Mais de 10% dos brasileiros ficam inadimplentes após o Carnaval

CNC: volume estimado de receita no Rio em R$ 2,32 bilhões, o que representa 29% da arrecadação prevista em todo o país.

Rio de Janeiro / 16:30 - 11 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito, o Carnaval de 2019 gerou uma receita de cerca 6,78 bilhões de reais em todo o país. Ainda segundo o estudo, só em 2018, cerca de 13% dos brasileiros ficaram inadimplentes após o feriado prolongado.

Neste ano, estima-se que 62% dos brasileiros devem gastar até R$ 500 nos quatro dias de folia, de acordo com pesquisa realizada pela plataforma ShopFully.

Estudo realizado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta que o Rio de Janeiro exerce o protagonismo quando o assunto é arrecadação por meio de atividades turísticas ligadas à dara. O estado, este ano, deverá alcançar o maior volume de receita com estimativa de R$ 2,32 bilhões em arrecadação, ficando acima de São Paulo (R$ 1,95 bilhão) e Bahia (R$ 1,13 bilhão), sendo esses os três estados que mais arrecadam no Brasil, no período da folia.
O número do Rio de Janeiro representa 29% do total da estimativa que em 2020, deverá chegar a cerca de R$ 8 bilhões em todo o país. Ainda de acordo com a pesquisa, o Rio é o estado que mais arrecada, estando desde 2012 à frente no levantamento da festa de Momo, realizado pela CNC.
O secretário de Estado de Turismo, Otavio Leite, comemora os números e acredita que o trabalho de promoção do Estado nas feiras nacionais e internacionais e ainda a campanha publicitária realizada no fim de 2019, nos principais veículos de comunicação do país, estão impulsionando a vinda de turistas para o Estado.
"A face econômica do Carnaval, a rigor, tem grande relevância para o nosso estado pela quantidade de empregos e trabalhos que são gerados, inclusive nesse período sazonal, logo, os números nos animam a avançarmos na captação de mais turistas e visitantes", ressalta Otavio Leite.
Segundo a CNC, a recuperação gradual da atividade econômica, combinada à inflação baixa, sugere um cenário positivo, com recuperação moderada dos serviços turísticos.
"Nos meses que antecedem o Carnaval, a taxa de câmbio teve uma desvalorização de 10% ante o mesmo período de 2019, estimulando, portanto, gastos com turismo no território nacional, em 2020", avalia Fabio Bentes, economista da CNC responsável pela pesquisa, ressaltando que esses fatores devem favorecer um maior fluxo interno de turistas neste ano.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor