume mandato para o triênio 2019-2021 - O economista João Alceu Amoroso Lima assumiu, ontem, a presidência da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), para o triênio 2019-2021. Após três anos à frente da Federação, a advogada Solange Beatriz Palheiro Mendes passará a gestão da entidade ao economista João Alceu de Amoroso Lima, vice-presidente do Grupo Notredame Intermédica, responsável pela Interodonto, segundo maior plano odontológico do Brasil, com 1,9 milhão de beneficiados. João Alceu é detentor do título de Chartered Insurer (Símbolo de excelência profissional), do Chartered Insurance Institute, UK.

Em 2019 a Federação contará com uma nova gestão, que tem um desafio grande pela frente e dará continuidade, com excelência, ao trabalho que executamos nos últimos três anos. Assumi a presidência com o objetivo de consolidar a imagem da FenaSaúde, construída ao longo dos anos, como uma entidade que se pauta pelas suas premissas técnicas, preocupada sempre com o desenvolvimento do setor e com o aperfeiçoamento do serviço prestado aos beneficiários. Portanto, a nossa meta principal foi construir de forma sistemática uma comunicação transparente e confiável, a partir da qual a informação agregasse valor não só para os consumidores, como também para o governo, magistrados, autoridades, formadores de opinião e a própria cadeia produtiva da saúde, destaca Solange Beatriz.

Com 30 anos de experiência em seguros, dos quais 22 em saúde, João Alceu destaca o trabalho realizado na gestão da presidente Solange Beatriz. Há quinze anos, eu era diretor de Saúde da Fenaseg e fui substituído pela Solange. Agora ela me passa o bastão aqui, outra vez, para a FenaSaúde. A Solange construiu uma credibilidade nesses três anos à frente da Federação, que com esse trabalho isento, técnico e com todo o material produzido ao longo dos últimos anos, tornou-se uma referência para consultas técnicas, a partir das posições assumidas diante de discussões com reguladores e com a Justiça, ressalta o novo presidente.

Ambos concordam que os desafios enfrentados pela Saúde Suplementar devem permanecer os mesmos ao longo 2019, como: a escalada dos custos; a mudança do perfil epidemiológico; o envelhecimento da população; o aumento da judicialização; e a pressão da renda para capacidade de compra de serviços médicos. Em analogia a um time de futebol, encontrar soluções para os desafios, na verdade, são os gols que queremos fazer para dar continuidade ao crescimento do mercado. Mas um trabalho brilhante que a FenaSaúde realiza e que nem sempre é percebido é o trabalho de defesa. Sempre que surge um projeto de lei, uma proposta de regulação ou algo novo que interfira no setor, a Federação entra com pareceres, estudos e especialistas para dar suporte a defesa de um ponto que sustente e desenvolva o segmento, aponta João Alceu.

 

Ulisses Soares é o novo vice-presidente de Vida da Chubb América Latina.- Em sua nova função, Ulisses Soares ficará responsável pelo crescimento e rentabilidade da linha de Vida na região, executando planos para continuar com o crescimento de canais existentes, ampliar a ofertas de produtos, promover alianças estratégicas e desenvolver novos produtos para os clientes da companhia de seguros.

Ulisses Soares tem mais de 20 anos de experiência no mercado de seguros da América Latina e obteve sucesso na liderança de diversas empresas como a AIG, Starr, Cooper Gay Swett & Crawford e AON. Sua carreira profissional inclui trabalhos no Brasil, Chile, Colômbia e Miami. Antes de ingressar na Chubb, ele atuou na área de Desenvolvimento de Negócios Estratégicos da AON Affinity, nos Estados Unidos.

É formado em Comunicações e Publicidade pela Universidade Federal de Minas Gerais e pós-graduado em Administração com ênfase em Marketing pelo Centro Universitário UNA. Em sua nova função, Ulisses Soares se reportará, na região, a José Sosa, SVP A&H e Vida da Chubb América Latina e, na matriz, a Russell Bundschuh, vice-presidente sênior e presidente global da Chubb Life.

 

ENDOSSANDO

Chance para aqueles com mais de 60 anos - A Suhai Seguradora foi criada para atender clientes que não tinham acesso ao seguro de automóveis, fosse pelo preço alto ou falta de aceitação das companhias tradicionais. Segundo estimativas da companhia, existe um mercado composto por mais de 70% de carros rodando sem seguro em todo Brasil. Dentro desse universo estão os carros antigos. Dados divulgados no ano passado pelo Sindicato Nacional da Indústria de Componentes (Sincopeças) mostram que 30% dos veículos tinham até 5 anos de idade; outros 35%, entre 6 e 10 anos; 17%, entre 11 e 15 anos; 12%, de 16 a 20 anos; e 6%, mais de 20 anos.

