Quem vai pagar pelo envelhecimento de quem?

Longevidade se tornou um fator perturbador do capitalismo, afirma professor

Fatos e Comentários / 20:50 - 26 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Chile foi um fracasso anunciado. Muitos no mundo acreditaram que o caminho escolhido por Pinochet levaria o país à vitória na corrida populacional, mas agora deve ficar bem atrás e perder espaço na geopolítica do envelhecimento”, diz o jornalista e professor da Universidade de São Paulo Jorge Félix. O modelo de privatização da previdência do Chile foi tema de muitos artigos publicados por Félix, alertando para o que hoje está sendo verificado: o risco de convulsão social naquele país.

Os conflitos nas ruas do Chile, a guerra comercial entre Estados Unidos e China, a desigualdade social crescente em quase todo o planeta, o fluxo migratório global, a desindustrialização brasileira, as mudanças climáticas e a chamada 4ª revolução industrial, todos estes temas têm relação com o envelhecimento populacional, sustenta o professor. A dinâmica demográfica, inédita na história do capitalismo, está construindo uma nova geopolítica. Essa é a tese principal do livro Economia da Longevidade – o envelhecimento populacional muito além da previdência (106 Editora), que Jorge Félix está lançando.

Pela primeira vez na história, está em disputa “quem vai pagar pelo envelhecimento de quem”, e a economia e a política sofrem esses efeitos perenes da demografia. De acordo com Félix, a corrida populacional é uma das ameaças contemporâneas para a democracia. “A longevidade é uma grande vitória da Modernidade, mas se tornou um fator perturbador do capitalismo”, sentencia. As transformações sociais decorrentes da dinâmica demográfica do século XXI colocam países pobres e países ricos em uma disputa ainda mais acirrada. “O Brasil está atrasado nessa corrida, principalmente devido à desindustrialização precoce”, afirma o autor.

 

AI-Guedes

O quadro latino-americano e o atual governo brasileiro não permitem menosprezar ameaças ditatoriais como a que fez Paulo Guedes sobre o AI-5. Ainda que levando isto em conta, a fala do ministro parece se inserir na estratégia de naturalizar o tema e desviar o assunto, evitando falar, por exemplo, da crise cambial em curso.

Guedes reflete a falta de apreço da direita pela democracia, como exemplificam hoje as repressões no Chile e Colômbia e o golpe na Bolívia. Fazem, sem titubear e sem disfarçar, aquilo de que acusam as esquerdas.

 

Freud ou Bannon explica

Questionado sobre o AI-5, Jair Bolsonaro desconversou e disse que falaria sobre o AI-38, referindo-se ao partido que está criando. Ato falho?

 

Invasão

O Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) lança nesta quarta-feira relatório sobre os custos que a proteção tarifária estaria impondo à sociedade, ou seja, quanto os consumidores brasileiros estariam “transferindo” por meio do sobrepreço pago pelo produto vendido no mercado doméstico em “função da existência de tarifas de importação que limitam a concorrência externa”.

A discussão faria sentido em uma nação desenvolvida, que vive de royalties, dividendos, serviços e emite moeda forte. Em um país que está se desindustrializando prematuramente, redução de tarifas ampliaria a destruição de empregos de qualidade. Os produtos poderiam ficar baratos, mas não haveria consumidor em condição de comprá-los.

 

O mundo gira

Nunca diga “desta hóstia não paparei”. Augusto Nunes tripudiava por Paulo Henrique Amorim trabalhar na Record: “Olá, tudo bem? Edir Macedo é meu segundo pai”. Hoje, Nunes trabalha na emissora do bispo. Qual seria o parentesco dele?

 

Rápidas

Cid Benjamin lança Estado Policial – Como sobreviver em tempos de ovo da serpente nesta quinta, às 18h, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro, durante o II Congresso Nacional Policiais Antifascismo, que terá sessão também na sexta-feira *** O Brasil sedia, até esta quarta-feira, o Workshop Regional do Atlântico Sul, no Rio de Janeiro, sobre estratégias para o futuro do oceano. A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza lançará um relatório bilíngue com recomendações para a causa oceânica *** Até o dia 30, a DFL, fabricante de soluções odontológicas, receberá (na rua André Rocha, 3210, Taquara) brinquedos novos que serão doados para a Creche Municipal Criança do Futuro, do bairro de Curicica, Jacarepaguá (RJ) *** O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio promove, em parceria com a PUC-Rio e o Cemp, o 1º Encontro Intersetorial de Inovação Social do Rio de Janeiro, nestas quinta e sexta. Inscrições: even3.com.br/nortedeimpacto *** Nesta quinta, Raquel Araújo, chefe de Relações Institucionais & Governamentais do Di Blasi, Parente & Associados, fala sobre seus aprendizados acompanhando a Missão Oficial do Governo na China, em evento promovido pelo Instituto de Relações Governamentais. Também participa Manoel Fernandes, CEO da Bites Consultoria. Será no auditório da Academia Brasileira de Letras (Av. Presidente Wilson 231/2andar), de 17h às 20h *** A Insight Comunicação e o Instituto Cultural Cravo Albin (ICCA) lançam nesta quinta-feira, a nova edição do Almanaque Carioquice, que mostra um Rio de Janeiro surpreendente e desconhecido de muitos cariocas.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor