Advertisement

Privatização da Eletrobras perde apoio do MDB

Conjuntura / 17 Maio 2018

Governistas propõem abrir o capital de quatro subsidiárias e manter controle

Vice-líder do governo na Câmara, o deputado federal Leonardo Quintão (MDB-MG) entregou nesta terça-feira ao ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, e membros da equipe econômica uma proposta alternativa à privatização da Eletrobras que hoje tramita em Comissão Especial na Câmara.
A proposta sugere a abertura de capital das quatro principais subsidiárias de geração e transmissão de energia (Furnas, Chesf, Eletronorte e Eletrosul), que juntas alcançaram resultado de R$ 4,7 bilhões em 2017. Pela proposta, as empresas continuariam com controle estatal, já que seria feita uma oferta minoritária das ações de propriedade da Eletrobras em cada uma delas.
O Governo Federal publicou na edição desta quarta-feira do Diário Oficial da União (DOU) um novo decreto sobre a privatização da empresa. O texto edita o decreto publicado no mês passado que tratou dos estudos necessários para a privatização e incluiu a Eletrobras no Plano Nacional de Desestatização (PND).
O novo texto modifica a redação sobre a etapa dos estudos técnicos necessários à venda da empresa. O decreto condiciona a assinatura do contrato para a realização desses estudos à aprovação, pelo Congresso Nacional, do Projeto de Lei 9.463/2018, que define os termos da desestatização da companhia e ainda está em discussão na Câmara dos Deputados. 
A Eletrobras registrou no primeiro trimestre deste ano lucro líquido de R$ 56 milhões contra R$ 1,378 bilhão do mesmo período do ano passado. Segundo a estatal, houve perdas em termos de provisões no período, principalmente no setor de distribuição, que registrou resultado negativo líquido de R$ 1,910 bilhão.