Previdência de Guedes é pior problema para os chilenos

Pesquisa mostra que sistema sonhado por ministro brasileiro é condenado por 91%.

Internacional / 23:35 - 4 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Nove em cada dez chilenos consideram Previdência em seu país – sonho do ministro Paulo Guedes para o Brasil – o pior problema do Chile. O instituto de pesquisas chileno Termômetro Social apontou que, para 91% dos habitantes, a Previdência é o pior problema do país.
Também despontam entre os motivos de insatisfação a saúde (89,4%) e a educação (85,5%). A pobreza foi citada como problema de mais alta prioridade para 81,6%, e o custo de vida teve 79,6% de repúdio total. Em outubro, milhões de chilenos foram às ruas protestar contra a política econômica e social.
No início deste ano, o ministro Paulo Guedes chegou a chamar o Chile de “Suíça latino-americana” e tem na Previdência por capitalização chilena o modelo que quer implantar no Brasil.
De acordo com a última pesquisa para medir a satisfação do cidadão chileno com a presidência do país, 79% dos entrevistados desaprovam a gestão de Sebastián Piñera. Além disso, 87% eram a favor de uma reforma constitucional, que modifica a proposta em 1980 durante a ditadura de Augusto Pinochet, e 72% esperam que os protestos continuem.
Na última segunda-feira e após duas semanas de protestos constantes nas ruas de todo o país e conselhos populares para exigir uma mudança de modelo político e econômico, a aprovação do presi-dente chileno caiu para 13%, a menor desde 1990, quando o Chile recuperou a democracia.
A consulta – realizada entre terça e quarta-feira, quando Piñera tentou recuperar a iniciativa modificando grande parte de seu gabinete – mostra que a imagem do presidente continua caindo e que as mudanças de ministros não significaram muito para a reivindicação dos chilenos, já que 64% classificaram como algo negativo.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor