Pobreza extrema subiu 11% no Brasil de 2016 para 2017

Conjuntura / 13 Abril 2018

A pobreza extrema subiu 11% no Brasil. Essa é a constatação de um estudo realizado pela LCA Consultores que usou como base dados da Pnad Contínua divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira. De acordo com o levantamento, o número de brasileiros em condição de extrema pobreza (renda domiciliar per capita de US$ 1,90 por dia) passou de 13,34 milhões para 14,83 milhões de 2016 para 2017.

A escalada de probreza aconteceu em todas as regiões do Brasil, indo de 2% na Região Norte (1,95 milhão para 1,99 milhão de pessoas) a 24% na Região Centro-Oeste (4,4 milhões para 5,5 milhões).

 

China - Já na China, o fundo de alívio da pobreza financiado pelas estatais geridas pelo governo central criou fundos no valor de 5,4 bilhões de iuanes (US$ 860 milhões) em nove províncias.

Desde o lançamento, em outubro de 2016, esse fundo de alívio da pobreza teve 104 acionistas e levantou 15,4 bilhões de iuanes.

Os elaboradores de políticas incluíram o alívio da pobreza como uma das "três batalhas duras" pelos próximos três anos, juntamente com a prevenção de riscos e o controle da poluição.

A meta da China é tirar da pobreza mais de 10 milhões de pessoas neste ano - das quais 2,8 milhões deixarão áreas inóspitas - e eliminá-la até 2020 para criar uma "sociedade moderadamente próspera".

 

Com informações da Agência Xinhua