Apesar desses números, a frota nacional está melhor que a alguns de países mais desenvolvidos. A média da frota circulante nacional está em 9 anos e 7 meses. Nos Estados Unidos a média é de 11 anos, e na Europa, segundo a Associação Europeia de Fabricantes de Veículos, é de dez anos e sete meses.

Valorizamos muito, entre outros, os veículos antigos (mais de dez anos), segmento muito alinhado com nosso modelo de atuação, aponta Robson Tricarico, diretor comercial da seguradora. Entre as raridades seguradas pela Suhai estão um Chevrolet Makson Turbo de 1951, um Land Rover Defender 90 de 1952, uma picape Ford F1000 de 1955 e um Jeep Aero Willys de 1959. Os antigos representam 2% do total dos veículos atendidos pela companhia. A Suhai oferece ao mercado um seguro exclusivo de Furto e Roubo com Assistência 24h que pode ser, em média, 80% mais barato do que produtos que contemplam todas coberturas. O seguro também não tem franquia.

 

Hapvida atende a 8 mil por mês via telemedicina - A telemedicina já é utilizada nos atendimentos pela rede própria do Hapvida há sete anos, atendendo a cerca de 8 mil pacientes por mês nesta modalidade. A operadora conta com 24 salas equipadas com sistemas de videoconferência de alta qualidade em som e imagem, equipadas com TVs de 40 polegadas e câmeras que conseguem aumentar em 20 vezes as imagens para facilitar o diagnóstico.Todo o histórico do paciente é anotado no prontuário eletrônico à distância.

Segundo o diretor corporativo de telemedicina do Hapvida, José Luciano Monteiro, o recurso é mais utilizado nas urgências e emergências, principalmente para casos neurológicos e cardiológicos, mas também para consultas nas áreas de reumatologia, gastroenterologia, hematologia e otorrinolaringologia. Os médicos especialistas são chamados pelos médicos plantonistas locais, para avaliar o paciente em conjunto com ajuda de sistemas de videoconferência, e determinar o diagnóstico e tratamento mais acurados. Isso permite rapidez e segurança na tomada de decisões dentro do pronto socorro, acrescenta.

A expectativa, com o desenvolvimento de nosso planejamento estratégico para o Serviço de Telemedicina Hapvida, é que possamos avançar em outros segmentos como urgências e emergências, telessaúde preventiva, introdução de especialidades mais escassas nas regiões, interiorizando mais a telemedicina para que a população se beneficie dos nossos serviços, finaliza Monteiro.

 

Sabemi apresenta balanço social - A Sabemi Seguradora, por meio do seu Comitê de Cidadania Corporativa, realizou ações sociais em 2018 que beneficiaram cerca de 800 pessoas. Formado em 2002, o grupo conta com a participação de 20 colaboradores voluntários, de diversos setores da empresa, que promovem iniciativas voltadas para comunidades do Rio Grande do Sul. Para 2019, a expectativa é ampliar o número de entidades atendidas.

De acordo com Maurício Silveira, especialista em Comunicação e Desenvolvimento da empresa, as ações são divulgadas internamente pelo Comitê, com o objetivo de arrecadar doações e de recrutar outros colaboradores para participar dos eventos. O Albergue Monsenhor Felipe Diel, em Porto Alegre, é uma das instituições atendidas pelo projeto. Outra ação promovida em 2018 foi a Troca Solidária, em parceria com o Instituto do Câncer Infantil. Colaboradores foram incentivados a doar chocolates em troca de uma camiseta da Corrida pela Vida.

AIG lança o AIG Facultative Desk Latam -  O desk de Resseguro Facultativo AIG América Latina oferecerá soluções de resseguro facultativo por meio de um ponto de acesso único que pode oferecer as capacidades combinadas da AIG e da Talbot

A AIG anuncia que completou a integração das plataformas regionais de subscrição facultativa da Talbot em Miami e Santiago às capacidades regionais de subscrição da AIG General Insurance. Essa oferta unificada está sendo lançada como AIG Facultative Desk Latam.

Sobre o anúncio, Paride Della Rosa, CEO da AIG para a América Latina e Caribe, afirmou: "Estamos muito felizes em dar as boas vindas ao time de Subscrição Latam da Talbot à AIG. A unificação das operações e aumento da oferta de produtos permitirá à AIG melhor servir as necessidades de resseguro facultativo de corretores e cedentes na região".

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor