PT pede investigação sobre fraude eleitoral pró-Bolsonaro

Dono de empresa espanhola confirmou que vendeu software a várias empresas brasileiras para disparar mensagens em massa a favor de Bolsonaro.

Política / 00:57 - 19 de jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Partido dos Trabalhadores (PT) irá ingressar no Tribunal Superior Eleitoral com pedido de investigação sobre a atuação de uma empresa da Espanha que fez disparos de mensagens em massa pelo aplicativo WhatsApp em favor de Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral do ano passado.

As revelações foram feitas pela jornalista Patricia Campos Mello, do jornal Folha de S. Paulo. Segundo o jornal, a informação aparece em gravações obtidas pelo veículo com o espanhol Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps. Nos áudios, ele revelou que “empresas, açougues, lavadoras de carros e fábricas” brasileiros compraram seu software para mandar mensagens em massa a favor de Bolsonaro.

Para a presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), essa denúncia somada às conversas pouco republicanas entre o então juiz Sergio Moro (ministro da Justiça) e o procurador Deltan Dallagnol, reveladas pelo Intercept Brasil, mostram a farsa da eleição de Bolsonaro. “Doações de empresas e pessoas físicas não declaradas são ilegais. Oito meses depois do TSE abrir apuração sem impulsionamentos contra o PT, ninguém foi ouvido”, lembrou Gleisi.

“Está comprovada a denúncia feita ainda na campanha. Não é um mecanismo amador ou voluntário de tiozões disparando bom dias e fake news por redes sociais. Estamos diante de um megaesquema de manipulação da opinião pública, um risco à democracia”, avaliou o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor