Portal Único facilita exportação das pequenas empresas

Negócios Internacionais / 10 Julho 2017

Ficou mais fácil para micro, pequenas e médias empresas exportarem. A partir desta semana, os exportadores brasileiros poderão preencher a Declaração Única de Exportação (DU-E) na própria tela do Portal Único de Comércio Exterior em vez de enviar os dados via Webservice, um padrão de comunicação entre sistemas, feito de computador para computador, utilizado majoritariamente por grandes empresas. A DU-E substitui os atuais Registro de Exportação (RE), Declaração de Exportação e Declaração Simplificada de Exportação (DSE). Integrada à Nota Fiscal Eletrônica, a DU-E possibilita reduzir em até 60% a necessidade de preenchimento manual de dados. Com isso, promove-se a garantia da integridade das informações, redução de erros e a facilitação da comprovação das exportações junto aos fiscos estaduais. Espera-se redução de até 40% do prazo médio para a efetivação de uma operação de exportação.

Inicialmente, os registros da DU-E eram feitos apenas por WebService, uma tecnologia com uma linguagem cheia de códigos. E, para usá-la, era preciso o intermédio de especialistas em TI para integrar o sistema da empresa com o sistema do Portal Portal Único do Comércio Exterior. Com a disponibilização da tela para registro, os operadores poderão registrar uma DU-E diretamente através da tela da declaração, de forma mais simples. O próprio empresário pode preencher a DU-E sem a necessidade de investimentos em equipes ou empresas de TI para fazer a integração de sistemas. A medida vai beneficiar principalmente as cerca de 17 mil micro, pequenas e médias empresas exportadoras.

Lançado em março de 2017, o Novo Processo de Exportações oferece trâmites simplificados para as vendas externas dos produtos brasileiros, com a eliminação de documentos e etapas e a redução de exigências governamentais. Inicialmente valia apenas para o modal aéreo, mas foi ampliado na última quarta-feira para as operações realizadas através dos modais marítimo, no Porto de Santos, e rodoviário, nas unidades aduaneiras em Uruguaiana e Foz do Iguaçu. Mais de US$ 50 bilhões de exportações anuais já podem se beneficiar de processos mais simples, rápidos e baratos no comércio exterior.

O acesso ao Portal Único de Comércio Exterior pode ser realizado através do http://portal.siscomex.gov.br

 

Setor eletroeletrônico cresce 6% em maio

A produção do setor eletroeletrônico apontou crescimento de 6,2% no mês de maio de 2017 em relação ao mesmo mês de 2016. É o que mostram os dados divulgados pelo IBGE e agregados pela Abinee. O incremento do setor eletroeletrônico foi superior ao da indústria geral, que atingiu 3,9%. O aumento da produção da indústria eletroeletrônica ocorreu em função da alta de 25,9% na atividade industrial eletrônica, uma vez que a indústria elétrica retraiu-se 7,0%. “Desde dezembro do ano passado, com exceção do mês de abril, a produção do setor vem apresentando resultados positivos quando comparados com os iguais períodos do ano anterior”, diz o presidente da Abinee, Humberto Barbato.

 

Emirados Árabes são foco de têxteis

Os Emirados Árabes Unidos estão entre os mercados-alvo para os próximos dois anos do Texbrasil, programa de internacionalização da indústria têxtil e de moda brasileira. A Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) assinou no mês passado convênio com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para as duas levarem o projeto adiante por mais um biênio. É a 10ª renovação. O projeto auxilia empresas de toda a cadeia têxtil a se tornarem mais competitivas no mercado global e promove ações para impulsionar as exportações

 

Crescem exportações totais de carne bovina

Mesmo com as turbulências que afetam o mercado de carnes brasileiro ainda apresentando seus efeitos, tanto na área internacional como na doméstica, as exportações totais de carne bovina e processada voltaram a apresentar crescimento em junho na relação com o mesmo mês de 2016 pela segunda vez no ano – o único resultado positivo até aqui tinha sido obtido em janeiro. A movimentação em junho atingiu a 123.291 toneladas contra 121.325 toneladas no mesmo mês do ano anterior (+2%). Para amplificar o bom resultado, os preços também apresentaram comportamento positivo, com um crescimento de 9%: a receita obtida passou de US$ 469,2 milhões em 2016 para US$ 510,3 milhões em 2017

 

Abit renova convênio com a Apex-Brasil

A Abit, em parceria com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), inicia o décimo convênio consecutivo do Programa Texbrasil, com a missão de promover o posicionamento e a internacionalização da indústria têxtil e de moda brasileira por mais 24 meses, para o período de junho 2017 a junho de 2019. O projeto continuará apoiando empresas de todos os elos da cadeia têxtil, de diversos portes e regiões do Brasil, auxiliando-as a conquistar competências e se tornarem mais competitivas no mercado global. O novo convênio prevê investimentos no valor de R$ 33,5 milhões, combinando os recursos da Agência e a contrapartida das empresas do setor. Para promover o desenvolvimento sustentável no processo de internacionalização, o projeto inclui a implementação de novas estratégias nas frentes de capacitação, informação, negócios, imagem e customização.

 

Contato com o colunista: editor@exportnews.com.br