Prazo médio para exportação pode cair 40%

O prazo para vendas de produtos ao exterior poderá ser reduzido em cerca de 40%, segundo estimativa do governo com o lançamento do Novo Processo de Exportações do Portal Único do Comércio Exterior (sicomex.gov.br). A meta é reduzir o tempo de exportações de 13 para 8 dias e de importação de 17 para 10 dias, quando o projeto estiver totalmente implementado. O objetivo é também oferecer trâmites simplificados para vendas externas com eliminação de documentos e etapas. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o novo processo vai alcançar cerca de 5 milhões de operações anuais de exportações, envolvendo mais de 25,5 mil empresas.

Na fase inicial, o projeto só contempla as exportações realizadas por transporte aéreo, por meio dos aeroportos de Guarulhos-SP, Viracopos-SP, Galeão-RJ e Confins-MG, sujeitas a controle apenas da Receita Federal. A proposta do governo é estender a medida para todos os aeroportos do país e demais modais (marítimo, fluvial, rodoviário e ferroviário, além das operações com intervenção de outros órgãos federais, ao longo deste ano. Segundo o ministério, a fase inicial nos quatro aeroportos agilizará o desembaraço das mercadorias de elevado valor agregado que representaram, em 2016, quase US$ 6 bilhões em exportações, 55,7% das operações realizadas por via aérea.

BC eleva previsão do superávit comercial

Com a alta nas exportações, além de preços melhores para o produtor, o resultado da balança comercial deve ser maior que o esperado inicialmente. De acordo com relatório divulgado pelo Banco Central a previsão para esse saldo passou de US$ 44 bilhões para US$ 51 bilhões. Os embarques para o exterior, segundo o BC, devem encerrar o ano em US$ 200 milhões. Caso esse valor se confirme, será um avanço de 8,7% frente aos US$184,4 bilhões observados em 2016. No caso das importações, o Brasil deve registrar compras de US$ 149 bilhões neste ano.

Brasil e Uruguai discutem relações comerciais

O secretário-executivo do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, está negociando com o embaixador do Uruguai no Brasil, Carlos Amorim, temas de interesse nas relações comerciais entre os dois países, a serem tratados em mecanismo de diálogo bilateral. Entre eles, a Comissão de Comércio Bilateral (CCB), que terá a segunda reunião este ano, em Montevidéu. A proposta é que o encontro ocorra ainda no primeiro semestre deste ano. Temas como a assinatura de acordos de investimentos e compras governamentais, integração produtiva e a criação de um Certificado de Origem Digital (COD) foram discutidos e devem ser levados à Comissão. Além disso, pautas como a exportação de erva-mate para o Uruguai, facilitação aduaneira e comércio automotivo também deverão entrar na agenda bilateral.

Câmaras europeias querem promover negócios

As Câmaras de Comércio Europeias do Rio de Janeiro se uniram com o objetivo de fortalecer ações e promover eventos voltados à comunidade empresarial euro-brasileira. A ação, que reúne as Câmaras da Alemanha, Bélgica-Luxemburgo, França, Holanda, Itália, Noruega, de Portugal e do Reino Unido, tem como objetivo gerar oportunidades de negócios. A parceria será celebrada oficialmente, em um evento para convidados, no dia 28 de março, no Caesar Park, em Ipanema. Os representantes das Câmaras consideram a iniciativa fundamental para unir forças no cenário atual. Segundo eles, a situação política e econômica no Brasil deixou as empresas inseguras e é preciso se unir para trocar experiências e iniciativas para entender melhor o contexto e agir. A união prevê, ainda, uma atuação mais forte, coesa e influente junto às autoridades brasileiras, gerando resultados concretos para as Câmaras e para as empresas associadas.

Vinícolas fazem bons negócios em Düsseldorf

A projeção das dez vinícolas brasileiras que participaram da ProWein – a maior feira de vinhos do mundo – foi superada em quase 60% e deve atingir US$ 1,5 milhão em vendas para o Exterior. O montante será atingido nos próximos 12 meses e foi resultado de mais de 250 contatos comerciais feitos em três dias de realização do evento. Entre os países com maior interesse pelos vinhos brasileiros estão importantes mercados para a bebida no mundo, como Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha e China, e também países com procura mais recente pelo produto nacional, como Canadá e Peru. As vinícolas que representaram o Brasil em sua 13ª participação na exposição encerrada nesta terça-feira (21), em Düsseldorf, na Alemanha, foram a Aurora, Basso, Casa Perini, Casa Valduga, Don Guerino, Lidio Carraro, Miolo, Peterlongo, Pizzato e Salton. A ação é do projeto setorial Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), por meio do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura do RS (Fundovitis), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

AEB promove em abril o ENAServ 2017

A Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) promove a 19 de abril, em São Paulo, a 8ª edição do Encontro Nacional do Comércio Exterior de Serviços – ENAServ 2017, com o tema “Exportar serviços para ampliar fronteiras”. As inscrições, que são gratuitas, já estão abertas e podem ser feitas no site www.enaserv.com.br/2017