Redução de alíquota do IR beneficiaria os mais ricos

Uma das mudanças seria a redução da alíquota máxima do imposto de renda para 25%. Atualmente, pessoas físicas pagam até 27,5%.

Conjuntura / 22:59 - 17 de jul de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que o governo vai trabalhar por uma reforma tributária mexendo apenas em impostos federais, com perspectiva de redução da carga tributária ao longo dos anos.

Uma das mudanças seria a redução da alíquota máxima do imposto de renda (IR) para 25%. Atualmente, pessoas físicas pagam até 27,5% e pessoas jurídicas, como empresas, pagam até 34% de IR. Outra ideia do governo é unificar impostos e contribuições federais, como PIS, Cofins, IPI e IOF, em um imposto único.   

“O que nós queremos fazer é mexer só com os tributos federais. E nós queremos, segundo o próprio [ministro] Onyx Lorenzoni falou no dia de ontem (terça-feira), na reunião, ano a ano, ir reduzindo nossa carga tributária”, disse o presidente em entrevista logo após participar da cúpula do Mercosul, em Santa Fé, na Argentina. A redução pretendida nas alíquotas beneficiará, principalmente, os mais ricos, já que ainda não se falou sobre as alíquotas para quem ganha menos e sobre o aumento do patamar de isenção do imposto.

O Brasil assumiu a presidência pro-tempore do bloco pelos próximos seis meses. Durante seu discurso na cúpula, Bolsonaro afirmou que pretende trabalhar pela redução de tarifas e ampliação de acordos comerciais.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor