Professores paulistas fazem paralisação contra Governo Doria

Docentes rechaçam a proposta de nova carreira do magistério anunciada pelo governador.

São Paulo / 23:46 - 26 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os professores estaduais paulistas decretaram nesta terça-feira uma greve contra dois projetos que consideram ataques do governo de João Doria (PSDB). A greve, no entanto, não será contínua, mas periódica, realizada toda terça-feira, até que consigam derrubar os projetos. As informações são da Rede Brasil Atual.
Os docentes rechaçam a proposta de nova carreira do magistério, anunciada recentemente pelo governo Doria, e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2019, que estabelece a reforma da previdência estadual. Os professores aguardam definições de outras categorias do funcionalismo, para uma possível greve geral do funcionalismo. A categoria também vai realizar uma vigília permanente na Assembleia Legislativa, para evitar uma votação surpresa da PEC.
Segundo a reportagem da RBA, a nova carreira do magistério é uma manobra de Doria para congelar os salários dos professores para além da política de zero reajuste que os governos tucanos praticam contra os docentes desde 2015. Um projeto de lei deve ser apresentado na Assembleia, mas a expectativa é que comece a valer em 2020, com o salário inicial do professor no regime de 40 horas semanais passando a R$ 3,5 mil – e R$ 4 mil em 2022. Embora alegue que haverá aumento de 54% no salário inicial da categoria, o governador propõe que os salários sejam considerados “subsídios” em vez de “vencimentos”.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor