PM terá generais no comando

Posto máximo nas polícias militares de todo o país, atualmente, é de coronel.

Decisões Econômicas / 11:06 - 1 de ago de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Governador Wilson Witzel

O projeto de lei que cria o posto de general na Polícia Militar chega nos próximos dias para votação na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. O governador Wilson Witzel quer promover a general todo o alto-comando da PM. Hoje, coronel é o posto mais alto das polícias militares de todo o país. Mas, segundo a proposta de Witzel, a promoção não será automática. Para chegar a general, o coronel da PM terá que passar por um curso no Estado-Maior do Exército.

 

Prefeitos pagarão a conta de luz

Em reunião com prefeitos, o governador Wilson Witzel disse que pretende inaugurar escolas militares em pelos menos 35 municípios ano que vem. Mas não será de graça. Os prefeitos agraciados terão que pagar a conta de luz e cuidar da limpeza e manutenção das unidades. Witzel afirmou que não vai construir novas unidades. Vai aproveitar as escolas estaduais já existentes nos municípios.

 

Asfalto novo é sonho de consumo

Na reunião do governador Wilson Witzel com 79 prefeitos, na última terça-feira, no Palácio Guanabara, a principal reivindicação foi… asfalto! Todos os prefeitos do interior e da Região dos Lagos querem que o Governo do Estado faça o recapeamento em todas as rodovias estaduais o mais rápido possível. Do jeito que está, argumentam, está difícil escoar a produção agrícola e atrair turista. Os do noroeste do estado foram os mais enfáticos na cobrança.

 

Petrobras paga TAC

Membros da CPI da Alerj que investiga a crise fiscal no estado acompanham nesta sexta-feira a assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) no valor de R$ 815 milhões entre a Petrobras, o Ministério Público e o Governo do Estado. O dinheiro da estatal será uma compensação por parte das perdas sociais e ambientais devido à paralisação das obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). Do total, R$ 330 milhões serão usados em reflorestamento e recuperação da cobertura vegetal de uma área de 660 hectares.

 

Cai ICMS para joalheiro

O setor de joalheria, ourivesaria e bijuteria voltará a ter um regime de tributação diferenciado no Estado do Rio. A alíquota do ICMS, que era de 20% para qualquer operação caiu para 5% para operações realizadas por estabelecimentos industriais e 12% para operações comerciais. A lei estadual que determina a redução foi aprovada pelos deputados estaduais e sancionada pelo governador. Com mais de 3 mil estabelecimentos, o setor emprega mais de 15 mil pessoas.

 

Barragens em péssimo estado

A Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj (Cosan) vistoriou, na manhã de quarta-feira (31), as barragens de Nilópolis e Mesquita, localizadas do Complexo Mendanha–Gericinó, na Zona Oeste do Rio. Em ambas foram verificadas irregularidades. Acompanhados pelo presidente da Cosan, deputado estadual Gustavo Schmidt (PSL), os técnicos da Comissão encontraram as duas barragens em mau estado de conservação e com grande quantidade de resíduos depositados nas estruturas, bem como constataram que os rios Sarapuí e Pavuna estão muito degradados.

Apesar de estarem situadas em área de tutela do Centro de Instrução de Gericinó (CIG), do Exército, as barragens foram construídas e eram administradas pela extinta Serla, atual Inea (Instituto Estadual do Ambiente), e deveriam ter como objetivo principal conter inundações e alagamentos em Nilópolis e nas comunidades vizinhas.

 

13º salário na conta

Sem alarde, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, deputado André Ceciliano (PT), pagou a primeira parcela do 13º salário no dia 17 de julho de todos os seus funcionários do Legislativo fluminense.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor