Preço médio de passagens cai até 23% após chegada de aéreas low costs

Levantamento analisou preços que a chilena Sky Airline e a norueguesa Norwegian Air praticam antes e depois da chegada destas companhias.

Empresas / 12:05 - 22 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Desde novembro de 2018 companhias aéreas de baixo custo estão operando voos internacionais no Brasil, oferecendo um serviço simples, sem refeições, bagagens ou marcação de assentos inclusos em seus preços de base, com o objetivo de baratear as passagens e estimular viagens.

Levantamento realizado pela plataforma Kayak analisou os preços médios de algumas rotas em que a chilena Sky Airline e a norueguesa Norwegian Air estão operando antes e depois da chegada destas companhias. O levantamento revela uma queda de até 23% nos preços médios de passagens nestas rotas após a chegada das chamadas low costs.

"Os preços podem ter diminuído tanto pela oferta de passagens baratas das low costs como por uma revisão de estratégia de companhias tradicionais, que podem estar baixando seus preços de base e oferecendo voos com menos serviços para continuarem competitivas", afirma Eduardo Fleury, líder de Operações do Kayak no Brasil.

"De qualquer forma, é importante que o viajante saiba que está pagando mais barato por um produto mais simples e que se quiser todos os serviços de bordo inclusos os preços sobem", completa.

No último mês começaram a operar outras duas companhias de baixo custo: a chilena JetSmart, que por ora está voando de Salvador para Santiago, e a argentina Flybondi, que está voando do Rio de Janeiro para Buenos Aires. Essas rotas também podem apresentar queda em seus preços médios ao longo dos próximos meses.

A pesquisa da rota Rio de Janeiro - Santiago foi feita em 2 de outubro no Kayak por voos de ida e volta com saída do aeroporto Rio Galeão com destino a Santiago. Para a tabela de comparação de preços, foram comparadas buscas feitas entre de 4 de agosto e 4 de novembro de 2018 (três meses antes do início das operações da Sky Airline no RJ) com 5 de novembro de 2018 e 5 de fevereiro de 2019 (três meses após do início das operações da Sky Airline no Rio), para viagens em 2019.

Na Rota São Paulo - Santiago, a pesquisa foi feita em 2 de outubro de 2019 no Kayak por voos de ida e volta com saída de Guarulhos e destino Santiago. Para a tabela de comparação de preços, foram comparadas buscas feitas entre 16 de setembro a 16 de dezembro de 2018 (três meses antes do início das operações da Sky Airline em São Paulo) com 17 de dezembro de 2018 e 17 de março de 2019 (três meses após o início das operações da Sky Airline em São Paulo), para viagens em 2019.

Já a metodologia da rota Rio de Janeiro - Londres embasou-se em pesquisa feita em 2 de outubro de 2019 no Kayak por voos de ida e volta com saída do aeroporto Rio Galeão com destino a Londres. Para a tabela de comparação de preços, foram comparadas buscas feitas entre de 30 de dezembro de 2018 e 30 de março de 2019 (três meses antes do início das operações da Norwegian no Rio) com 31 de março e 30 de junho de 2019 (também três meses após o início das operações da Norwegian na cidade), para viagens em 2019.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destaca que a operação de novas empresas aéreas reforça o aumento da competitividade e desenvolve a conectividade aérea. "O estímulo à competitividade é uma das medidas para estimular a queda no preço das passagens. Países vizinhos, como Argentina, Colômbia e Chile, com cerca de um quarto da população do Brasil, têm mais que o dobro de empresas voando nos destinos domésticos. Estamos no caminho certo", disse o ministro.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor