Receita bruta da Minerva Foods cresceu 33% em 2018 

Liderança nas exportações de carne bovina na América do Sul, com mais de 21% de participação de mercado

Mercado Financeiro / 21:34 - 13 de mar de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A conclusão da integração das plantas adquiridas na América do Sul em 2017, e a implementação do plano de aceleração da desalavancagem financeira contribuíram para o resultado obtido pela Minerva Foods, exportadora de carne bovina in natura e seus derivados, no quarto trimestre e no ano de 2018.

A receita bruta da companhia foi de R$ 17,2 bilhões no acumulado do ano, o que representa um crescimento de 33% sobre 2017. A empresa, que atua também no segmento de processados no Brasil e na Argentina, comercializa seus produtos para mais de 100 países. Tem 25 unidades de abate de bovinos no Brasil, Paraguai, Argentina, Uruguai e Colômbia.

 

Aumento de capital

 

Em dezembro de 2018, a Minerva concluiu uma operação de aumento de capital privado, que totalizou aproximadamente R$ 965 milhões; adicionalmente, foram atribuídos Bônus de Subscrição aos acionistas subscritores das ações objeto do aumento de capital. Com os recursos da operação, a companhia pode concluir a oferta de recompra antecipada de seus títulos perpétuos, no montante de US$ 224,5 milhões, contribuindo para a redução do endividamento bruto.

 No quarto trimestre de 2018, a receita bruta foi de R$ 4,9 bilhões e, desse total, a Divisão Indústria Brasil foi responsável por 41% (ou R$ 2,0 bilhões); a Divisão Athena Foods, que concentra a operação das plantas da Argentina, Uruguai, Paraguai e Colômbia e a distribuição no Chile, Paraguai, Colômbia e Argentina, também foi responsável por 41% (R$ 2,0 bilhões); os 18% restantes (R$ 866,0 milhões) foram gerados pela Divisão Trading. Em 2018, as exportações atingiram 62% da receita bruta da empresa, consolidando-a como a maior exportadora de carne bovina da América do Sul, com mais de 21% de participação de mercado na região.

 

Ebitda

 

A receita líquida da companhia no acumulado de 2018 atingiu R$ 16,2 bilhões (16% acima de 2017), superando o guidance para o ano, que estava no intervalo entre R$ 15,0 e R$ 16,0 bilhões; no 4T18, a receita líquida atingiu R$ 4,6 bilhões (16% acima do 4T17). O Ebitda do 4T18 atingiu R$ 462,8 milhões, 27% acima do Ebitda do 4T17, com a margem Ebitda alcançando 10,0% no período, aproximadamente 90 bps superior à margem do 4T17. No acumulado de 2018, o Ebitda totalizou R$ 1,6 bilhão, com margem Ebitda de 9,6%.

O fluxo de caixa livre, após despesas financeiras, Capex e capital de giro, atingiu R$ 752,0 milhões em 2018 e R$ 363,3 milhões no 4T18. O fluxo de caixa das atividades operacionais atingiu R$ 1,3 bilhão no ano e R$ 340,1 milhões no 4T18. A posição de caixa ao final de 2018 era de R$ 4,4 bilhões com a dívida líquida em R$ 6,1 bilhões, enquanto a alavancagem financeira, medida pelo múltiplo dívida líquida/EBITDA dos últimos 12 meses, foi de 3,9 vezes, resultado 1,1 vez inferior ao registrado no 3T18.

 

Mercados regional e global

 

Entre as ações importantes para empresa, o presidente da Minerva Foods, Fernando Galletti de Queiroz, destaca a conclusão da integração das plantas adquiridas na América do Sul em 2017, a implementação do plano de aceleração da desalavancagem financeira da companhia e a constituição da Athena Foods, um novo veículo de crescimento e geração de valor que já nasceu como líder de exportação e como a plataforma de produção de carne bovina mais diversificada da região. Queiroz aponta como destaque a liderança nas exportações na região, que representa cerca de 35% das exportações mundiais de carne bovina; e, como a Minerva detém mais de 21% dos embarques, a empresa é responsável por cerca de 7% do comércio mundial do produto.

 

Sobre o plano de aceleração da desalavancagem financeira da empresa, Queiroz lembra o anúncio de duas medidas importantes: o aumento de capital privado e a listagem da Athena Foods. O primeiro passo foi concluído em dezembro último, com adesão de mais de 90% dos acionistas da companhia e subscrição de R$ 965 milhões. A segunda etapa, que implica na abertura de capital da divisão Athena Foods no Chile, está prevista para ser concluída ainda no primeiro semestre desse ano.

 Além dos pontos altos da companhia, o cenário do mercado mundial da carne bovina também gera perspectivas positivas. Nesse contexto, o presidente da Minerva cita o desequilíbrio entre o fornecimento e a demanda por carne bovina, que segue evidente, e os recentes movimentos no mercado asiático, como o surto de gripe suína e o consequente impacto no tamanho do rebanho e consumo dessa proteína, que abrem oportunidades para elevação da demanda por outras proteínas, como a carne bovina. Em paralelo, a Austrália, que é um dos maiores exportadores mundiais do produto e um importante competidor no mercadão mundial, tem sido impactada por contínuos problemas climáticos que têm dificultado a recomposição mais eficiente do seu rebanho bovino; no início deste ano, por exemplo, após alguns anos sob uma seca severa, grandes enchentes reduziram em cerca de 500 mil cabeças o rebanho australiano, em grande parte fêmeas, um fator que deverá trazer ainda mais oportunidades comerciais para outras regiões produtoras, com destaque para a América do Sul.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor