Preços e dívidas ainda dificultam compras no Dia das Crianças

Conjuntura / 09 Outubro 2017

Com uma das datas mais esperadas pelos varejistas se aproximando, o Dia das Crianças, comemorado no dia 12 de outubro, tem previsão de movimentar o comércio. Mas, segundo pesquisa da Boa Vista SCPC, a contenção dos gastos das famílias e os preços elevados dos produtos vão pressionar o consumo para baixo. Das mais de mil pessoas consultadas no país, 57% informou que pretende gastar uma quantia igual ou menor que o ano passado para comprar o presente da criançada.

A maior razão para essa contenção são os preços, citado por 34% dos entrevistados, enquanto o orçamento familiar curto foi apontado por 28%. Apesar desses números, o número de negócios efetuados no comércio ainda deverá agradar os lojistas que estão prontos para vender. Para o advogado especialista em Direitos do Consumidor e do Fornecedor, Dori Boucault, mesmo comprando menos, os consumidores devem estar atentos na relação comercial deste período. 

Como o aumento de preços é uma das reclamações, o ideal é que o consumidor pesquise muito antes de fechar negócio.

- Pode ser que o mesmo produto esteja mais barato na loja ao lado ou naquela um pouco mais distante de sua casa - alerta o especialista.

Para quem está desempregado ou teve redução de renda, é bom pensar num presente alternativo mais em conta que aquele que a criança às vezes solicitou e que é mais caro.

- Trata-se de um momento delicado para a família e nada mais justo que as crianças entenderem o momento. Com uma boa conversa, de forma franca e sem imposição, eles entenderão sobre a falta de dinheiro ou as economias mais curtas da família - observa Boucault.

Outro número apontado na pesquisa Boa Vista SCPC diz que 43% dos entrevistados pretende comprar um presente mais caro na data comemorativa e o desejo dos filhos responsável por 33% das repostas na compra de presentes.

- É bom ficar de olho nas variações de preços. Se você está pensando em comprar, registre os preços desde já, faça as comparações e decida, para não chegar na última hora e ter de pagar mais caro - aponta o advogado.

De acordo com a pesquisa, houve uma alta de 14% sobre o valor médio dos produtos em relação ao preço do mesmo produto no ano passado.

 

Gastos em 2017 serão bem menores em comparação ao ano passado

Pesquisa realizada entre 30 de setembro a 2 de outubro, pela Aondeconvem, a maior plataforma de varejo mobile do mundo, com mais de 9 milhões de usuários no Brasil, revelou que 29% menos consumidores comprarão presentes no Dia das Crianças deste ano. A pesquisa foi respondida por mais de 7 mil usuários.

Em 2016, a mesma pesquisa apurou que 86% dos pesquisados fariam compras no Dia das Crianças. Este ano, 57% dos entrevistados planejam comprar presentes para esta data.

Quando questionados sobre o tipo de presente a ser comprado, 56,5% menciona que comprará brinquedos e 22,5% vestuário, indicando uma mudança muito grande em relação ao tipo de presente escolhido comparando com os resultados de 2016. Naquele ano, 94,5% planejaram comprar brinquedos e 2,5% vestuário.

Em relação ao montante a ser gasto com presentes nesta data, 31% dos participantes deve gastar até R$ 50,36% planejam gastar entre R$ 50 e R$ 100, e 20% gostaria de desembolsar de R$ 100 a R$ 200. Comparando com os resultados de 2016, houve uma baixa em relação à faixa entre R$ 100 a R$ 200, já que no ano passado, 30% dos entrevistados se preparavam para gastar esse montante.

A decisão de compra do melhor presente está baseada nos quesitos: preços (44%), seguido da qualidade do produto (28%), possibilidades de descontos (17%), facilidade na hora de fazer o pagamento (8%) e localização do ponto de venda (3%).

Entre os 7.626 participantes deste levantamento, 69,74% eram do sexo feminino, e 30,26% masculino.