Quem denunciou fraude no balanço da Via Varejo? Um porteiro?

Empresa diz que investigação ainda não mostrou comprovação de anormalidades; ações caem.

Acredite se Puder / 18:09 - 13 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A negociação com as ações da Via Varejo foi suspensa das 11h56 às 12h16. Tais títulos voltaram ao pregão através de leilão e tiveram queda de mais de 9%, em virtude da denúncia anônima de fraude contábil no balanço da companhia. Depois as perdas foram reduzidas para a faixa de 3%. De morrer de rir é que a Via Varejo, através de comunicado de esclarecimento ao mercado, afirmou que está averiguando irregularidades na elaboração e divulgação de informações financeiras da companhia.

A dona das marcas Casas Bahia, Ponto Frio e Extra.com alega que a primeira fase de investigações sobre as supostas irregularidades contábeis não confirmou as alegações contidas nas denúncias anônimas. Já a segunda e última fase ainda se encontra em andamento, mas a administração da companhia, até então, não encontrou nada que altere os resultados da fase anterior.

Pitoresco é que as denúncias foram recebidas entre o final de setembro e começo de outubro e foram encaminhadas para um comitê que se reporta ao Conselho de Administração e é assessorado por consultores independentes e de renome. E a companhia manteve tudo em silêncio, sem comunicar à Comissão de Valores Mobiliários, nem ao mercado, embora saiba que se houver algum tipo de confirmação, haverá impactos nos resultados trimestrais. Agora não é importante saber o nome do porteiro, ou onde está o Queiroz; no momento, todos querem saber quem maculou o balanço da Via Varejo. Será que foi um concorrente?

 

Google vai abrir contas bancárias para usuários

Em parceria com o Citigroup e a Stanford Federal Credit Union, a partir do próximo ano, o Google vai oferecer o projeto Cache, abertura de contas-correntes, segundo notícia do Wall Street Journal. As contas do Google serão abertas junto a essas entidades e utilizando os nomes delas. Analistas consultados, no entanto, acham que as perspectivas não são as melhores, pois anteriormente Apple e Facebook fizeram tentativa nesse sentido e não conseguiram alargar os serviços oferecidos, pois usuários não quiseram se tornar clientes pela simples razão: tiveram receio de confiar os seus dados pessoais às gigantes tecnológicas. Existem também os rumores de que a Amazon está em conversações com o JPMorgan com o mesmo objetivo da Google.

 

Gigafábrica da Tesla será na Alemanha

Ao receber o prêmio Volante de Ouro do jornal alemão Bild, Elon Musk anunciou que a Tesla instalará uma gigafábrica e um centro de engenharia e design em Berlim. O Financial Times informou que os modelos Model 3 e Model Y serão produzidos na nova fábrica, que ficará perto de um aeroporto, e o início da produção está previsto para 2021. Enquanto isso prosseguem as expansões na fábrica de Xangai, responsável pela linha de produção do Model 3.

 

Congresso tem de premiar delação de fraudes

O Congresso brasileiro tem de criar uma lei semelhante à Sarbanes-Oxley, que, nos Estados Unidos, estimula as denúncias sobre fraudes contábeis e atividades irregulares das empresas registradas na Securities and Exchange Commission e outros reguladores. O maior incentivo para os denunciantes é a participação na punição às companhias, que são bastante elevadas nesses casos.

 

Que tal uma MP para reduzir as multas?

Para ajudar pequenas empresas e o brasileiro em geral, o presidente Bolsonaro devia baixar MP reduzindo as multas de 20% nos impostos. Devia torná-las progressivas. Atrasou um mês, só 5%, se passar de dois meses, passa para 10%. Numa inflação de 3%, multa de 5% dói.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor