Por pressão sindical, Covas suspende PL que acabava com cobrador

Decisão foi tomada para atender reivindicação dos trabalhadores do transporte coletivo, que tinham anunciado greve para hoje.

São Paulo / 12:24 - 31 de jul de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Prefeitura de São Paulo suspendeu o projeto que extinguia a função de cobrador de ônibus na cidade. A decisão foi tomada para atender reivindicação dos trabalhadores do transporte coletivo, que tinham anunciado uma greve para hoje. A administração voltou atrás na proposta e o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transportes Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindimotoristas) desistiu da paralisação.

Em junho, uma portaria da Secretaria Municipal de Transportes havia estipulado que os novos ônibus adquiridos para a renovação da frota deveriam estar preparados para circular sem cobrador. Segundo o texto, atualmente apenas entre 5% e 6% dos passageiros usam dinheiro para pagar as passagens, e 44% dos coletivos já não têm mais a função de cobrador.

A portaria instituiu a criação de um grupo de trabalho para a formatação e projeto de requalificação de mão de obra para os cobradores, de forma a realocar os funcionários em outras atividades.

O grupo foi mantido e a discussão sobre a readaptação dos cobradores vai continuar. Porém, os novos ônibus serão adquiridos conforme o modelo que prevê o exercício da função.

 

Agência Brasil

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor