Produtividade industrial cresce menos que em 2017 e 2016

Em 10 anos, Brasil tem sexto melhor resultado entre 10 países.

Conjuntura / 22:39 - 5 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A produtividade da indústria brasileira aumentou 0,8% em 2018, menos do que nos dois anos anteriores: em 2017, cresceu 4,4%, e em 2016, 1,8%. “A produtividade aumentou mais durante a crise, período em que as empresas ampliaram os investimentos em melhoria da gestão, na busca por maior eficiência, enquanto que os trabalhadores, com medo do desemprego, também buscaram ser mais produtivos”, explicou a economista da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Samantha Cunha.
A elevação da produtividade do Brasil em 2018 foi inferior à dos Estados Unidos (1,2%); Países Baixos (1,3%); França (2,3%); e Coreia do Sul (3,4%). Mas superou a do Japão e Itália (0,6%); Reino Unido (queda de 0,1%); Alemanha (-1,1%); México (-2,1%); e Argentina (-3,6%).
A CNI utiliza como indicador de produtividade a razão entre o volume produzido e as horas trabalhadas na produção. Nos últimos dez anos, de 2008 a 2018, a produtividade na indústria brasileira cresceu 11,6%, o sexto melhor resultado entre dez parceiros comerciais avaliados. Na década, a França, com ganhos de 26,8%, teve o maior avanço na produtividade; Itália, Alemanha, Países Baixos e Coreia do Sul tiveram aumento entre 15,2% e 17,4%. Estados Unidos tiveram elevação de 7,3%; Reino Unido, 4,9%; e Argentina, 3,7%. Já o Japão teve diminuição da produtividade de 3,8%, e o México, de 0,2%.
No segundo trimestre de 2019, a produtividade aumentou 0,8% em comparação com o primeiro trimestre do ano. O indicador mostra recuperação, após cair 1,6% no quarto trimestre de 2018. Na comparação com o segundo trimestre de 2018, o resultado é positivo: alta de 2%.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor