Regina Duarte pode assumir Cultura no lugar de simpatizante do nazismo

Atriz ficou de dar resposta até segunda-feira.

Política / 00:08 - 18 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A atriz Regina Duarte foi convidada nesta sexta-feira para assumir a Secretaria Nacional de Cultura, em substituição a Roberto Alvim, exonerado nesta sexta-feira por conta da repercussão negativa de seu vídeo com declarações nazistas.

A atriz – que já havia sido chamada anteriormente por Jair Bolsonaro – disse a interlocutores que ficou animada, mas ainda está em dúvida sobre assumir o cargo. Segundo a jornalista Mônica Ber-gamo, colunista do jornal Folha de S.Paulo, Regina Duarte prometeu responder até esta segunda-feira.

Alinhada a Bolsonaro, Regina Duarte foi às redes sociais na quinta-feira passada criticar a indicação de “Democracia em Vertigem” ao Oscar de Melhor Documentário. “Oscar nenhum vai reescre-ver a nossa História”, escreveu a atriz global.

Bolsonaro demitiu o secretário de Cultura por um vídeo com formato e discurso inspirado no ministro da Propaganda Nazista de Hitler, Joseph Goebbels, depois de ter sido pressionado pelo embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley.

Shelley falou diretamente com Bolsonaro para expressar o incômodo da comunidade israelense no Brasil com a fala de Roberto Alvim, o que deve ter sido decisivo na exoneração do secretário, sugere a colunista.

O governo brasileiro é fortemente ligado à comunidade israelense e ao próprio governo de Israel, de Benjamin Netanyahu.

Em nota, a assessoria do Ministério do Turismo divulgou que José Paulo Martins vai assumir interinamente a Secretaria Especial de Cultura após a exoneração de Alvim. Martins era secretário adjunto da secretaria.


 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor