Advertisement

Quem disse que pobre não quer trabalhar?

Conjuntura / 16 Maio 2018

Entre quem ganha Bolsa Família, predisposição ao batente é ainda maior

Apenas 8,6% das pessoas pobres desocupadas, de 14 anos ou mais, dizem não querer trabalhar. Um terço não procura trabalho porque precisa cuidar dos filhos, de parentes ou cuidar dos afazeres domésticos. Estes dados foram levantados pela Fundação Perseu Abramo, ligada ao Partido dos Trabalhadores, dentro da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) de 2017, do IBGE.
Os números desmentem a tese difundida pela direita que o pobre não quer trabalhar. Dentre os beneficiários do Programa Bolsa Família, a predisposição para o trabalho é ainda maior: apenas 3,5% não trabalham por não desejar, e somente 3,3% não trabalham por se considerarem muito jovens ou idosos.
É considerada pobre a família com renda per capita inferior a meio salário mínimo. No universo dos não pobres, a proporção dos que não trabalham porque não querem sobe para 14,8%, percentual pouco inferior ao dos que declaram não buscar emprego devido à demanda por cuidados com filhos, outro parente ou afazeres domésticos (18,8%).
O principal motivo para as pessoas em famílias não pobres para não buscar emprego, citada por 29,2% dos pesquisados pelo IBGE,é se acharem muito jovens ou muito idosos para o trabalho. Nas famílias com baixo rendimento esta proporção é de apenas 13,2%.