População de rua na capital paulista já passa de 24 mil

A região da Sé, no centro da cidade, registrou a maior concentração da população em situação de rua, com 45% do total.

São Paulo / 00:13 - 1 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Censo da População em Situação de Rua identificou 24.344 pessoas vivendo nessa situação na cidade de São Paulo, em 2019. O número é 53% maior do contabilizado em 2015, quando foram encontradas 15.905 pessoas dormindo em calçadas ou abrigos públicos.

Entre as pessoas sem lugar para morar na capital paulista, 11,7 mil dormem em abrigos e 12,6 mil estão em calçadas ou sob viadutos. A maioria, 69,35, é negra, sendo 47,6% pardos e 21,7% pretos. Os indígenas somam 1,7% e os brancos, 28%. Os homens representam 85%. Em relação à identidade de gênero, 386 se declararam transexuais.

A região da Sé, no centro da cidade, registrou a maior concentração da população em situação de rua, com 45% do total. A Mooca, na Zona Leste, apareceu como a segunda região em número de pessoas sem casa, com 19% dessa população.

Segundo a Qualitest, empresa responsável pela realização do censo, o número de pessoas em situação de rua cresceu acima das estimativas, com base no ritmo de aumento dos últimos anos. 

Os conflitos familiares (50%) foram a maior causa apontada pelas pessoas para ficarem sem residência. Outros fatores também apareceram com destaque nos questionários, como a perda do trabalho (23%), problemas com álcool e drogas (33%), a perda da moradia (13%) e a passagem pelo sistema penitenciário (3%).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor