Advertisement

Portugueses queriam invadir EUA através do México

Acredite se puder / 15 Maio 2018

No final de 2013, os diretores da Colesp, empresa do grupo português RAR de embalagens, jamais imaginaram que Donald Trump chegaria à presidência, como a maioria dos norte-americanos. Então se apressaram em adquirir a fabricante mexicana Aerosoles y Liquidos S.A, instalada na localidade de Santiago de Querétaro. O objetivo dessa compra era conquistar mercados na América Central e também nos Estados Unidos. Desde a eleição de Trump, no entanto, a atividade industrial da Colep no México está paralisada.

Revoltados, os portugueses dizem que os problemas são decorrentes das políticas protecionistas defendidas pela nova administração norte-americana e que podem afetar este mercado vizinho, E alegam que estavam com negociações importantes para trazer o negócio dos EUA para o México quando as coisas foram paralisadas, ressaltando que ninguém assume a decisão de transferir para o México coisas que estão sendo produzidas nos EUA sem saber qual vai ser o regime legal que será seguido.

Com uma receita global na faixa dos 470 milhões de euros – 80% feita com clientes que são gigantes do grande consumo, como a Colgate, Unilever, Procter & Gamble ou Beiersdorf (Nívea) – a empresa tem presença em Portugal, Brasil, Alemanha, México, Polônia, Espanha, Emirados Árabes Unidos e Reino Unido, onde emprega cerca de 2.800 pessoas.

 

Citi eleva Sabesp e reduz Transmissão

Os analistas do Citi elevaram a recomendação das ações da Sabesp para neutra e estabeleceram um objetivo de alta em R$ 31. Os mesmos técnicos reduziram a da Transmissão Paulista para neutra, com preço alvo de R$ 71,20. Devido a isso, as ações da primeira abriram esta semana em alta após um período de baixa, pois a revisão de suas tarifas foi abaixo do esperado.

 

Eletropaulo se pronunciará até 30 de maio

O conselho de administração da Eletropaulo vai se manifestar até 30 de maio sobre as ofertas públicas voluntárias para aquisição de até a totalidade das ações da companhia apresentadas pela italiana Enel, Neoenergia, e espanhola Ibedrola, além de eventuais ofertas concorrentes. Um leilão público em que as ofertas serão colocadas para os acionistas, e no qual eventualmente poderá haver novos lances das empresas pela distribuidora foi agendado para 4 de junho pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

 

Brasileira EDP leva um tombo

Quando os investidores tomaram conhecimento da oferta de aquisição da CTG pela EDP Portugal, as ações da subsidiária brasileira subiram 15%. Porém, quando todos tiveram conhecimento de que os chineses não são obrigados a fazer qualquer oferta no Brasil, pois (1) a formação de bloco indireto de controle não está contemplada na Lei das S/A no Brasil e (2) não viola diretamente o acordo de acionistas da ENBR3. Com isso, as ações fecharam em forte queda de quase 11%.

 

Explicação para queda do Banrisul

As ações preferenciais do Banrisul chegaram a registrar perdas de até 7,95% no pregão da última terça-feira. A explicação mais esdrúxula encontrada foi que o lucro trimestral da instituição foi R$ 244 milhões, mas uma pesquisa de analistas feita pela Bloomberg dava uma média de R$ 254 milhões. Caramba, ninguém sabe o que é pior: essa tipo de pesquisa ou as eleitorais, que apresentam resultado de acordo com o pagamento de um candidato. O lucro do Banrisul cresceu 33,1% em relação ao mesmo período do ano passado.