Advertisement

Reforço no Rioprevidência

Decisões Econômicas / 09 Agosto 2018

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, publicou, no finalzinho de julho, dois decretos, o de número 46.376/2018, no valor de R$ 35,399 milhões, e o 46.380/2018, de R$ 67,104 milhões. O primeiro reforça o caixa do Fundo Estadual de Investimentos e Ações de Segurança Pública (Fised) e da Secretaria Estadual de Esportes, Lazer e Juventude, em R$ 12,094 milhões. O segundo reforça o caixa do Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (Rioprevidência), em R$ 67 milhões.

Prefeito Rodrigo Neves

Avanços em Niterói

O prefeito Rodrigo Neves, de Niterói (cidade da Região Metropolitana do Rio de Janeiro), abriu procedimento de consulta pública para discutir o Edital 05/2017, que prevê adoção de Parceria Público Privada (PPP) para concessão administrativa da prestação dos serviços de iluminação nas vias públicas de Niterói pelo prazo de 25 anos. Rodrigo planeja investimentos de R$ 681,896 milhões, dos quais R$ 167,543 milhões sairão da iniciativa privada, conforme edital publicada no DO de 30 de julho.

 

Inea/Cedae

Os contratos e processos de aquisição de equipamentos e material para tratamento das águas consumidas pelos moradores do Rio, Baixada Fluminense, Niterói, São Gonçalo e de outros municípios fluminenses costumam ser milionários, isto no caso da Cedae. Quanto ao Inea, eles são mais modestos, mas nem sempre. Recentemente, foram publicados termos, inclusive aditivos, de nove contratos entre Cedae, Inea, prestadores de serviços e fornecedores que somam R$ 84,850 milhões, dos quais R$ 17,506 milhões para obras de controle de inundação, drenagem e recuperação ambiental do Rio Bengalas, no município de Nova Friburgo. O processo E-07/002.10323/2017, publicado no dia 1º deste mês, informa que as obras nesse rio têm que ser de arte.

Vereador Jorge Felippe

Adoção estranha

O presidente da Câmara Municipal do Rio, Jorge Felippe, deu mais uma de grande feiticeiro que sabe das coisas, pois renovou o termo aditivo 47/2017, no valor de R$ 21,999 mil, com a empresa Mega Natural Alimentos Ltda-ME, para fornecimento de kits lanches aos alunos das redes pública e particular de ensino. Mas o que é isso, Seu Jorge Felippe? Como o dinheiro do duodécimo da Câmara vai para escolas particulares e mesmo públicas? Tem dinheiro sobrando, melhora a situação de trabalho dos servidores do Legislativo ou tira os moradores de ruas que envergonham a cidade. Ou, pergunta-se, onde o Crivella está botando o dinheiro dos contribuintes destinado à merenda escolar?

 

Divulgação de imagens

As concessionárias de energia elétrica, gás, telefonia e TV por assinatura deverão ser obrigadas a divulgarem em imagens de pessoas desaparecidas nas faturas de consumo destinadas aos seus usuários. A proposta, aprovada pelo Legislativo fluminense, é dos deputados Márcio Pacheco e Martha Rocha.